Educação

Exército capacita universitários para aproximar-se da academia

Cursos conjuntos entre universitários e oficiais das Forças Armadas contam com viagens, palestras e simulação de zonas de conflito

Tags:
assessoria cidades curso Ecam estagio exército

No Brasil, o Exército cumpre um papel desconhecido por muitos: cursos de instrução para universitários em todas as regiões do país. O Exército oferece desde palestras em vários temas como comunicação, até viagens para várias regiões do país dando lições como “Adaptação à Vida na Selva”. Os estágios têm como objetivo principal mostrar como funcionam as estruturas do Exército e sua rotina.

Um desses cursos foi o Estágio de Correspondentes para Assuntos Militares (Ecam), em sua oitava edição, realizado no mês de junho com alunos de Brasília. A atividade teve o objetivo de familiarizar os futuros profissionais de mídia com as particularidades das atividades desenvolvidas pelas Forças Armadas. No decorrer do Ecam, aconteceram palestras e práticas na área de jornalismo, além de oficinas de instrução de natureza militar, com simulações de progressão em áreas de conflito.

O coordenador do curso, Coronel Fábio Montini, considera importante a participação da academia para ajudar na divulgação da imagem das Forças Armadas. ”Nós temos a preocupação de preservar e fortalecer a imagem do exército. Precisamos mostrar o nosso esforço para esses públicos e o trabalho que a instituição faz em prol da sociedade. E um desses públicos escolhido importantes na nossa sociedade é justamente o universitário, particularmente os alunos do curso de comunicação social.”

Victória Fernandes (A esq.), considera o curso de grande ajuda em sua vida profissional.

Victória Fernandes (A esq.) considera o curso de grande ajuda em sua vida profissional.

Para a estudante de jornalismo Victória Fernandes, o curso oferece auxílio para o exercício do jornalismo em regiões de conflito. “Poder me preparar através de simulações para situações que posso vivenciar no exercício da profissão, noções de primeiros socorros, noções de segurança… São de grande ajuda.”

Outro curso para acadêmicos é o Projeto Formadores de Opinião, dando oportunidade de alunos e professores conhecerem as atividades do Exército Brasileiro na Amazônia, como os pelotões de fronteira e regiões de difícil acesso.

O professor do curso de publicidade do IESB Edson Souza, um dos que participaram da edição de 2017, esclareceu os objetivos do projeto. “No ano passado viajamos para a floresta amazônica. O objetivo é  formar opinião sobre a atuação do exército no Brasil e tirar o estigma de um exército do tempo do regime militar. O que se pode ver é que o exército nas regiões mais afastadas do Brasil, ele é a segurança, saúde, esporte e sustentabilidade social.”

A jornalista Isadora Teixeira, na época estudante, também foi uma das integrantes do curso e criou uma reportagem multimídia sobre a viagem. Ela destacou algumas situações de sua experiência: “A viagem à Amazônia com o Exército foi incrível, especialmente por ter sido a minha primeira de avião. Não sabia que o Exército trabalha de uma maneira tão próxima e humana com a população do Norte, principalmente nas regiões mais isoladas”.

A relação entre o Exército e os estudantes trabalhada no curso mostra o papel das assessorias em reforçar a imagem de cada organização

A relação entre o Exército e os estudantes trabalhada no curso mostra o papel das assessorias em reforçar a imagem de cada organização

A professora do curso de jornalismo Candida Mariz comenta sobre as ações que o Exército efetua para promover sua imagem, uma das missões das assessorias de imprensa. “Isso é uma ação de relacionamento com o público jovem com qual o Exército, no caso, ou qualquer outra organização, pode usar para reforçar sua imagem. Os próprios jornalistas podem ser convidados numa ação como essa. É uma maneira desses públicos, vivenciando de perto as ações da organização, criarem uma imagem positiva a respeito.”

Candida ainda destaca cuidados que as assessorias devem tomar e outras formas de levantar a imagem da organização. “É preciso ter um departamento de comunicação com verbas suficientes para essa empreitada bem como estar bem preparado, porque uma falha pode reverter o efeito positivo que se deseja criar. Outra estratégia nesta linha são os prêmios, voltados para a imprensa ou para o público de relacionamento.”

    Deixe uma resposta

    Entrevistas
    Entrevista Inovar é saber como os outros se comportam
    Cidadania
    Foto: Ingrid Pires Projeto leva esporte e música a adolescentes em Sobradinho
    Cidades
    Placas que sinalizam as saídas do parque, quando existem, estão degradadas. Parque da Cidade precisa de sinalização

    Mais lidas