Cidadania

Alunos do IESB se organizam em grupos que vão desde ofertas de carona a doação de sangue

Os estudantes decidiram se mobilizar devido à recente crise dos combustíveis no DF e também para informar quem não conhece os passos para doar sangue e medula óssea

Alunos do Centro Universitário IESB têm se empenhado entre si para fazer acontecer algumas das vontades deles, usando a ferramenta que eles mais usam no dia a dia: o WhatsApp. E com isso, além dos grupos das turmas, acabaram criando grupos para ajudar quem precisa.

É o caso das alunas Tamara Rodrigues e Aline Mendonça, que cursam o 6º semestre de psicologia. Elas criaram o grupo “Salvadores de vidas” para passar conhecimento e recrutar doadores de sangue e medula óssea. Aline, ao saber que Tamara também era doadora de sangue e medula óssea, decidiu se juntar para recrutar alunos do IESB. “Após ela me dizer sobre a ideia, eu topei na hora, porque acho muito interessante esses tipos de ações sociais”, pontua Tamara. Depois de falarem com uma professora que faz parte do Naad (Núcleo de Apoio e Atenção ao Discente) do IESB, receberam apoio e agora estão tentando negociar com o marketing d0 Centro Universitário para fazer um anúncio grande.

As alunas Tamara Rodrigues e Aline Mendonça no Hemocentro onde fizeram o treinamento para recrutar jovens para doar sangue e medula óssea

As alunas Tamara Rodrigues e Aline Mendonça no Hemocentro onde fizeram o treinamento para recrutar jovens para doar sangue e medula óssea

Tamara ainda explica que elas fizeram o treinamento de multiplicadoras, oferecido pelo Hemocentro, que dá as meninas o know-how para repassarem informações para pessoas que querem ser doadores de sangue e medula óssea, mas ainda não sabem como. Felizmente, o Hemocentro está com agenda lotada até julho para recepção de grupos de doadores. “Já fizemos reserva para o mês de novembro, mas por enquanto, não temos nenhuma data mais próxima devido a lotação. Só a partir de julho que eles tem agenda e horários disponíveis para receber os grupos”.

Já a estudante do primeiro semestre de psicologia, Júlia Fernandes, viu na recente greve dos caminhoneiros e grise dos combustíveis no DF uma oportunidade para ajudar os outros. “A faculdade parou! As pessoas não conseguiam vir e acabou atrasando o conteúdo”, aponta Júlia. Por sempre dar carona para os colegas de sala, durante a crise, a estudante viu que poderia expandir essa ideia. “Naquela época, eu também estava sem carro porque esqueci de abastecer e tinha que ir de Uber, mas a maioria das pessoas não tem condição de ir de Uber. Então pensei em fazer alguma forma em que todos se beneficiem e que continuem na ativa depois da crise”, aponta Júlia.

Inspirado por um grupo de sua igreja com o mesmo propósito, o grupo criado por Júlia já conta com mais de 120 estudantes do IESB e a intenção é ir mais longe, quem sabe com um aplicativo gratuito de caronas para estudantes de universidades. “Tem alunos que vem de Luziânia, e de outros lugares que também são muito distantes. Uma boa parte volta à noite, pega mais de uma hora de ônibus, chega em casa 23h, 0h. Se essas pessoas conseguirem contato de outras de outros cursos, de outros semestres que vão para o mesmo local, facilitaria a vida delas”, conclui Júlia.

Grupo no WhatsApp com alunos que ofertam e pedem caronas para os campi do IESB

Grupo no WhatsApp com alunos que ofertam e pedem caronas para os campi do IESB

Caso o estudante queira entrar no grupo para doação de sangue e medula óssea, basta entrar em contato com as estudantes Tamara e Aline:

Tamara Rodrigues – (61) 99182-0922
Aline Mendonça – (61) 99639-2052

Já para o grupo de caronas, basta clicar no link de acesso pelo celular:

https://chat.whatsapp.com/DkGrvAWI1SZGFXDO05mRX3

Deixe uma resposta

Turismo e Lazer
As cartas estão presentes na história da banda e dos fãs. Misticismo e boa música envolvem a banda O Tarot
Economia
Carla De funcionário a microempreendedor
Saúde
Foto_1 Endometriose e a dificuldade de diagnóstico

Mais lidas