Esporte

Ginástica, dança e natação em um só esporte

Graça e delicadeza são marcas do nado sincronizado, que reúne técnica e criatividade

Alunas treinam a coreográfica passada pela professora antes de entrar na água

Alunas treinam a coreografia passada pela professora antes de entrar na água

 O nado sincronizado é dividido em natação, ginástica e dança, tudo em um só esporte. ‘’O nado sincronizado geralmente é feito por meninas, e é composto por grupos individuais, duetos, trios, equipes e combos’’, explica a diretora e professora de nado sincronizado da Federação de Desportos Aquáticos do Distrito Federal Fabíola Valadares. O esporte  surgiu no Canadá no século XX e teve início no Brasil em 1943.

As categorias são divididas em Infantil A e B, que são para crianças de 9 a 12 anos; Juvenil, de 13 a 15 anos; Júnior, de 16 a 17 anos; e Sênior, para as que têm acima de 18 anos. Para iniciar no nado sincronizado, é necessário ter no mínimo 7 anos, e saber noções iniciais de natação como o crawl, mergulho, e flutuação Fabíola  afirma que para passar para a pré-equipe eles fazem um teste com o conteúdo que foi orientado na escolinha. “As meninas que conseguem executar bem os movimentos aprendidos na escolinha passam para a pré-equipe’’, conta a professora.

Na pré equipe, os alunos aperfeiçoam movimentos aprendidos na escolinha, e introduzem treinamentos de flexibilidade, condicionamento físico, mudanças de formações coreográficas, marcações de movimentos, figuras, posições básicas restantes, aprendem diferentes formas de palmateiros, alcance do tronco, barracudas.

A estudante Leticia Machado começou cedo. Hoje com 10 anos, sonha em entrar para a seleção brasiliense. Para fazer parte da equipe, o mínimo é de 16 anos, e de 18 anos para começar a fazer os testes e entrar para a equipe brasileira de nado sincronizado. ‘’ Enquanto não tenho idade para fazer parte da equipe, eu treino. Mas meu sonho mesmo é competir com as meninas’’, afirma Leticia. Enquanto isso, aprende juntamente com a equipe mais nova os movimentos iniciais do nado sincronizado. Palmateios, peitinho, cabeça alta, crawl e pernada de costas.

Depois da escolinha, os alunos podem ingressar na equipe, mas para isso devem executar bem o conteúdo desenvolvido na pré equipe. É o caso da estudante Júlia Costa, de 16 anos. Ela começou no esporte incentivada por uma amiga há 8 anos, e está até hoje.’’ Ela foi minha inspiração para começar no esporte. Meu sonho é fazer parte da seleção brasileira, mas só posso fazer os testes com 18 anos’’, conta a estudante. Com treinos que chegam até 4 anos por dia, Julia se divide entre o esporte e a escola. ‘’ O desgaste físico é muito grande, você sai do treino sem querer fazer mais nada naquele dia. Mas eu sei que é um esforço que vale a pena’’, afirma Julia.

Nas competições, os critérios de avaliação são divididos entre o técnico e o artístico. ‘’ No técnico, eles avaliam a altura dos movimentos, sincronismo do grupo, as formações feitas, e a velocidade das meninas. E, no artístico, a criatividade e principalmente o tema abordado’’. Por ser um esporte que não faz uso de objetos dentro da água, exige do grupo também a criatividade para mostrar o tema abordado através dos movimentos, da música e da interpretação.

    Deixe uma resposta

    Saúde
    Anoushe Duarte aposta na acupuntura para o tratamento da hérnia de disco Aumento de peso na gravidez pode contribuir para ocorrência de hérnia de disco
    Ciência e Tecnologia
    Pauta 3 - 01 Na briga por clientes, restaurantes apostam em forma alternativa de publicidade
    Esporte
    Formação antes do início do treino da Legião Teutônica da Casa Germânica. Lutas medievais são praticada em Brasília

    Mais lidas