Ciência e Tecnologia

Banheiros público do DF, uma realidade quase invisível

Plano Piloto conta com apenas cinco banheiros públicos, mas a situação deles é precária. Iniciativa privada busca alternativa para resolver

Banheiro público localizado no Setor Comercial Sul.

Banheiro público localizado no Setor Comercial Sul

Cinco. De acordo com a Administração do Plano Piloto, este é o número de banheiros públicos disponíveis no Plano Piloto, região administrativa do Distrito Federal com maior fluxo de pessoas. O número não compreende os banheiros dentro de espaços públicos, como rodoviária ou Teatro Nacional, mesmo assim impressiona.

Eles foram construídos em 2002, pela Cemusa, empresa privada responsável pela administração das paradas de ônibus da capital,e sofrem manutenção periodicamente da própria empresa. Porém, basta ir às ruas para ver que isso não tem acontecido.

Na verdade, é preciso caminhar um pouco para encontrá-los. De acordo com a Administração de Brasília, responsável pela contratação da Cemusa, os banheiros podem ser encontrados no Setor Comercial Sul, onde existem duas unidades. Próximo ao Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) há outro. E, ainda, no Setor Bancário Sul e mais um no calçadão da Asa Norte, no final da L2.

A disposição deles atrapalha a vida da população, que na hora da necessidade, sofre para encontrar um. E este não é o único problema. Outro ponto de reclamação é a qualidade dos banheiros.

Interior de um dos banheiros públicos do Setor Comercial Sul. O vaso sanitário está quebrado e a sujeira prevalece no ambiente.

Interior de um dos banheiros públicos do Setor Comercial Sul: 0 vaso sanitário está quebrado e a sujeira prevalece no ambiente

Faltam pias, papel higiênico, tampa no vaso, e em todos, a limpeza não acontece. Isso faz com que o lixo e os dejetos, que a população que usa, deixa por ali, fiquem acumulados.

“Eu não me preocupo em deixar sujo, porque eu nunca vi esse lugar limpo. Mas seria bom né. Poder usar algo limpo seria bom”, diz o morador de rua João de Souza, que costuma a usar alguns dos banheiros que ficam no Plano.

Banheiro público do Setor Bancário Sul trancado e impossibilitando o uso da população.

Banheiro público do Setor Bancário Sul trancado e impossibilitando o uso da população

Em uma das unidades visitadas, do Setor Bancário, o banheiro estava trancado. Havia sinais de que a propaganda na lateral dele tinha sido atualizada há pouco tempo, mas o local estava com o acesso bloqueado.

“Eu tô vindo da Esplanada pra poder usar esse banheiro. Porque hoje (sábado), os prédios estão fechados e o único banheiro de uso é esse do Setor Comercial”, afirma, indignada, a estudante Rafaela Lemos.

Mesmo quando o usuário busca alternativas para o uso, esbarra em dificuldades. Um dos principais banheiros do Plano fica na rodoviária, e apesar de

Banheiro público da rodoviária. Uma opção mal cuidada.

Banheiro público da rodoviária. Uma opção mal cuidada.

constantemente ter um fiscal de limpeza, a situação é pouco diferente dos demais.

 

“Eu não sabia que existiam banheiros públicos além desses da rodoviária, que são muito ruins, sujos e quebrados. Alguns nem assento na privada tem”, reclama a secretária Rayanne Silva.

Nova alternativa

Em função disso, uma empresária da capital, Adriana Kalil, tomou a iniciativa de mudar esse panorama. Ela comprou um ônibus e pretende transformá-lo em um banheiro ambulante para os moradores de rua que precisam de um lugar para tomar banho, fazer suas necessidades e até cortar os cabelos.

A iniciativa surgiu depois da empresária ver que parte da situação vivida pelos moradores rua é devido a falta de acesso a esses serviços.

“Toda vez que saia nas ruas via vários moradores de rua sujos e abandonados. Pensei numa forma de melhorar a situação deles. Uma forma de trazer a dignidade deles de volta”, explica Adriana.

O ônibus ainda não possui prazo para começar a circular pela cidade, pois Adriana precisa de ajuda para concluir a transformação proposta. Por enquanto, os espaços internos já estão sendo montados, e a empresária diz que está em contato com empresários que possam ajudar a bancar o projeto.

Em nota, a Secretaria de Estado de Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (SEDESTMIDH), afirmou que os cerca de três mil moradores em situação de rua no Distrito Federal. A pasta ressalta que possui diversas políticas assistenciais para pessoas nesta situação e que por mês são realizadas cerca de duas mil e trezentas abordagens. E que atualmente as unidades de acolhimento atendem até 445 em quatro locais do DF.

Já a Administração de Brasília afirmou que existe a intenção de adquirir novos banheiros públicos, mas licitação ainda não aconteceu. A Cemusa, responsável pela manutenção das unidades não respondeu sobre o estado dos banheiros.

Deixe uma resposta

Saúde
Anoushe Duarte aposta na acupuntura para o tratamento da hérnia de disco Aumento de peso na gravidez pode contribuir para ocorrência de hérnia de disco
Ciência e Tecnologia
Pauta 3 - 01 Na briga por clientes, restaurantes apostam em forma alternativa de publicidade
Esporte
Formação antes do início do treino da Legião Teutônica da Casa Germânica. Lutas medievais são praticada em Brasília

Mais lidas