Comportamento

Sinceridade excessiva pode ser problema

Psicóloga aponta que quando comunicação é disfuncional torna-se agressividade

Tags:
#sincericídio#comportamento#sinceridade#disfuncional

A sinceridade pode ser uma qualidade, mas também tornar-se sinônimo de problema e agressividade. Popularmente, quando o excesso de franqueza se transforma em algo que causa desconforto é chamado sincericídio. A psicóloga Vera Lemos explica que a diferença está  na disfuncionalidade da sinceridade, algo nada positivo. “O problema do ser humano é a comunicação. Os sincericidas trabalham muito com a verdade desamor, é a verdade que não existe nenhum interesse afetivo e positivo”.

A autônoma Carolina Santana  relata que sente que as pessoas se afastam e diz que não sabe como contornar situações assim quando é excessivamente sincera. “Depende da situação, mas sempre falo a verdade. Não falo coisas para tentar ficar agradando”, confessa. Para a psicóloga, o comportamento representa uma distorção da sinceridade, sobretudo em época de redes sociais. “Sincericidas normalmente não têm autoestima”. Ela ainda afirma que a sociedade atual incentiva muito o excesso de franqueza, que muitas vezes resulta na falta de educação.

Carolina afirma que sempre se considerou um pessoa muito sincera e que nunca viu problema em falar o que pensa. “Sou agressiva quando estou certa, já fui pior. Hoje tento ser mais tranquila com isso”, diz. Atualmente, ela tenta amenizar essas situações, com conselhos de pessoas mais próximas que perceberam que o comportamento a atrapalhava.

Estudante Davi Valin, que considera a sinceridade uma questão de senso

Davi Valin considera a sinceridade uma questão de senso

Já o estudante Gabriel Costa acredita que muitas pessoas não sabem como lidar com a situação. Para ele, é comum, simples e confortável ser sincero.  “Por mais que eu possa ou não concordar, eu tenho como obrigação respeitar a opinião das outras pessoas, afinal respeitar a opinião dos outros é a peça fundamental para o bom convívio”, relata ele. Gabriel ainda diz que nunca dá uma opinião sem ser questionado ou convidado para a conversa. “Jamais entro em um assunto que não fui chamado. Se me pedirem a opinião sincera, eu a darei na íntegra, seja positiva ou negativa”, conclui.

O estudante Davi Valin relata que a sinceridade, às vezes, está relacionada ao senso de cada um e depende muito  com quem se está lidando. “Já tive alguns problemas, seja com mãe, com amigos,  acho que às vezes sou muito impulsivo, talvez isso colabore para falar muitas coisas que a pessoa não quer ouvir”, opina o estudante. A também estudante Bruna Fernandes afirma que lida bem com a sinceridade e acha até que ajuda as pessoas a enxergarem algo necessário. “Falo com pessoas mais próximas, amigos e familiares. Tento não exagerar, porque a pessoa não percebe que precisa saber a verdade”, opina a jovem.

Estudanet Bruna Fernandes, afirma que a  sinceridade pode ajudar amigos

Bruna Fernandes afirma que a sinceridade pode ajudar amigos próximos

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Cultura
O taxidermista César Leão em seu ambiente de trabalho Brasília conta com dois museus de taxidermia
Ciência e Tecnologia
Telescópio do Planetário de Brasília Descubra qual a possibilidade de um meteoro atingir a Terra
Esporte
IMG_4988 Distrito Federal pode ser representado no skate na próxima Olimpíada

Mais lidas