Meio Ambiente

Superpopulação de animais pode ser evitada com castração

Além da diminuição de espécies abandonadas nas ruas, medida evita transmissão de doenças para o ser humano

Tags:
#castração;

A superpopulação de cães e gatos é um problema que desperta preocupação. Não apenas por questões humanitárias, mas também sanitárias. Cerca de 35 milhões de cães e gatos vivem nas ruas, e o Brasil é o terceiro país com a maior população de cães no mundo. Uma das soluções encontradas para diminuir esse problema é a castração. “Além do controle de doenças, a castração também controla a faixa de natalidade. Existem muitos cães e gatos nas ruas, e eles acabam reproduzindo. Então, essa é uma forma de evitar o crescimento descontrolado”, explica o chefe substituto da Coordenação de Controle sobre o uso da Fauna do Ibram, Rodrigo Santos.

Animais de rua são potenciais agentes de transmissão de doenças para o ser humano, como raiva, micose e toxoplasmose, por exemplo. Castrar os animais domésticos, além de reduzir a superpopulação, reduz também o risco de câncer, parvirose, epilepsia, e questões comportamentais, como fugas e demarcações. A castração é uma cirurgia de retirada dos ovários e útero da fêmea, e dos testículos do macho, impedindo assim, a procriação.

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) possui um programa de castração, o Castramóvel, que, além da cirurgia, promove ações de educação que visam a redução do abandono, o estímulo à adoção, o respeito, a promoção do bem-estar, o acompanhamento, a prevenção e os cuidados com os animais em todas as etapas da vida. “Não adianta tirar o animal da rua, ou sacrificá-lo se não existe uma proposta maior. No final, eles acabam voltando para a unidade de conservação e as populações acabam reproduzindo e aumentando sem controle”, esclarece o chefe substituto da Coordenação de Controle sobre o uso da Fauna do Ibram, Rodrigo Santos. A intenção do programa é realizar mil castrações até 2018.

A funcionária pública Michelle de Paula considera a castração como algo benéfico para os animais. “O meu gato é albino, então a saúde dele é bastante debilitada, por isso resolvi castrar. Depois da cirurgia, a saúde dele melhorou e o comportamento também”, diz Michelle. Ao contrário do que muitos pensam, a castração não causa sofrimento ao animal. “É uma cirurgia simples e eficaz com anestesia. O animal já recebe alta no mesmo dia”, explica a médica veterinária Natássia Miranda.

O pedido dos ativistas é que o programa Castramóvel se efetive e tenha pleno funcionamento para atender população e ONG’s, com castração e clínicas veterinárias. “O governo deveria fazer mais campanhas de castração, dar palestras e explicar para a população a importância de castrar seus animais. Explicar também que o abandono dos filhotes é crime e isso aumenta a lotação”, declara a ativista Juliana Cordeiro.

Para castrar o animal de estimação através do castramóvel, basta fazer o cadastro no site do Ibram: http://www.ibram.df.gov.br

Deixe uma resposta

Saúde
Anoushe Duarte aposta na acupuntura para o tratamento da hérnia de disco Aumento de peso na gravidez pode contribuir para ocorrência de hérnia de disco
Ciência e Tecnologia
Pauta 3 - 01 Na briga por clientes, restaurantes apostam em forma alternativa de publicidade
Esporte
Formação antes do início do treino da Legião Teutônica da Casa Germânica. Lutas medievais são praticada em Brasília

Mais lidas