Educação

Transtornos podem ser causa de problemas de crianças nas escolas

Escolas normalmente não possuem estrutura que atendam às necessidades de alunos com dificuldades no aprendizado

Tags:
#educação criança escola

Uma criança com problema de aprendizagem na escola exige cuidados da família e dos professores. O problema pode ser resultado de um transtorno, normalmente identificado no próprio ambiente escolar. A comerciante Alexandra dos Santos, após receber um  aviso da escola, levou o filho de 7 anos ao neurologista. “Meu filho recebeu o diagnóstico com déficit de atenção e imperatividade”. Alexandra relata as dificuldades que o filho encontra nos estudos: “ele só faz quando estou juntou com ele, se eu não estiver ele não faz”.

A pedagoga Wilciléa Castela diz que para saber se a criança tem algum problema são feitos testes usando letras, números e jogos. “O meu trabalho com as crianças é pedagógico, embora eu faça uma intervenção psicopedagógica – o psicopedagogo normalmente é uma especialização que o pedagogo ou o educador faz, que trabalha as dificuldades que impedem a criança de avançar”.

Pedagoga Wilciléa Castela, trabalha com acompanhamento pessoal.

Pedagoga Wilciléa Castela, trabalha com acompanhamento pessoal.

O psicólogo Augusto Ribeiro acrescentar que para descobrir se a criança possui alguma dificuldade é preciso passar por algumas etapas. “É feito uma entrevista com a criança e com os responsáveis”. Após a entrevista, se necessário, a criança é indicada a procurar um médico oftalmologista, otorrinolaringologia, e se não apresenta déficit físico, um acompanhamento psicológico, para assim saber que tipo de transtorno pode estar envolvido.

As escolas normalmente não possuem a estrutura para fazer um atendimento individual, por isso, é preciso procurar profissionais especializados. A pedagoga Wilciléa trabalha com atendimento pessoal e enfatiza a necessidade de garantir autonomia às crianças. “Eles não podem acostumar ter alguém por perto. Pois eles, conseguem fazer sozinhos”.

A profissional acredita que com um bom atendimento é possível notar grandes resultados. É o caso, por exemplo, de André, de 8 anos, que apresentava dificuldades escolares e agora vai ganhar mais um certificado por boas notas. “Quero ser um construtor de carros, um engenheiro, já sei carregar as ferramentas”, avisa.

Dificuldade na visão e na audição precisam ser analisados por profissionais

Dificuldade na visão e na audição precisam ser analisados por profissionais

O acompanhamento da família também é fundamental e valorizado. Andrei, de 7 anos, anuncia que a mãe, para incentivar a sua leitura, mudou as paredes do quarto. “Minha mãe colocou um monte de papel na minha parede para eu aprender a ler, com vários tipos de letras”.

Buscar um profissional adequando, deixou de ser apenas um reforço escola, mas é um acompanhamento que impulsiona a capacidade de cada um. Wilciléa busca descobrir e realçar o potencial de cada aluno. “Eu sempre acho que o que tem de mais importante além da leitura, é cada um saber quem ele é”.

O psicólogo Augusto Ribeiro acredita que com a atenção e a implementação da presença de psicólogos em escolas, os casos de transtornos e problemas na saúde das crianças estão sendo solucionados com mais eficácia e rapidez. Augusto explica que autismo e a síndrome de down são alguns dos transtornos mais perceptíveis, mas enfatiza que questões como dificuldade na visão e na audição exigem atenção dos responsáveis para serem detectadas.

 

 

Deixe uma resposta

Esporte
Em média, a iniciativa recebe 70 alunos por dia Embaixada da Índia oferece aulas gratuitas de ioga
Comportamento
05 Crença em horóscopos pode causar despersonalização
Cultura
06 Dance hall é um estilo que ajuda a contar a história da Jamaica

Mais lidas