Educação

Oficina oferece trabalho diferenciado para crianças

Proposta é desenvolver capacidade social, psicomotricidade, interação e comportamento com as mais diversas atividades

Tags:
#oficinamirim

Atividades que desenvolvem a capacidade social, psicomotricidade, interação, comportamento, trabalho em grupo e individual. Assim surgiu o projeto Oficina Mirim, desenvolvido pelo empresário Henrique Machado, durante o trabalho de conclusão de curso em marketing. De forma lúdica, com alimentos, ele ensina cores e formas às crianças de diferentes idades. “As crianças estão muito presas as tecnologias, e não tem contato com as artes. E a intenção das oficinas são de fazer com que eles interajam, reconheçam as formas geométricas, pintem, desenhem”, diz Henrique.

Henrique Machado

Henrique Machado

Henrique explica que para a maioria dos participantes a empresa é a única com trabalho diferenciado, unindo culinária, arte e artesanato para meninos e meninas entre 3 e 10 anos. Ao ter o retorno tão positivo dos pais, isso instiga a equipe a criar sempre propostas novas para conquistar cada vez mais o mercado alternativo, a curiosidade das crianças e a querer aprender mais. “O nosso diferencial de todas as outras empresas, é que não entregamos nada pronto, são os mirins que produzem tudo. Passo a passo”, afirma Henrique.

Com o slogan Oficina Mirim igual mão na massa, toda semana são oferecidas atividades das mais diversas. Os trabalhos são divididos em dois momentos: no primeiro é contado a história do alimento que será produzido, e, no segundo, as crianças produzem. Tudo com supervisão de adultos.

As mães das crianças aprovam a iniciativa. A gestora em recursos humanos Kelly Garcia, mãe de Thalita, de 6 anos, afirma que a produção de alimentos pode influenciar o interesse por aquilo que se come. Segundo ela, a curiosidade da filha por aquilo que é oferecido já ocorria antes mesmo de participar da oficina, essas atividades propostas trabalham a questão da concentração, aprendizado, dentre outras modalidades, e que o contato com a cozinha é bem importante. A servidora pública Renata Dias, mãe de Liz, de 4 anos, concorda com Kelly. “De alguma forma o monitor ajuda a despertar o interesse nas modalidades que são importantes para o crescimento intelectual da criança. O contato com o alimento também é muito importante”, diz Kelly.

Para a pedagoga Maria de Fátima Guerra, a ideia desse tipo de oficina é interessante, mas deve ser observada com cautela. “A iniciativa pode ser fundamental ou não para o desenvolvimento da criança. Por exemplo, se ela for obrigatória, sé uma coisa que ela não quer, não gosta de ir, ao chegar lá, briga com outras crianças. Então existe uma adversidade”, analisa Maria de Fátima.

Apesar do alerta, a pedagoga também afirma que essas atividades podem, sim, colaborar na criatividade, no senso de responsabilidade, e incentivar a criança a ser mais sociável e comunicativa. Desta forma, com a diversidade de experiências, o que é importante para o desenvolvimento afetivo, cognitivo, e, no caso de crianças muito pequenas, auxilia ainda mais nas conexões cerebrais.

Como participar das oficinas

As oficinas são feitas por meios de parcerias com empresas, restaurantes e eventos que têm espaço para crianças. As inscrições são de graça e podem ser feitas pelo e-mail oficinamirim@gmail.com.

A cobrança ocorre apenas em eventos fechados, caso de aniversários.

Deixe uma resposta

Saúde
Anoushe Duarte aposta na acupuntura para o tratamento da hérnia de disco Aumento de peso na gravidez pode contribuir para ocorrência de hérnia de disco
Ciência e Tecnologia
Pauta 3 - 01 Na briga por clientes, restaurantes apostam em forma alternativa de publicidade
Esporte
Formação antes do início do treino da Legião Teutônica da Casa Germânica. Lutas medievais são praticada em Brasília

Mais lidas