Esporte

Evento esportivo Torce movimenta centros olímpicos da cidade

A ideia é promover um intercâmbio esportivo entre os centros esportivos. A cada fim de semana, uma região administrativa recebe competições que envolvem de crianças a idosos

Você já ouviu falar no “Torce”? A competição, que ainda está tímida na comunidade brasiliense, é um dos maiores eventos esportivos do Distrito Federal.  Durante quatro meses, vão circular cerca de 5 mil participantes, divididos entre 18 modalidades olímpicas e paraolímpicas. Entre as modalidades estão: atletismo, basquete, bocha, boxe, ginástica rítmica, judô, karatê e, claro, o clássico futebol, que aparece de três modos areia, futsal e society.

O Torce – Jogos dos Centros Olímpicos e Paralímpicos do Distrito Federal – está em sua segunda edição e, neste ano, deu a largada com tema “Todos Diferentes, Todos Iguais”. A ideia é trabalhar o respeito e a valorização das diferenças de cada pessoa. Entre os competidores estão atletas de 4 a 17 anos, adultos e idosos. Para os pequenos e mais velhos, há as categorias adaptadas, coma a corrida de revezamento e a natação. No quadro de atividades tem até competições mistas. As competições ocorrem aos fim de semana e a cada encontro uma região administrativa sedia o evento.

Leandro e Romualdo veem no esporte uma chance de fazer a diferença

Leandro e Romualdo veem no esporte uma chance de fazer a diferença

O objetivo principal do Torce é promover o intercâmbio entre  os alunos. Para o gerente geral do Centro Olímpico da Estrutural, Leandro de Carvalho, a competição é um dos momento que o aluno tem para colocar em prática os aprendizados e valores que são ensinados nos treinos. Se por um lado eles está com seus colegas e professores e em um ambiente em que tudo é controlado e ele se sente confortável, nas competições ele entra em um ambiente desconhecido, onde o superar o adversário se torna o desafio.

“Quando o aluno do Centro Olímpico tem a oportunidade de estar com alunos e atletas esportistas de outros centro olímpicos e de outras instituições é ali, naquele momento, que ele coloca a prova todas as valências que ele aprendeu por meio do esporte. O esporte trabalha a atuação em equipe, a resiliência e a superação. Uma série de valores que são importantes não só no esporte como também para a vida”, explica Leandro.

Romualdo Dantas, gerente didático pedagógico do Centro Olímpico da Estrutural, explica que o evento esportivo é, também, uma forma de motivar e criar um elo de comprometimento dos jovens com o esporte e com a vida escolar.  “O Torce motivou os alunos a serem mais frequentes nas aulas e, com isso, diminuiu a evasão. E isso fez com que a gente entendesse que há uma evolução natural. Se ele participa mais das atividades, ele vai entender melhor as regras de cada modalidade, vai compreender os princípios que o nosso professor passa e isso faz com que ele evolua naturalmente, como atleta e como cidadão.”

MAIS DO QUE VENCER

Competições à parte, o que se destaca é a interação entre as equipes. Aqui, os times se tornam uma grande família. É o que a jogadora de society Amanda Ayres, 25, sente quando está com as companheiras de time do Riacho Fundo. O time formado por mulheres de 18 a 36 anos apresenta nas competições o companheirismo e a amizade conquistada nos treinos.

Do campo para as quadras, o time de basquete da Estrutural também é exemplo de união. Kalil Reis tem 14 anos e os olhos brilham quando começa a falar do time de basquete, esporte que ganha destaque no coração do menino. No Torce ele encontrou a superação. “A gente vem treinar todo dia para mostrar o quanto a gente quer estar aqui, nos esforçamos, damos o melhor da gente. E o incentivo que os professores dão só ajudam a gente a evoluir mais.”

É jogando basquete que Kalil se sente completo

É jogando basquete que Kalil se sente completo.

Na beira da quadra, com olhar atento e muita energia, a técnica do time de basquete, Dameles Lopes, acompanha cada passo dos seus atletas. Ela motiva e comemora cada ponto. O desejo é que o time alcance a vitória, mas ela também deixa claro que o papel do esporte vai além. “O esporte traz conhecimento e novas perspectivas. Os alunos começam a ver isso como algo futuro que pode trazer um benefício na vida pessoal e profissional.”

A competição esportiva vai além das vitórias nos jogos. Ao final da edição, uma festa de encerramento celebra o esporte no Distrito Federal e premia os atletas que se destacaram no fair play – atletas que jogam de forma leal, com as regras claras – e trabalham a empatia, mostrando que o resultado do jogo não é o principal.

“O nosso maior benefício é ver o resultado positivo que o esporte traz para vida dos nossos alunos. A convivência em família, em comunidades como a Estrutural, que tem diversos problemas estruturais, e ver que por meio do esporte os nossos alunos começam a vislumbrar a possibilidade de ter um futuro melhor”, orgulha-se Leandro de Carvalho.

O Torce é realizado pela Fundação Assis Chateaubriand (FAC), com apoio da Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer do Distrito Federal. Hoje, a FAC faz gestão de sete Centros Olímpicos de Brasília – Estrutural, Ceilândia (Setor O),  Parque da Vaquejada, São Sebastião, Sobradinho, Riacho Fundo e Samambaia. No total são 12 Centros Olímpicos no Distrito Federal.

Quer entrar na torcida? O Torce vai até novembro e a programação é divulgada semanalmente na página do facebook (Centro Olímpico e Paralímpico DF). A entrada é gratuita e toda a comunidade pode participar.

    Deixe uma resposta

    Trust Paper Writers
    Solution of this problem that is main of: to order term paper from professionals
    Paper Writing Services
    Observation essay writing tips and topics: useful information for pupils
    Essay Shmessay
    Just how to Excel Well In MBA Essay Writing? Strategies for perfectly pitched essays

    Mais lidas