Turismo e Lazer

Cicloviagem é opção para quem gosta de aventuras

Sobre duas rodas, viajantes percorrem cidades do Brasil e do exterior e destacam lazer e novas experiências

    A cicloviagem, também chamada  cicloturismo, é uma maneira de conhecer novos lugares em cima de uma bicicleta. Os trajetos devem ser planejados, preparados e estudados pelos viajantes como em qualquer projeto, sugere o coronel do Exército Alexandre Coelho, coordenador do Passeio Noturno DF. Ele explica que os ciclistas interessados devem tomar certos cuidados antes de embarcarem em uma nova aventura, como: fazer a revisão da bicicleta, levar roupas claras e chamativas, filtro solar e equipamentos como capacete e luva. “Para quem gosta de bicicleta, o cicloturismo  vira uma meta de desafio e lazer para o praticante,” afirma.

    A publicitária e coordenadora do grupo Brasília Batom Bikers (BBB’s) Regina Teixeira  também afirma que a cicloviagem exige uma preparação diferenciada de um pedal convencional. Segundo ela, é interessante para os viajantes encontrarem e se reunirem com grupos de interesse parecidos para que  o aprendizado e treinamento seja mais proveitoso. “ Quanto melhor o grupo que você participar,  melhor vai ser sua experiência e será mais prazeroso e, divertido a viagem,” explica.

    A funcionara pública Márcia Figueira  possui experiência em vários destinos, tais como: Goiânia, Pirenópolis e Unaí, e declara que a experiência de fazer uma cicloviagem é  diferente, porém muito proveitosa.  Ela explica que as viagens contam com um carro de apoio, para quando o ciclista se sentir cansado pode parar e acompanhar o grupo no veículo, por questões de segurança, sem perder a diversão. “ Prefiro viajar de bicicleta do que andar na cidade, é uma satisfação imensa completar o percurso.”

    Para a ciclista e advogada Ana Carolina Silveira, com várias viagens de bicicleta dentro e fora do país no currículo, fazer cicloturismo no Brasil pode ser perigoso, apesar de ser uma experiência única. Ela reclama que, nas estradas, carros e caminhões muitas vezes não respeitam os viajantes no acostamento, passando com muita velocidade e dando pouco espaço para os ciclistas. Com experiência em viagens em países como: Itália, Espanha e Irlanda, Ana Carolina conta que para os interessados vale investir em um percurso europeu, para aproveitar o destino com menos preocupação. “ Você pode parar em qualquer vila pequena, para comer ou dormir. Nas estradas, eles sempre dão espaço para os viajantes.”

    Um dos percursos marcantes para ela foi o caminho de Santiago de Compostela, que começa em Portugal e vai até a Espanha. “É uma chance de conhecer muita cultura, em toda cidade pequena você encontra igrejas, bistrôs e restaurantes de comida regional”. Ana Carolina, também relata que o percurso durou 21 dias contando as paradas turísticas. Pedalando sempre com grupo, a viagem teve um total de 792 quilômetros. Ela comenta que em algumas países como Itália e Irlanda se exige mais experiência do cicloviajante, por conta das ruas estreitas. Porém, ressalta que vestido a caráter e sempre com um grupo de ciclistas os passeios são seguros e atrativos.

    Deixe uma resposta

    Esporte
    Em média, a iniciativa recebe 70 alunos por dia Embaixada da Índia oferece aulas gratuitas de ioga
    Comportamento
    05 Crença em horóscopos pode causar despersonalização
    Cultura
    06 Dance hall é um estilo que ajuda a contar a história da Jamaica

    Mais lidas