Meio Ambiente

Superpopulação de animais pode ser evitada com castração

Além da diminuição de espécies abandonadas nas ruas, medida evita transmissão de doenças para o ser humano

Tags:
#castração;

A superpopulação de cães e gatos é um problema que desperta preocupação. Não apenas por questões humanitárias, mas também sanitárias. Cerca de 35 milhões de cães e gatos vivem nas ruas, e o Brasil é o terceiro país com a maior população de cães no mundo. Uma das soluções encontradas para diminuir esse problema é a castração. “Além do controle de doenças, a castração também controla a faixa de natalidade. Existem muitos cães e gatos nas ruas, e eles acabam reproduzindo. Então, essa é uma forma de evitar o crescimento descontrolado”, explica o chefe substituto da Coordenação de Controle sobre o uso da Fauna do Ibram, Rodrigo Santos.

Animais de rua são potenciais agentes de transmissão de doenças para o ser humano, como raiva, micose e toxoplasmose, por exemplo. Castrar os animais domésticos, além de reduzir a superpopulação, reduz também o risco de câncer, parvirose, epilepsia, e questões comportamentais, como fugas e demarcações. A castração é uma cirurgia de retirada dos ovários e útero da fêmea, e dos testículos do macho, impedindo assim, a procriação.

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) possui um programa de castração, o Castramóvel, que, além da cirurgia, promove ações de educação que visam a redução do abandono, o estímulo à adoção, o respeito, a promoção do bem-estar, o acompanhamento, a prevenção e os cuidados com os animais em todas as etapas da vida. “Não adianta tirar o animal da rua, ou sacrificá-lo se não existe uma proposta maior. No final, eles acabam voltando para a unidade de conservação e as populações acabam reproduzindo e aumentando sem controle”, esclarece o chefe substituto da Coordenação de Controle sobre o uso da Fauna do Ibram, Rodrigo Santos. A intenção do programa é realizar mil castrações até 2018.

A funcionária pública Michelle de Paula considera a castração como algo benéfico para os animais. “O meu gato é albino, então a saúde dele é bastante debilitada, por isso resolvi castrar. Depois da cirurgia, a saúde dele melhorou e o comportamento também”, diz Michelle. Ao contrário do que muitos pensam, a castração não causa sofrimento ao animal. “É uma cirurgia simples e eficaz com anestesia. O animal já recebe alta no mesmo dia”, explica a médica veterinária Natássia Miranda.

O pedido dos ativistas é que o programa Castramóvel se efetive e tenha pleno funcionamento para atender população e ONG’s, com castração e clínicas veterinárias. “O governo deveria fazer mais campanhas de castração, dar palestras e explicar para a população a importância de castrar seus animais. Explicar também que o abandono dos filhotes é crime e isso aumenta a lotação”, declara a ativista Juliana Cordeiro.

Para castrar o animal de estimação através do castramóvel, basta fazer o cadastro no site do Ibram: http://www.ibram.df.gov.br

Deixe uma resposta

Esporte
Em média, a iniciativa recebe 70 alunos por dia Embaixada da Índia oferece aulas gratuitas de ioga
Comportamento
05 Crença em horóscopos pode causar despersonalização
Cultura
06 Dance hall é um estilo que ajuda a contar a história da Jamaica

Mais lidas