Turismo e Lazer

#VemPraCei mapeia pontos turísticos de Ceilândia

A iniciativa, idealizada por três produtores culturais, explora e divulga o lado positivo da região mais populosa do DF

Tags:
#vempracei #turismo #ceilândia

A ideia nasceu no fim de 2014. Fruto da indignação pelo preconceito e pela visão estereotipada de violência que a sociedade tem em relação a Ceilândia, região administrativa do Distrito Federal, o projeto #VemPraCei foi iniciado por três produtores culturais brasilienses para dar visibilidade a arte, cultura, esporte e turismo da região. Emerson Rodrigues, Lucas Pinheiro e Sérgio de Castro conseguiram tirar o projeto do papel no segundo semestre de 2016.

Região mais populosa do Distrito Federal com 489 mil habitantes, segundo os dados divulgados em 2016 pela Codeplan  - a Companhia de Planejamento do DF -, Ceilândia carrega consigo uma história de 47 anos. Durante o crescimento, a região foi tornando-se palco de um território cada vez mais aberto e fomentador de iniciativas culturais. De acordo com Emerson Rodrigues, é preciso que se divulgue a verdadeira identidade da cidade. “Precisamos levar ao conhecimento do público uma imagem que poucos ainda conhecem, de uma Ceilândia rica em diversidade natural, cultural, social e esportiva”, desabafa.

Caixa D'Água da Ceilândia é um dos pontos turísticos mais visitados. Em 2013, foi tombada como patrimônio da cidade
A Caixa d’água da Ceilândia é um dos pontos turísticos mais visitados. Em 2013, foi tombada como patrimônio da cidade

Foi por esse objetivo que o #VemPraCei foi criado e é, até hoje, mantido. A iniciativa funciona com base em um mapeamento de 50 locais turísticos que englobam as mais diversas áreas, como a social, esportiva, histórica e gastronômica. O trio de produtores também oferece visitas guiadas, que podem ocorrer nos carros próprios dos visitantes ou de veículos alugados, disponibilizados pelos responsáveis pela iniciativa. Os turistas entram em contato com os administradores pelo e-mail ou por telefone, e, assim, podem escolher quais locais serão inseridos no roteiro turístico.

Padu Pompeia, 41, morador de São Paulo que conheceu a Ceilândia mais profundamente através do #VemPraCei, é funcionário de uma empresa paulista de turismo educacional que trouxe alunos para conhecer a região. Ele explica que o interesse veio da necessidade de compreender o processo da construção da capital federal. “Quando se anda por Brasília, pouquíssimo se vê referências sobre quem realmente construiu essa obra gigantesca, por exemplo os que compunham a força de trabalho, que puseram a mão na massa”.

A Casa da Memória Viva da Ceilândia, local presente na maioria dos roteiros, visa a valorização dos pioneiros do DF
A Casa da Memória Viva da Ceilândia, local presente na maioria dos roteiros, visa a valorização dos pioneiros do DF

Padu acredita que a visita esclarece muito do processo do desenvolvimento da cidade. “Nosso interesse veio da vontade de nos aprofundarmos no entendimento de questões sociais fundamentais, estreitando relações e nos aproximando de realidades muito distintas”. O professor Arthur Chacon, que trabalha para a mesma empresa de turismo educacional, adiciona que a população da região é bastante hospitaleira. “A coragem e a consciência de sua própria história que o pessoal da Ceilândia tem me tocam muito e isso tem que ser valorizado sempre. Sua diversidade e produção é incrível!”.

Sobrevivência e futuro

O projeto, apesar da fundamental existência para a região por já ter recebido mais de mil turistas e já ter, só para este ano, mais de 600 agendamentos, não conta com qualquer tipo de apoio governamental. Os fundadores da iniciativa já tiveram o apoio do JK Shopping, da Rede Globo e, atualmente, têm apoio do IESB. A forma de sobrevivência vem por meio das vendas de camisetas do projeto, mas, na maioria das vezes, o trio de produtores acaba tirando o dinheiro do próprio bolso.

Ainda que haja dificuldades, existem planos para o futuro do #VemPraCei. Os produtores culturais pretendem adquirir um veículo próprio para realizar as visitas guiadas e, até, 2018, esperam instalar o Centro de Atendimento aos Turistas (CAT) que estará localizado em frente ao metrô da Ceilândia, em um antigo posto policial. Segundo Lucas Pinheiro, um dos idealizadores, o objetivo do projeto tomará outras proporções após a criação do CAT. “Vamos realizar campanhas para que as taxas negativas da Ceilândia melhorem, como as de violência contra a mulher”, conclui.

Serviço

Para ajudar o projeto, saber mais informações ou marcar visitas guiadas, acesse o site http://vempracei.com.br ou entre em contato pelo (61) 98450-7925.

Deixe uma resposta

Saúde
Anoushe Duarte aposta na acupuntura para o tratamento da hérnia de disco Aumento de peso na gravidez pode contribuir para ocorrência de hérnia de disco
Ciência e Tecnologia
Pauta 3 - 01 Na briga por clientes, restaurantes apostam em forma alternativa de publicidade
Esporte
Formação antes do início do treino da Legião Teutônica da Casa Germânica. Lutas medievais são praticada em Brasília

Mais lidas