Esporte

Distrito Federal pode ser representado no skate na próxima Olimpíada

O esporte que estará nos próximos jogos olímpicos conta com a organização da Confederação Brasileira de Skate para a criação da seleção brasileira de 2019

Tags:
atletas Esporte jogos olimpicos Olimpíadas seleção brasileira de skate skate

A partir de 2020 o skate será uma das novas modalidades presentes nos jogos olímpicos de Tóquio, no Japão. A Confederação Brasileira de Skate (CBSK) é a responsável pela principal competição nacional, que formará a seleção brasileira de 2019. O Distrito Federal conta com grandes nomes do esporte para representar a capital nas competições. Entre eles estão Lehi Leite e Felipe Gustavo Macedo.

O skate surgiu nos anos 60 e ganhou espaço nos jogos olímpicos de 2020

O skate surgiu nos anos 60 e ganhou espaço nos jogos olímpicos de 2020

Segundo a CBSK, o skate brasileiro surgiu nos anos 60 no Rio de Janeiro, mas ficou conhecido apenas nos anos 70. Em 1976 foi construída a primeira pista do Brasil e da América Latina em Nova Iguaçu (RJ). Muito aconteceu entre a inauguração dessa pista e os anos atuais. O skate que antes era considerado esporte de rua, hoje conquistou espaço na maior competição de esportes do mundo.

Existem mais de 10 modalidades do esporte, entre elas os estilos park, pool, street, vertical, mini ramp e megarampa. Entretanto, apenas as modalidades park e street foram adicionadas ao programa olímpico. A CBSK foi a responsável por criar o circuito STU Qualifying Series 2018, onde, em 10 etapas – cinco de cada modalidade, para a formação da seleção brasileira de skate tanto feminina quanto masculina de 2019.

A Federação de skate do Distrito Federal (FSKT) trabalha para conquistar espaço nas políticas públicas para que assim, possam atender demandas de instalações de rampas para a prática do esporte, do ensino público e de ações sociais que tenham o skate como forma de orientação no desenvolvimento humano. Entre 2014 e 2018 mais de 40 atividades foram desenvolvidas pela FSKTDF e foram desenvolvidos 16 projetos de novas pistas para a prática do esporte.

O brasiliense Lehi Leite é um grande representante do skate em Brasília, pois atingiu a categoria máxima do street skate e se tornou reconhecido como profissional do esporte no início de 2017, pela Confederação Brasileira de Skate.  “Sou muito feliz por ter conseguido chegar até aqui, mas isso é só o começo de uma nova fase. Agora é o momento de organizar melhor meus projetos com os patrocinadores para ter uma carreira longa como skatista profissional”, conta. Lehi é considerado um dos maiores representantes do DF na competição que formará a seleção brasileira.

O Parque Deck Sul em Brasília é frequentado por skatistas amadores e profissionais

O Parque Deck Sul em Brasília é frequentado por skatistas amadores e profissionais

Atualmente Lehi é patrocinado por marcas como a Kronik e a Hocks, que oferecem diversos produtos assinados por ele. A linha assinada por Lehi inclui shapes de skate, coleções de roupas e tênis e podem ser encontradas em lojas especializadas no esporte ou diretamente nas lojas das marcas.

Um skate profissional custa em torno de R$ 300, mas aqueles que estão no início do aprendizado podem encontrar skates mais simples por um custo um pouco mais baixo. O uso de equipamentos de segurança, tais como joelheiras, capacete e cotoveleiras, é fundamental para a prática do esporte.

 

 

 

 

 

 

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Cultura
O taxidermista César Leão em seu ambiente de trabalho Brasília conta com dois museus de taxidermia
Ciência e Tecnologia
Telescópio do Planetário de Brasília Descubra qual a possibilidade de um meteoro atingir a Terra
Saúde
O aplicativo é simples de usar Aplicativo promove atendimento gratuito em clínicas particulares

Mais lidas