Ciência e Tecnologia

Impressão 3D ganha espaço no mercado tecnológico

Fatores como solidez e textura podem influenciar no tempo de impressão e projetos podem ser baixados gratuitamente na internet

A impressão 3D está revolucionando a forma como se vê a tecnologia e a produção e criação de objetos. A técnica é utilizada para criar instrumentos musicais, próteses humanas, brinquedos e até casas. Na última década, têm se popularizado impressoras 3D desktop, ou seja, que cabem e podem ser usadas na mesa de um escritório. Sócio de uma empresa especializada em impressão 3D, Luiz Luz Blumm destaca que, com a maior acessibilidade um universo de criação e produção se abre: “A impressão 3D torna possível a criação de objetos em um tempo bem menor. Objetos que exigiriam diversos processos e bastante tempo para serem produzidos, agora podem ser feitos em um computador e impressos na impressora rapidamente”, explica.

Com o auxílio de softwares como o SkatchUp, que pode ser baixado gratuitamente para Windows ou Mac, é possível criar um modelo 3D e, conectado a uma impressora compatível, basta imprimir. Aspectos como a solidez e a textura da peça podem variar e com isso o tempo de impressão. Além disso, máquinas como a MakerBot podem imprimir em diferentes materiais. Entre os materiais mais usados estão o Plástico Poliácido Láctico, conhecido como PLA, que é derivado do amido de milho, raízes de mandioca e de cana, sendo uma opção mais ecologicamente amigável, e o Acrilonitrila Butadieno Estireno, ou simplesmente ABS, derivado do petróleo, portanto, mais nocivo ao meio ambiente, porém bem mais durável e resistente a esforços mecânicos, ao atrito e as altas temperaturas.

Na BSB FabLab, empresa especializada em impressão 3D, é possível levar o modelo pronto e pagar somente pelo tempo de impressão da máquina. A MakerBot, por exemplo, custa 50 centavos por minuto. Um pequeno jarro de planta com o formato de um Pokémon com cerca de 8 centímetros de altura levou cerca de 120 minutos para ser impresso. A comunidade criadora de modelos 3D procura tornar tudo mais acessível, assim grande parte dos projetos são open source, ou seja, estão disponíveis para baixar gratuitamente na internet: “Os makers, como são conhecidos os criadores de projetos, procuram deixar seus projetos acessíveis para a comunidade, basta baixar e levar a qualquer lugar que faz a impressão e pagar para imprimir”, completa Luiz Luz Blumm.

Especialização

A indústria automobilística é um dos segmentos que vê resultados positivos das impressões 3D. Protótipos e pequenas peças como o câmbio e o retrovisor já são produzidas nas impressoras. No Distrito Federal, ainda não é uma realidade, mas estudantes já buscam aprender a criar modelos e fazer o design das peças para impressão, como é o caso de Felype Sobral, estudante de engenharia automotiva: “O Brasil, infelizmente, não conta com tantos avanços tecnológicos na área, mas a gente vê na internet que empresas já estão investindo e produzindo protótipos e peças por meio da impressão 3D, então busco me capacitar para o mercado de trabalho”, conta o estudante.

MakerBot, uma das máquinas mais usadas no BSBFabLab.

MakerBot, uma das máquinas mais usadas no BSBFabLab.

Pequeno jarro de planta com o formato de um Pokémon levou cerca de 120 minutos para ser impresso

Pequeno jarro de planta com o formato de um Pokémon levou cerca de 120 minutos para ser impresso

Deixe uma resposta

Turismo e Lazer
Diga de onde vens e direi se te respeito
Comportamento
Medo de assédio leva mulheres a freqüentar boates gays
Saúde
3 O sistema de saúde tem cor

Mais lidas