Turismo e Lazer

Cicloviagem é opção para quem gosta de aventuras

Sobre duas rodas, viajantes percorrem cidades do Brasil e do exterior e destacam lazer e novas experiências

    A cicloviagem, também chamada  cicloturismo, é uma maneira de conhecer novos lugares em cima de uma bicicleta. Os trajetos devem ser planejados, preparados e estudados pelos viajantes como em qualquer projeto, sugere o coronel do Exército Alexandre Coelho, coordenador do Passeio Noturno DF. Ele explica que os ciclistas interessados devem tomar certos cuidados antes de embarcarem em uma nova aventura, como: fazer a revisão da bicicleta, levar roupas claras e chamativas, filtro solar e equipamentos como capacete e luva. “Para quem gosta de bicicleta, o cicloturismo  vira uma meta de desafio e lazer para o praticante,” afirma.

    A publicitária e coordenadora do grupo Brasília Batom Bikers (BBB’s) Regina Teixeira  também afirma que a cicloviagem exige uma preparação diferenciada de um pedal convencional. Segundo ela, é interessante para os viajantes encontrarem e se reunirem com grupos de interesse parecidos para que  o aprendizado e treinamento seja mais proveitoso. “ Quanto melhor o grupo que você participar,  melhor vai ser sua experiência e será mais prazeroso e, divertido a viagem,” explica.

    A funcionara pública Márcia Figueira  possui experiência em vários destinos, tais como: Goiânia, Pirenópolis e Unaí, e declara que a experiência de fazer uma cicloviagem é  diferente, porém muito proveitosa.  Ela explica que as viagens contam com um carro de apoio, para quando o ciclista se sentir cansado pode parar e acompanhar o grupo no veículo, por questões de segurança, sem perder a diversão. “ Prefiro viajar de bicicleta do que andar na cidade, é uma satisfação imensa completar o percurso.”

    Para a ciclista e advogada Ana Carolina Silveira, com várias viagens de bicicleta dentro e fora do país no currículo, fazer cicloturismo no Brasil pode ser perigoso, apesar de ser uma experiência única. Ela reclama que, nas estradas, carros e caminhões muitas vezes não respeitam os viajantes no acostamento, passando com muita velocidade e dando pouco espaço para os ciclistas. Com experiência em viagens em países como: Itália, Espanha e Irlanda, Ana Carolina conta que para os interessados vale investir em um percurso europeu, para aproveitar o destino com menos preocupação. “ Você pode parar em qualquer vila pequena, para comer ou dormir. Nas estradas, eles sempre dão espaço para os viajantes.”

    Um dos percursos marcantes para ela foi o caminho de Santiago de Compostela, que começa em Portugal e vai até a Espanha. “É uma chance de conhecer muita cultura, em toda cidade pequena você encontra igrejas, bistrôs e restaurantes de comida regional”. Ana Carolina, também relata que o percurso durou 21 dias contando as paradas turísticas. Pedalando sempre com grupo, a viagem teve um total de 792 quilômetros. Ela comenta que em algumas países como Itália e Irlanda se exige mais experiência do cicloviajante, por conta das ruas estreitas. Porém, ressalta que vestido a caráter e sempre com um grupo de ciclistas os passeios são seguros e atrativos.

    Deixe uma resposta

    Saúde
    Anoushe Duarte aposta na acupuntura para o tratamento da hérnia de disco Aumento de peso na gravidez pode contribuir para ocorrência de hérnia de disco
    Ciência e Tecnologia
    Pauta 3 - 01 Na briga por clientes, restaurantes apostam em forma alternativa de publicidade
    Esporte
    Formação antes do início do treino da Legião Teutônica da Casa Germânica. Lutas medievais são praticada em Brasília

    Mais lidas