Esporte

Centro de Iniciação Desportiva é palco de talentos

Promessas do esporte brasiliense reveladas nos CIDs e sonham com Olimpíadas

Tags:
atleta amador Atletismo cid Nado Sincronizado

Vários alunos do ensino fundamental estão se tornando atletas através do projeto CID – Centro de Iniciação Desportiva.  Os CIDs foram criados com o objetivo de dar aos alunos da rede pública de ensino, de forma gratuita, acesso a atividades do esporte escolar. A intenção é garantir a iniciação ao treinamento com a possibilidade de profissionalização. Criado há mais de 30 anos, o CID já formou vários atletas profissionais.

As estudantes Thais Tertuliano, 13 anos, é um exemplo de potencial em desenvolvimento no projeto. Ela costumava jogar críquete pelas manhãs, até integrantes do Centro de Iniciação Desportiva passarem na escola dela para convidar alunos a praticarem atletismo, em 2015. Dois anos depois, ela representou Brasília na edição dos jogos escolares, em Curitiba (PR), onde disputou quatro provas de atletismo. “Acho que representar minha cidade foi uma emoção muito grande. Fiquei um pouco nervosa, mas tenho que aproveitar as oportunidades que chegam”. Ela competiu nas modalidades de corridas de 80 metros com obstáculos e de 800 metros, de arremesso de peso e de salto em altura. Toda segunda, terça e quarta-feira, Thais treina das 7h30 às 10h30 na pista de atletismo montada diante do Centro de Ensino Fundamental Cerâmica São Paulo, onde estuda, em São Sebastião.

Segundo o gerente de Educação Física e Desporto Escolar, da Secretaria de Educação, Luis Maurício Montenegro, responsável pela coordenação dos CIDs, o programa fornece treinamento esportivo com competência técnica para alunos da rede pública. “O projeto é uma parceria com as escolas públicas de Brasília, nós passamos no início do ano letivo convidando os alunos a praticarem esporte em nossos pólos.”

Outras modalidades

As grandes promessas dos CIDs não estão apenas no atletismo. As atletas do nado sincronizado do Complexo Poliesportivo Ayrton Senna ganharam bolsas de estudos para praticar o esporte no Colégio Mackenzie. São 11 meninas do conjunto.

As atletas conquistaram dezenas de títulos em 2016 e 2017, com os destaques para o primeiro lugar em duas das categorias disputadas no campeonato brasileiro, realizado em novembro do ano passado na Paraíba, e medalhas inéditas, 3° lugar Dueto Juvenil e 1° lugar Solo Júnior, no 5º Campeonato Interfederativo, no Rio de Janeiro.

Apesar das dificuldades naturais do nado sincronizado, Brasília tem superado as expectativas nas últimas competições graças ao projeto do CID, incentivado pelo colégio. O projeto está tomando proporções internacionais, tudo isso graças à técnica Simone Montenegro, que começou a trabalhar n Mackenzie em 2017. O convite partiu da experiência de Simone, que lecionava no CID Ayrton Senna. “Eu já trabalhava com nado sincronizado no CID e havia algumas meninas que estudavam aqui, que praticavam o esporte. Então, eu comecei a dar aulas e iniciamos a modalidade no fim de 2016”, conta. O colégio abriu as portas para o nado sincronizado, antes de o projeto em si começar, a escola já emprestava a piscina para os treinos nos fins de semana. Hoje, além da escolinha da modalidade, a equipe treina separadamente cinco vezes na semana. As atletas também fazem trabalhos de flexibilidade, natação e musculação a fim de alcançar resultados nos campeonatos.

A equipe ganhou medalhas inéditas no Campeonato Interfederativo

A equipe ganhou medalhas inéditas no Campeonato Interfederativo

A equipe foi formada recentemente. São 11 meninas entre 1 e 15 anos que se dividem entre treino e estudos. “A gente cobra tanto os estudos como os treinos, temos um programa que envolve todos os pontos”, explica Simone Montenegro. Apesar de todas as conquistas deste ano, a treinadora aposta alto mesmo é na temporada de 2018. Ela destaca que o foco está nas Olimpíadas de Tóquio em 2020. “Nossas atletas têm muito potencial e estamos certos de que o apoio que teremos a partir de agora será fundamental para nosso ideal, que é um dia disputarmos os jogos olímpicos”.

Luana Salvucci, 14 anos, e Yasmin Yamamoto, 15, formam o dueto de sucesso na psicina. Elas descobriram o esporte junto com a Simone. “Entrei por conta de recomendação médica, conheci aqui na escola mas era algo amador, no início fiquei um pouco receosa, mas hoje eu amo o esporte”, comenta Yasmin. Já Luana recorda que entrou por conta de uma amiga: “Minha amiga entrou para fazer nado sincronizado, e não parava de falar o quanto gostava, então fiquei curiosa, e me inscrevi também. Hoje não vejo eu fazendo outra coisa”.

Serviço

Os polos do CID estão localizados nas 14 Coordenações Regionais de Ensino e as inscrições são feitas em qualquer época do ano, diretamente com os professores. Basta levar uma declaração de escolaridade expedida pela unidade escolar. Depois de cada bimestre os professores conferem o boletim escolar do atleta possibilitando ou não o treino esportivo. São vários esportes, as aulas são gratuitas e ocorrem nos períodos matutino e vespertino, os horários são 2ª, 4ª e 6ª, com atividades desenvolvidas 7 horas às 11 horas, e 14 horas às 18 horas, para oferecer opções aos estudantes de qualquer um dos dois turnos.

Mais informações: http://www.brasilia.df.gov.br/centro-de-iniciacao-desportiva-cid/

Deixe uma resposta

Entrevistas
IMG_1885 copia Meio nerd ainda é masculinizado
Turismo e Lazer
_MG_1493 Inserção de alunos com autismo ainda apresenta desafios para escolas
Entrevistas
Marcos Roberto, segurando seu primeiro Livro "Semideus: O Retorno Divino" Mitologia e filmes inspiram livros e peças de artista de Brasília

Mais lidas