Cultura

Centro de Dança do DF reabre as portas para bailarinos da capital

Artistas comemoraram a reabertura de espaço cultural desativado em 2013 para reforma

Tags:
Centro de Dança do DF Cultura dança

Bailarinos, artistas e produtores culturais receberam de volta o Centro de Dança do DF, principal espaço público destinado à prática. Após 5 anos, o local foi reaberto em 28 de fevereiro de 2018, em cerimônia destinada à comunidade. A reforma, financiada pela Terracap (Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal) com o valor aproximado de R$ 3,2 milhões, incluiu a instalação de piso apropriado para dança, construção de banheiros, renovação de sistemas elétricos e hidráulico, adequações para acessibilidade, entre outros aperfeiçoamentos.

Para o estudante Iago Gabriel Melo, a reabertura do Centro é uma conquista. Foi lá onde o bailarino participou pela primeira vez de uma aula de dança, em 2009. O IFB (Instituto Federal de Brasília), onde Iago cursa licenciatura em dança, era uma das instituições que utilizava a estrutura do centro para ministrar aulas práticas, antes da interdição. O estudante ressalta a importância de espaços como o Centro para difusão de danças não elitistas. “As academias de dança não vão dar aula de frevo ou de dança populares brasileiras. E ter um espaço desses é muito bom porque dá representatividade, se ele realmente for um lugar democrático para todos”, analisa.

O Centro de Dança do DF, fundado em 1993, é destinado a pesquisas, ensaios, oficinas e workshops desenvolvidos pela e para comunidade. Em 2009, o local passou a ser gerenciado pela Secretaria  de Cultura do DF. Importantes companhias do cenário artístico de Brasília, como os grupos Berton (de Andréa Horta), Proposta (de Denise Zenícola) e Stillo (de Rosa Coimbra), marcaram o início da utilização do espaço. A estrutura conta com cinco salas destinadas às práticas corporais, sete escritórios para gestão e produção, videoteca, jardim interno, salão de estar e cozinha. O objetivo é proporcionar à sociedade civil um espaço para formação, aprimoramento e difusão da dança.

Projeto PÉS trabalha com pessoas portadoras de deficiência

Projeto PÉS trabalha com pessoas portadoras de deficiência

Rafael Tursi, diretor do Projeto PÉS, não pensa diferente. O grupo, que trabalha com pessoas portadoras de deficiência através de técnica de teatro-dança, teve o segundo ano de trabalho no Centro, em 2012. “Logo depois o espaço fechou, assim como outros diversos espaços culturais da cidade, como o Renato Russo e o Teatro Nacional, então, temos cada vez mais uma escassez de espaços públicos culturais”, lembra.  Tursi espera que o local, agora de portas abertas, torne a arte e a dança cada vez mais acessíveis, tanto para quem assiste, quanto para quem produz. “Para gente, fazer parte de um evento como esse, ou estar enquadrado nos grupos que podem utilizar o espaço, é cada vez mais poder reafirmar que o que se produz é artístico, é dança e tem estética”, ressalta.

Nova gestão e programação para 2018

Em 2017, por meio de chamamento público, a organização Conexões Criativas foi selecionada para conduzir a programação do espaço junto à Secretaria de Cultura. A colaboração, baseada na Lei Federal 13.019/2014, está integrada ao programa “Lugar Cultura” e alinhada à Política de Estímulo e Valorização da Dança do DF.  O orçamento total para a realização das atividades é de R$ 600 mil para 10 meses de ação. A programação será desenvolvida a partir de três linhas:

Dança e Memória (28 de fevereiro a 17 de junho)

Dança e Diversidade (18 de junho a 16 de setembro)

Dança e Infância (17 de setembro a 15 de dezembro)

As atividades iniciaram dia 28 de fevereiro com a abertura da exposição fotográfica ‘’A história de que se dança”, que permanecerá até junho deste ano. A mostra, organizada por Marconi Valadares e Yara de Cunto, une 30 fotos de artistas e grupos que vêm construindo a cena da dança no DF. No mesmo dia também foram lançadas as primeiras convocatórias públicas para uso e ocupação do Centro de Dança. Mais Informações sobre as convocatórias e a programação podem ser encontradas em http://www.centrodedancadf.com.br

Cerimônia de Abertura

O evento de reabertura do espaço, em 28 de fevereiro, contou com a presença do governador Rodrigo Rollemberg e do secretário de cultura Guilherme Reis, além de porta-vozes da dança como a coreografa e bailarina Yara de Cunto. O governador reconheceu a importância da recuperação do espaço para a cultura brasiliense. “Aqui estarão todas as cidades, todas as linguagens da dança, transformando Brasília cada vez mais num templo da cultura”, declarou. Também marcaram presença grupos de dança da cidade que se apresentaram e ocuparam as cinco salas que dispõe o local.

O Centro de Dança do DF encontra-se no anexo I da Secretaria de Cultura SAN Quadra 01 VIA N-2, Setor Cultural Norte, próximo ao Teatro Nacional.

    Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

    Deixe uma resposta

    Cultura
    O taxidermista César Leão em seu ambiente de trabalho Brasília conta com dois museus de taxidermia
    Ciência e Tecnologia
    Telescópio do Planetário de Brasília Descubra qual a possibilidade de um meteoro atingir a Terra
    Esporte
    IMG_4988 Distrito Federal pode ser representado no skate na próxima Olimpíada

    Mais lidas