Cidades

Reforma traz transtornos para passageiros, motoristas e comerciantes na Rodoviária do Plano

A obra, que acontece desde 2014, vem alterando os locais de embarque e desembarque. Passageiros do BRT devem se dirigir a outra plataforma, agora.

Desde que a reforma na Rodoviária do Plano começou, em 11 de agosto de 2014, os funcionários que ficam nos quiosques prestando informações nas plataformas têm sido mais solicitados. Isso porque sempre tem uma ou mais linhas de ônibus fazendo embarque e desembarque em um box diferente do habitual.

No momento, a surpresa vem para os passageiros do BRT, que estavam acostumados a esperar a condução para Gama e Santa Maria na plataforma B e, agora, devem se dirigir à F.  Apesar das plataformas serem vizinhas, os passageiros perdem tempo procurando o local de embarque. ”O ônibus parava daquele lado de lá. Quando mudou, estranhei. Fiquei meio perdido, porque não tem sinalização indicando para onde a gente deve ir, aí, só perguntando mesmo”, diz o estudante Douglas Barbosa.

Novo ponto de embarque para os passageiros do BRT.

Novo ponto de embarque para os passageiros do BRT.

Além disso, os ônibus têm saído do terminal com atraso. “A gente também fica deslocado às vezes, mas quem sofre mesmo são os passageiros. Quando chega às 17h, a fila para o BRT está de dar volta. Desde que a linha veio para cá, a gente está atrasando uns 20 minutos para sair da rodoviária, porque antes os passageiros passavam pelo aquário, com três entradas. Já aqui tem que passar pela roleta”, diz o motorista do BRT, Marcelo Vasconcelos.

Segundo a Novacap, a reforma está andando no ritmo previsto e deve ser concluída em abril de 2019. O custo da obra é de R$ 26.502.221,41 e, até agora, foram gastos R$ 9.045.577,82. A empresa que inicialmente ganhou a licitação para comandar a obra teve o contrato cancelado por descumprimento, ainda em 2014. Apenas os banheiros haviam sido reformados. Agora, a obra segue sendo feita pela  ConcrEpóxi Engenharia.

A administração da rodoviária de Brasília admite que, de fato, há transtornos para as pessoas que passam por lá, mas que a circulação e o funcionamento dos transportes públicos no terminal estão preservados, já que a reforma está sendo feita por etapas. “Tudo aqui é muito antigo, já era para ter sido substituído há muito tempo. Hoje a reforma traz um pouco de transtorno, sim, por conta dessas alterações nos pontos de desembarque e o afunilamento de algumas passagens. Mas é necessário e a população vai ter uma Rodoviária nova e segura”, explica, Israel Ferreira, chefe do Núcleo de Permissões da Administração da Rodoviária.

Ele alega também que os comerciantes que têm as lojas instaladas nas áreas bloqueadas pela reforma não sofrem prejuízo. “Todos os comércios da plataforma A/B têm frente para os dois lados. Então, interrompeu a B, mas eles continuam tendo acesso aos clientes pelo outro lado e ainda podem vender normalmente”, afirma Ferreira.

No entanto, os lojistas reclamam do tumulto que se forma em frente ao comércio, que, na maioria das vezes, fica só com um dos quatro lados abertos para os clientes. A supervisora de uma pastelaria instalada na plataforma em obra, Bruna Reinaldo, se queixa de queda nas vendas. “Diminuiu bastante. A gente vendia bem mais antes da obra. Muita gente passa aqui em frente, mas desiste de comprar porque a fila está maior que o de costume. Vira uma bagunça pela quantidade de pessoas concentradas nesse lado da loja”, diz Bruna.

A reforma na rodoviária de Brasília inclui substituição da área total do piso; substituição das esquadrias em alumínio e vidros da galeria técnica; execução de novas instalações elétricas, eletrônicas e de lógica, hidráulicas, sanitárias e gás; execução de sistema contra incêndio; execução do sistema central de ar condicionado; instalação de brises no subsolo; reforma das áreas administrativas; execução de todos os equipamentos e sinalizações para acessibilidade; execução de sistema de exaustão mecânica nos sanitários; estucamento e pintura da laje das plataformas; recuperação da ferragem exposta das estruturas; execução de nova pavimentação de circulação dos ônibus incluindo baias; execução de nova rede de drenagem interna de águas pluviais; recuperação de mantas asfálticas dos pavimentos e execução de serviços de impermeabilização; substituição das grelhas metálicas dos estacionamentos do pavimento superior; reforma do mezanino e execução de rede para iluminação externa da edificação e baias.

IMG_4481

As obras no terminal têm previsão de término apenas em abril de 2019

Deixe uma resposta

Turismo e Lazer
As cartas estão presentes na história da banda e dos fãs. Misticismo e boa música envolvem a banda O Tarot
Economia
Carla De funcionário a microempreendedor
Saúde
Foto_1 Endometriose e a dificuldade de diagnóstico

Mais lidas