Esporte

Ginástica, dança e natação em um só esporte

Graça e delicadeza são marcas do nado sincronizado, que reúne técnica e criatividade

Alunas treinam a coreográfica passada pela professora antes de entrar na água

Alunas treinam a coreografia passada pela professora antes de entrar na água

 O nado sincronizado é dividido em natação, ginástica e dança, tudo em um só esporte. ‘’O nado sincronizado geralmente é feito por meninas, e é composto por grupos individuais, duetos, trios, equipes e combos’’, explica a diretora e professora de nado sincronizado da Federação de Desportos Aquáticos do Distrito Federal Fabíola Valadares. O esporte  surgiu no Canadá no século XX e teve início no Brasil em 1943.

As categorias são divididas em Infantil A e B, que são para crianças de 9 a 12 anos; Juvenil, de 13 a 15 anos; Júnior, de 16 a 17 anos; e Sênior, para as que têm acima de 18 anos. Para iniciar no nado sincronizado, é necessário ter no mínimo 7 anos, e saber noções iniciais de natação como o crawl, mergulho, e flutuação Fabíola  afirma que para passar para a pré-equipe eles fazem um teste com o conteúdo que foi orientado na escolinha. “As meninas que conseguem executar bem os movimentos aprendidos na escolinha passam para a pré-equipe’’, conta a professora.

Na pré equipe, os alunos aperfeiçoam movimentos aprendidos na escolinha, e introduzem treinamentos de flexibilidade, condicionamento físico, mudanças de formações coreográficas, marcações de movimentos, figuras, posições básicas restantes, aprendem diferentes formas de palmateiros, alcance do tronco, barracudas.

A estudante Leticia Machado começou cedo. Hoje com 10 anos, sonha em entrar para a seleção brasiliense. Para fazer parte da equipe, o mínimo é de 16 anos, e de 18 anos para começar a fazer os testes e entrar para a equipe brasileira de nado sincronizado. ‘’ Enquanto não tenho idade para fazer parte da equipe, eu treino. Mas meu sonho mesmo é competir com as meninas’’, afirma Leticia. Enquanto isso, aprende juntamente com a equipe mais nova os movimentos iniciais do nado sincronizado. Palmateios, peitinho, cabeça alta, crawl e pernada de costas.

Depois da escolinha, os alunos podem ingressar na equipe, mas para isso devem executar bem o conteúdo desenvolvido na pré equipe. É o caso da estudante Júlia Costa, de 16 anos. Ela começou no esporte incentivada por uma amiga há 8 anos, e está até hoje.’’ Ela foi minha inspiração para começar no esporte. Meu sonho é fazer parte da seleção brasileira, mas só posso fazer os testes com 18 anos’’, conta a estudante. Com treinos que chegam até 4 anos por dia, Julia se divide entre o esporte e a escola. ‘’ O desgaste físico é muito grande, você sai do treino sem querer fazer mais nada naquele dia. Mas eu sei que é um esforço que vale a pena’’, afirma Julia.

Nas competições, os critérios de avaliação são divididos entre o técnico e o artístico. ‘’ No técnico, eles avaliam a altura dos movimentos, sincronismo do grupo, as formações feitas, e a velocidade das meninas. E, no artístico, a criatividade e principalmente o tema abordado’’. Por ser um esporte que não faz uso de objetos dentro da água, exige do grupo também a criatividade para mostrar o tema abordado através dos movimentos, da música e da interpretação.

    Deixe uma resposta

    Esporte
    Em média, a iniciativa recebe 70 alunos por dia Embaixada da Índia oferece aulas gratuitas de ioga
    Comportamento
    05 Crença em horóscopos pode causar despersonalização
    Cultura
    06 Dance hall é um estilo que ajuda a contar a história da Jamaica

    Mais lidas