Ciência e Tecnologia

Estudantes de robótica desenvolvem próteses para animais

Parceria entre Sesi Gama e UnB já atendeu gratuitamente cachorros, gatos, passarinhos, tartarugas e até coelhos

Um projeto em parceria entre o Sesi Gama e a Universidade de Brasília garante próteses gratuitas para animais que tiveram algum tipo de amputação. É o “The Walking Pets”, iniciativa selecionada para um concurso internacional de robótica que aconteceu entre os dias 4 e 7 de maio deste ano. Professor e coordenador de Robótica do SESI responsável pelo desenvolvimento do projeto Atos Reis explica que a iniciativa surgiu através do torneio de robótica no qual o tema proposto era a necessidade de encontrar uma interação entre homem e animal e solucionar esse problema. “A gente percebeu o quanto é caro comprar uma cadeira de rodas ou qualquer mecanismo para ajudar o animal a se movimentar, nossa solução foi exatamente essa, produzir gratuitamente essas próteses”.

O professor também diz que não esperava que o projeto ganhasse grandes proporções. “Fizemos uma divulgação simples pela página do facebook e um dia depois tivemos 2,5 milhões de visualizações e mais de 44 mil compartilhamentos. A gente não esperava. Com isso tivemos que correr atrás de voluntários e verba para o projeto”.

Médica veterinária, Maira Formenton especializada em fisioterapia e reabilitação enfatiza a importância das próteses na vida dos bichinhos “Quando ocorrem acidentes, ou até mesmo malformações que levam a perda funcional de um ou mais membros, a deambulação assistida torna-se essencial. Um animal que perdeu parte de um membro, por exemplo, sem a colocação de uma prótese na parte residual, poderia perder este membro ou até mesmo levar a uma amputação total”. Ela também explica que nem todos os animais se adaptam bem as próteses “Primeiramente deve se realizar uma avaliação, para verificar se será possível a colocação da prótese, depois a prótese requer um período de adaptação e fisioterapia para a perfeita integração com o aparelho”.

Os alunos que estão participando da quarta temporada do Torneio de Robótica da First Lego League (FLL) possuem um site próprio onde conseguem atender a demanda de próteses do DF e até de outros estados do Brasil. Atualmente existem mais de 250 animais na lista de espera do projeto.   Através da plataforma online, o dono que necessita de ajuda faz um cadastro com especificações sobre seu animal e as descrições são enviadas para voluntários que produzem gratuitamente a prótese sob medida.

O professor diz que o projeto atende a todos os tipos de animais, de pequenos e grandes portes e não se restringem a cachorros e gatos como todos pensam. “Já atendemos passarinhos, tartarugas, coelhos … Uma série de animais diferentes depende muito dos voluntários”.

Serviço

Para colaborar e solicitar uma próteses basta acessar o proteseanimal.com.br

Deixe uma resposta

Turismo e Lazer
03 Exposição abrange realidade virtual e animações em 3D
Cidadania
IMG_8726 Trufa do Bem vem crescendo em Brasília e está ajudando desempregados
Meio Ambiente
IMG_3598 Invasão de áreas públicas pode causar assoreamento e contaminação de lagos e rios  

Mais lidas