Ciência e Tecnologia

Mudanças no estilo de vida podem ajudar a evitar o Alzheimer

Especialista diz que o convívio com outras pessoas pode manter a saúde mental

Fatores associados ao estilo de vida, como o sedentarismo e a falta de convívio social, podem tornar o cérebro mais indefeso a problemas de raciocínio e memória. A constatação foi feita em estudo sobre a doença de Alzheimer, publicada na revista científica Lancet. O neurologista brasiliense Hudson Mourão observa que a interação social tem grande impacto para manter a saúde mental. “O enriquecimento do convívio social e o aprendizado são sempre agradáveis, além de encontrar um objetivo na vida”.

Segundo os pesquisadores, garantir uma boa educação na infância; evitar hipertensão, obesidade e tabagismo; gerenciar diabetes, depressão e perda auditiva relacionada à idade; ser fisicamente ativo e permanecer socialmente engajado na velhice são meios de prevenção para a doença de Alzheimer.

A teoria é que esses fatores juntos influenciam na resiliência do cérebro. O médico explica que a resiliência cerebral é a palavra mestre quando se trata de preservação cerebral diante das demências. “Não podemos ainda tratar o Alzheimer, porém podemos criar mais conexões para que as perdas neuronais sejam menos significativas”, complementa.

O professor de educação física Areolino Ribeiro, 60, busca uma rotina saudável para evitar os fatores de risco do Alzheimer. “Faço atividades físicas todos os dias, estou no curso de teatro, para ter interação com outras pessoas, e não deixo de fazer as palavras cruzadas”. Já a dona de casa Sônia da Cruz, 55, prefere praticar atividades ao ar livre. “Todos os dias, faço caminhada e zumba, tudo isso, faz muito bem para a minha mente. Além de conhecer outras pessoas, aproveito o tempo para sorrir e conversar”. O médico afirma que a prática de exercícios físicos mantém a saúde corporal, favorece a boa irrigação cerebral e a limpeza das impurezas acumuladas.

O estudo também sugere que os indivíduos façam uma dieta mediterrânea, com o consumo de verduras, azeite, peixe e vinho, sempre controlando a pressão arterial e que mantenha um peso saudável.

A doença de Alzheimer ainda não tem cura e os medicamentos ajudam a preservar o que restou da função cerebral, por isso manter hábitos saudáveis e realizar atividades para memória, faz o cérebro ficar mais ativo.

    Deixe uma resposta

    Turismo e Lazer
    Diga de onde vens e direi se te respeito
    Comportamento
    Medo de assédio leva mulheres a freqüentar boates gays
    Saúde
    3 O sistema de saúde tem cor

    Mais lidas