Educação

Escolas públicas do DF participam do Fórum Mundial da Água

O Centro Educacional Agrourbano Ipê foi uma das seis instituições públicas de ensino do DF escolhidas para apresentar projetos no evento

Baixar notícia

Seis escolas públicas do Distrito Federal apresentaram projetos de sustentabilidade no Fórum Mundial da Água. O evento internacional que ocorreu em Brasília entre os dias 18 e 23 de março teve como objetivo construir compromissos políticos e provocar ações em temas críticos relacionados à conservação e proteção dos recursos hídricos em todo o planeta.

O Centro Educacional Agrourbano Ipê apresentou no Fórum os projetos de preservação da água

O Centro Educacional Agrourbano Ipê apresentou no Fórum Mundial da Água os projetos de preservação da água

Entre as escolas escolhidas pela Secretaria de Educação do DF, o Centro Educacional Agrourbano Ipê, localizado na área rural do Riacho Fundo II, pôde mostrar para os participantes do evento projeto desenvolvido há mais de 10 anos que inclui captação de água da chuva, agrofloresta, aquoponia e compostagem. A proposta da escola de promover práticas sustentáveis vem desde 1995, com a intenção de apontar soluções para o uso sustentável da água.

O professor de geografia Rodrigo Chaves Toratani, 27 anos, explica que toda a água da escola é reutilizada. Segundo o docente, a água do bebedouro é utilizada para lavar o chão, a do banheiro é usada para irrigar as plantas e não há fossa na unidade de ensino.

Para ele, a participação da escola no evento é uma forma de reconhecimento do trabalho desenvolvido. Segundo Rodrigo, o projeto ultrapassa os muros da escola pois muda os hábitos dos alunos e da comunidade. Em suas aulas de geografia, aproveita o projeto para falar sobre a importância de não utilizar agrotóxicos no plantio de alimentos, pois eles prejudicam o meio ambiente e, principalmente, a água. “Para os alunos, participar desse projeto faz com que eles se tornem mais conscientes em relação à utilização da água”, afirma.

De acordo com a vice-diretora Gedilene Lustosa, ter um espaço no Fórum Mundial para demonstrar o trabalho, mostra para outras escolas como elas podem adotar esse tipo de postura e ação. “Assim estamos cumprindo nossa função de educador, demonstrando pra outras comunidades que é possível preservar e cuidar do meio ambiente”, completa.

A aluna Carolina de Oliveira, 15 anos, que participou da demonstração do projeto no fórum, conta que tem certeza da carreira que quer seguir: Biologia. “Estamos aqui recebendo o reconhecimento do mundo inteiro em relação ao nosso projeto. Com ele, aprendi métodos de cuidar do meio ambiente”, relata.

Segundo a diretora da escola, Sheila Pereira Mello, participar do evento é uma experiencia fantástica. Ela destaca que esse trabalho pode ser replicado para outras escolas. “Com esse projeto estamos valorizando o meio ambiente e as nossas nascentes, principalmente por estarmos em uma área rural. É uma mudança de pensamento da comunidade como um todo, mudar o mundo para questão de valorização da água e do meio ambiente.”

O Fórum Mundial da Água foi criado em 1996 pelo Conselho Mundial da Água para estabelecer compromissos políticos acerca dos recursos hídricos. O evento ocorre a cada três anos e já passou pelos seguintes países: Coreia do Sul (2015), França (2012), Turquia (2009), México (2006), Japão (2003), Holanda (2000) e Marrocos (1997).

 

 

 

Deixe uma resposta

Entrevistas
IMG_1885 copia Meio nerd ainda é masculinizado
Turismo e Lazer
_MG_1493 Inserção de alunos com autismo ainda apresenta desafios para escolas
Entrevistas
Marcos Roberto, segurando seu primeiro Livro "Semideus: O Retorno Divino" Mitologia e filmes inspiram livros e peças de artista de Brasília

Mais lidas