Esporte

Instituto brasileiro responsável por lecionar novos samurais completa 25 anos em 2018

Mundial de kenjutsu será realizado durante a celebração, em outubro

Tags:
Kendo Kenjutsu Niten

Neste ano, o maior instituto brasileiro voltado ao ensino das tradições e técnicas dos samurais completa 25 anos. Fundado em 1993, por Jorge Kishikawa, na cidade de São Paulo, o Instituto Niten conta com 40 unidades em todo o Brasil, também presente na Argentina, Chile, Colômbia, Uruguai, México e Portugal. A celebração será feita no mundial de kenjutsu, durante os dias 20 e 21 de outubro em São Paulo. O evento reunirá alunos e instrutores de todas as unidades Niten pelo mundo.

Responsável por pavimentar o caminho dos novos samurais na capital federal, o Instituto Niten de Brasília completou, em maio, 15 anos de atividade. O instituto dispõe de cinco centros de treinamento e média de 85 alunos inscritos. A instrutora responsável pela unidade Niten de Sobradinho, Silvana Lopes, destaca que as aulas ocorrem de terça a sábado em uma unidade diferente por dia.

“Na terça-feira, temos a prática do Iaijutsu; quarta-feira, em Sobradinho, é ensinado somente o Kenjutsu; quinta-feira, na Asa Sul, os treinos são de Kenjutsu e Jojutsu; sexta-feira, no Guará, é dia de Kenjutsu; sábado, no Lago Sul, todas as modalidades são ensinadas junto a aula para crianças chamada de Jovem Kir”, destaca Silvana.

No instituto é ensinada a prática das antigas artes marciais japonesas chamada de Kobudo. Os três principais estilos que podem ser aprendidos no Niten são o Kendo-Kenjutsu, o Iaijutsu e o Jojutsu. O responsável técnico por toda a unidade de Brasília do Instituto Niten, Patrick Lopes, acrescenta que o modelo de ensino utilizado faz parte de uma padronização de aulas e treinos estabelecidos pela sede do instituto. “Existem encontros feitos de forma quase trimestral quando vamos para São Paulo fazer uma atualização técnica e manter toda a estrutura do instituto funcionando”, acrescenta Patrick. A padronização das aulas funciona em todos os centros Niten espalhados pelo país.

A instrutora Silvana afirma que a estrutura auxilia na inserção dos alunos em outros dojos. “O aluno pode praticar em qualquer uma das unidades existentes no mundo se quiser”, afirma. “Estava buscando várias atitudes da filosofia que acho que são importantes para ele”, conta o designer gráfico Eduardo de Oliveira que levou seu filho de 12 anos para uma aula experimental no instituto.

Durante os treinos são utilizados o Bogu equipamento de proteção e a Shinai espada de bambu.  Os equipamentos tem a função de realizar os combates sem o risco de lesões causadas pelo força dos golpes.

Durante os treinos são utilizados o bogu, equipamento de proteção, e a shinai, espada de bambu. Os equipamentos têm a função de realizar os combates sem o risco de lesões causadas pelo força dos golpes

O Kenjutsu do Instituto Niten

O Kenjutsu é uma arte marcial japonesa realizada com espadas e armadura, criada pelos samurais japoneses por volta de 1281. Patrick conta que por mais de 600 anos as tradições e técnicas dos samurais foram passadas adiante, dessa maneira vários tipos de estilos de Kenjutsu foram originados, dentre eles o popularmente conhecido Kendo. “O Kendo é um estilo de luta que simplifica a quantidade de técnicas e posturas que existem no Kenjutsu, ao criar um combate baseado em golpes básicos a partir de uma só postura.”

Através do aprendizado de sequências antigas dos samurais, chamado de Kobudo, o fundador do Instituto Niten, Jorge Kishikawa, criou uma modalidade chamada Kenjutsu, combate que adapta os ensinamentos antigos do Kobudo com a luta de armadura. “A luta já existia e os estilos também, só que eles eram duas coisas separadas. O que ele fez foi unir os estilos antigos e aplicar eles dentro da luta de armadura”, explica Patrick.

Para Manoel Benício, professor de Educação Física do IESB, especialista em treinamento de força e fisiologia do exercício, o Kenjutsu combate leva a sensação de um combate real para os praticantes. “Podemos nos aproximar do que os samurais sentiam em um combate com total segurança com armadura Bogo e com a espada de bambu Shinai”, revela Benício.

Dentro dos combates de Kenjutsu, as lutas são divididas em um ponto, um golpe perfeito define a luta. A validação dos pontos fica a cargo dos juízes que acompanham a luta e avaliam o tipo de golpe usado e a qualidade de sua execução.

Editoria de Esportes - Kendo 07x

Torneios e eventos

O instituto realiza regularmente torneios internos, dentre eles os principais são feitos em São Paulo, reunindo todas as unidades do Niten, um por equipes e um individual. Em Brasília é realizado o torneio regional de Kenjutsu com todas as unidades do DF e a unidade de Goiânia.

Patrick afirma que o objetivo é trazer contato com outras unidades e criar uma aula em conjunto onde todos possam aprender e crescer pessoalmente. “Alguns esportes se banalizaram a ponto de virar simplesmente uma competição e somente uma busca por medalha. No Niten tanto a parte física quanto o desenvolvimento pessoal são construídos. O importante é colocar valores e princípios do nosso treino e dos samurais.”

Para a coordenadora da unidade de Sobradinho, Silvana Lopes, os estudantes são preparados para a ideia de liderança, dessa forma outras unidades se formam, como é o caso do responsável pela unidade do Guará, Mauro Levantezi.“É um processo em desenvolvimento, eu fui aluno e com o passar do treinamento me colocaram  como monitor, então eu comecei a ajudar nos treinos. Foi um processo de formação, é uma escada, digamos assim.” A unidade começou em fevereiro desse ano no colégio Maxwell, no Guará.

Editoria de Esportes - Kendo 10x

 

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Entrevistas
Entrevista Inovar é saber como os outros se comportam
Cidadania
Foto: Ingrid Pires Projeto leva esporte e música a adolescentes em Sobradinho
Cidades
Placas que sinalizam as saídas do parque, quando existem, estão degradadas. Parque da Cidade precisa de sinalização

Mais lidas