Cultura

Brasília conta com dois museus de taxidermia

Conheça o universo da prática que busca conservar uma aparência de vitalidade em animais mortos

O DF têm dois museus com acervos exclusivos de taxidermia. O Museu de História Natural do Zoológico e o Museu de Anatomia Veterinária (MAV) da Universidade de Brasília (UnB). O taxidermista e curador do Museu de Anatomia Veterinária da UnB, César Leão, diz ter cerca de 1800 peças expostas, entre animais taxidermizados, osteotécnicas (preservação de esqueletos) e preservação em meio líquido. Já a diretora do Museu de História Natural, Amina Razoni, afirma ter 400 peças expostas no Zoológico.

Parte do acervo do  Museu de Anatomia Veterinária da UnB (MAVUnB)

Parte do acervo do Museu de Anatomia Veterinária da UnB (MAVUnB)

Segundo Amina, o processo de taxidermização se inicia após ser registrado o óbito do animal. “A maioria dos zoológicos taxidermiza animais do próprio plantel (grupo de animais)”, explica Amina. De acordo com César Leão, a pele do espécime deve ser limpa e inserida em um líquido curtidor, no processo conhecido como curtume. Enquanto o curtume é feito, o taxidermista deve erguer a carcaça do animal e engessá-la para tirar um molde. “A partir desse molde eu uso uma espuma expansiva de poliuretano para tirar um positivo desse molde”, explica César. Com este positivo César passa a trabalhar o molde como uma escultura, dando forma e sustentação para um boneco que será vestido com a pele do animal.

O taxidermista com formação em artes plásticas Carlos Wolfgang trabalha no MAV UnB, junto com César, e compartilha a visão que tem sobre a prática. ”Eu não acho que taxidermia seja arte. Ela usa de processos artísticos, mas ela é ciência, por ter uma regra para cumprir”, expõe Carlos. Já César acredita, sim, que a taxidermia seja arte.“ Meu objetivo é alcançar uma  perfeição em que as pessoas não consigam discernir se está vivo ou morto”, afirma César.

O corretor imobiliário Paulo César Silva diz gostar de levar os filhos ao zoológico, e conheceu pela primeira vez o Museu de História Natural. ”Essa parte do museu nunca tínhamos conhecido antes. Gostei muito e meus filhos também gostaram, é muito informativa”, conta Paulo.

Onde e quando visitar

O Museu de História Natural do Zoológico de Brasília está situado em frente a administração do zoológico, a entrada é 10 reais e a meia entrada, 5. O horário de funcionamento é de terça-feira a domingo, das 8h30 às 17 horas incluindo feriados. Mas o museu conta com visitas guiadas apenas durante a semana.

O Museu de Anatomia Veterinária da UnB fica na L4 Norte, em frente ao Hospital Veterinário. A entrada é gratuita e encontra-se aberto ao público apenas durante a semana, das 9 às 18 horas. Grupos pequenos podem visitar sem agendamento, porém grupos grandes devem marcar com antecedência pelos telefones (61) 3107-2817 ou (61) 98264-9790.

Entrada do Museu de História Natural do Zoológico

Entrada do Museu de História Natural do Zoológico

    Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

    Deixe uma resposta

    Ciência e Tecnologia
    Telescópio do Planetário de Brasília Descubra qual a possibilidade de um meteoro atingir a Terra
    Esporte
    IMG_4988 Distrito Federal pode ser representado no skate na próxima Olimpíada
    Saúde
    O aplicativo é simples de usar Aplicativo promove atendimento gratuito em clínicas particulares

    Mais lidas