Cultura

Babalorixá explica o significado das cores e roupas do Candomblé

O preto representa o silêncio e a resignação; o vermelho a energia e a vida; o branco o luto ‘pela morte’

No começo do século XVI o primeiro grupo de escravos chegou ao Brasil, vindos do Golfo de Guiné. Os negros trazidos para o país eram de diversas regiões e em diferentes épocas. Ao serem retirados a força de suas tribos, os africanos buscavam algum modo de manter as suas raízes e tradições. Para a historiadora Gisele Crossard foi por meio das crenças e rituais africanos que eles conseguiram manter parte de sua cultura.

IMG_2928

Foi por meio das crenças e rituais africanos que eles conseguiram manter parte de sua cultura

Uma das maiores características que ficou dessa vinda dos negros ao Brasil, eram os cultos afros com suas roupas, geralmente coloridas. As cores básicas do Candomblé são: preto, vermelho e branco. “O preto representa o silêncio e a resignação; o vermelho a energia e a vida; o branco o luto ‘pela morte’ que proporciona o renascimento e a continuidade, nada relacionado com paz ou coisas do tipo, como as pessoas pensam”, explica o babalorixá (Pai de Santo) da casa Ilê Asé Obatorun, Ricardo Ruivo.

Mas na religião afro-brasileira, Candomblé, não são todos os adeptos que podem usar roupas coloridas. “As abyans (novatos no culto, não iniciados)  usam somente roupas brancas. As iyawos (adeptos já iniciados na religião) do sexo feminino podem usar roupas coloridas, mas a camisa é sempre branca”, explica o babalorixá.

Ricardo fala também que há cores que não podem ser usadas por  quem faz parte da religião. “Por força de Èwó (proibição ou interdito) vários Odus (padrões de energia) são incompatíveis com algumas cores. O uso de tais cores pelas pessoas, por força do Odu que determina a incompatibilidade, acarreta distonias de energia e a manifestação de problemas psíco-físico-emocionais em face de vibrações antagônicas de tais cores” explica.

IMG_2460

Uma das maiores características que ficou dessa vinda dos negros ao Brasil foram os cultos afros com suas roupas, geralmente coloridas

O Pai de Santo Ricardo explica que o branco diferencia os orixás funfum, isto é, Oxalá e outros que não podem usar cor nenhuma. Os demais Orixás que usam cores podem também vestir-se de branco, e inclusive devem mesmo vestir a cor às sextas-feiras, e nas festas de Oxalá. “Os Orixás que usam cores claras, não podem, de modo algum, usar cores fortes. Entretanto, os Orixás que usam cores fortes, podem, se quiserem, vestir-se com cores claras”, explica Ricardo.

Uma das adeptas a religião conta que não pode usar a cor vermelha e preta, por interdito de seu Orixá, Oxalá. “Teve um dia que eu ganhei uma blusa preta e vesti para sair. Depois de um tempo eu comecei a ficar muito tonta, sentir muita dor de cabeça e sensação de pressão baixa. Voltei para casa e troquei de roupa, e por incrível que pareça, cerca de dez minutos depois, comecei a me sentir melhor”, diz Carmen*.

IMG_2575

O branco diferencia os orixás funfum, isto é, Oxalá e outros que não podem usar cor nenhuma

O Pai de Santo conta também que antigamente no Candomblé dos anos 50, 60 e até 70, uma pessoa que chegava à porta de um terreiro vestida de preto, era sempre censurada por aquela comunidade, e pedia-se para a pessoa se retirar. “Usar preto em um funeral era desejar que aquela alma não tenha paz pela eternidade, por isso  a roupa de luto no Candomblé é o branco”, comenta Ricardo.

 A Ekedi (Mulher iniciada que não entra em transe) da casa, Aline de Araújo explica que as roupas do Candomblé só são usadas dentro do terreiro, mas que tem gente que as usa no seu dia-a-dia também. “Tem gente de outras casas que usam as roupas da religião como roupas do seu cotidiano”, comenta.

Os Orixás

No Brasil são cultuadas cerca de 16 Orixás, entre eles estão: Oxalá, Iemanjá, Xangô, Iansã e Ogun. Ricardo Ruivo comenta que o significado das roupas de cada Orixá é relacionado com a sua história (cada Orixá tem um mito a seu respeito) e seus elementos atributivos. “O traje dos Orixás comporta uma multiplicidade de elementos: abadá (blusa), xocotô (calças), ojá (pano na cabeça), saias, filá (estilo de chapéu), turbantes, adê, conta.

IMG_2891

O traje dos Orixás comporta uma multiplicidade de elementos: abadá (blusa), xocotô (calças), ojá (pano na cabeça), saias, filá (estilo de chapéu), turbantes, adê

Um dos filhos de santo do Ilê, Carlos*, explica que as divindades além das roupas usam paramentos, que são objetos específicos de cada Orixá, por exemplo Ogun que usa uma espada, um escudo e um capacete, pois é um Orixá guerreiro. “Geralmente, nós  fazemos nossos primeiros paramentos de tecido e só depois de três anos de iniciados que podemos usar objetos de metal”, conta o iaô Carlos*

O significado das roupas de cada Orixá é relacionado com a sua história

O significado das roupas de cada Orixá é relacionado com a sua história

*Nome Fictício. As pessoas não quiseram que aparecesse o nome delas.

 

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Entrevistas
res20161008152707223220o Adriana Lodi, mestra, atriz e aprendiz
Saúde
october-pink-1714664_640 Além do laço e das luzes cor de rosa
Cidades
Captura de Tela 2020-10-28 às 18.38.14 Tia Zélia, a baiana que conquistou a Vila Planalto
Cidadania
WhatsApp Image 2020-10-28 at 18.21.29 ONGs para pets do DF passam por necessidades durante a pandemia
Economia
auxilio-emergencial As dificuldades de quem não conseguiu aderir ao auxílio emergencial
Esporte
O esporte na pandemia da Covid19| Freepik Como está sendo a adaptação das atividades esportivas durante a pandemia da Covid-19
Cidadania
WhatsApp Image 2020-10-14 at 20.47.49 Mulheres unidas na linha de frente contra a violência de gênero
Economia
foto matéria-6 destaque Aumento do desemprego causa incerteza sobre o futuro
Turismo e Lazer
ponstos turisticos Brasil Saiba quais são cuidados que turistas devem ter antes de sair de casa
Ciência e Tecnologia
O crescimento dos aparelhos celulares no país|Flickr Os brasileiros estão cada vez mais conectados pelos smartphones
Saúde
Ensaio fotográfico gestacional da enfermeira Helenita Vilarinho. Mudança climática: calor excessivo no DF agrava problemas gestacionais
Saúde
No calorão do DF, que alcançou 37ºC em 8 de outubro, nem os sorvetes se salvam | FOTO: Reprodução / Pixabay DF bate recorde de calor. saiba quais são os cuidados necessários em tempos de seca
Saúde
Segundo pesquisa realizada pela VIGITEL, 57% da população masculina do DF, apresenta sobre peso. Isolamento social: aumenta o número de pessoas sedentárias no Brasil
Ciência e Tecnologia
Projeto procura novos modelos tecnológicos para uma eleição através da internet.| Flickr País busca novos modelos para implantar uma eleição via internet
Comportamento
foto matéria 8 TOC atinge mais de 4 milhões no Brasil
Comportamento
NICOLLY PRADO Para fugir de ansiedade e frustrações com pandemia, estudante viaja de bike e faz trabalho voluntário pelo Brasil afora
Saúde
frasco_rotulado_como_vacina_contra_covid-19_em_foto_de_ilustracao_10_04_2020_reuters_dado_ruvic_illustration1408200865 População permanece insegura quanto a futura campanha de vacinação contra a Covid-19
Economia
6cv0sd64tum55rmc60ootwxss-850x560 (1) Pequenos negócios crescem na contramão da crise causada pela pandemia
Ciência e Tecnologia
Crédito: arquivo pessoal Aplicativos on-line reaproximam as pessoas durante isolamento social
Cidadania
Capa Nova revista Redemoinho supera desafios do isolamento para investigar temas de relevância social

Mais lidas