Cultura

Fotojornalismo em luto

Considerado um dos mais importantes fotojornalistas brasileiros, Gervásio Baptista morre aos 96 anos

Tags:
Brasília fotografia Fotojornalismo Homenagem luto

Nascido em 19 de junho de 1923, em Salvador, Gervásio Baptista se apaixonou pela fotografia aos 12 anos de idade. De acordo com as informações do seu acervo pessoal, começou a vida profissional no jornal “O Estado da Bahia”. Aos 27 anos, a convite do dono dos Diários Associados, Assis Chateaubriand, em 1950, se mudou para o Rio de Janeiro, para trabalhar no O Cruzeiro.

Registrou sete Copas do Mundo, 16 concursos de Miss Universo, presenciou a Revolução Cubana, a Revolução dos Cravos, em Portugal, e acompanhou a queda do ex-presidente argentino Juan Domingo Perón.

Gervásio Baptista na guerra do Vietnã

Gervásio Baptista na guerra do Vietnã

Credencial 001 do Palácio do Planalto

Trabalhou para a revista Manchete, da editora Bloch, desde a primeira edição. Com a extinção da revista, foi para o Palácio do Planalto onde ficou conhecido como o “fotógrafo dos presidentes”. Dono da credencial de imprensa número 001 do Palácio do Planalto, acompanhou desde Juscelino Kubitschek até Luiz Inácio Lula da Silva.

Morou em Brasília por quase seis décadas e é considerado decano da profissão pela Associação Brasileira de Imprensa. Em mais de 70 anos de atividade profissional, Baptista documentou boa parte da história da República brasileira, além de missões no exterior como correspondente na Guerra do Vietnã. É de sua autoria a famosa foto de Juscelino Kubitschek acenando com a cartola para o povo. Outra imagem histórica é de Tancredo Neves ao lado da mulher, dona Risoleta, e da equipe médica, no Hospital de Base. Último registro público de Tancredo vivo.

Juscelino Kubitschek acenando para o povo, na inauguração de Brasília

Juscelino Kubitschek acenando para o povo, na inauguração de Brasília

No dia 5 de abril de 2019, morreu aos 96 anos, de causa naturais, em uma casa de repouso de Vicente Pires, onde morava desde 2015. Neste lar, recebia com frequência a visita de amigos, fotógrafos e fotojornalistas com quem trabalhou e compartilhou experiências ao longo de toda carreira. Seu corpo foi velado no dia 9/04, n0 campo da Esperança, na Asa Sul.

Últimas homenagens

Em 2018, foi condecorado com a Medalha Ranulpho Oliveira, da Associação Baiana de Imprensa, destinada aos maiores nomes do jornalismo que trabalharam na imprensa da Bahia.

Sua última aparição pública é recente. Em janeiro de 2019 esteve na Galeria Olho de Águia, em Taguatinga, para a inauguração da mostra fotográfica feita em sua homenagem. A exposição fez parte do Projeto Imagem sem Fronteiras, idealizado pelo fotojornalista e amigo, Ivaldo Cavalcante.

Ivaldo Cavalcante e Eugênio Novaes, fotógrafos e amigos de Gervásio Baptista

Ivaldo Cavalcante e Eugênio Novaes, fotógrafos e amigos de Gervásio Baptista

“A história do Gervásio se confunde com a da Galeria Olho de Águia. É uma honra tê-lo homenageado diversas vezes ainda em vida. Aqui na galeria há desde 2012 uma biblioteca que leva o nome de Gervásio Baptista. Ele é dono de um dos mais importantes acervos fotográficos do Brasil. Na inauguração da exposição, em janeiro, ele esteve aqui presente e foi muito emocionante. Mesmo debilitado, ele reconhecia as fotos na parede e os amigos que estavam presentes. Também fomos até a casa de repouso onde ele vivia para entregar uma placa em homenagem a todo trabalho e jornada profissional. O trabalho do Gervásio é divisor de águas no fotojornalismo brasileiro e todos os colegas do ramo reconhecem isso” destaca Ivaldo Cavalcante.

“Sua importância para a fotografia brasileira não se explica em poucas linhas. Ícones não morrem.” Luiz Alves, fotógrafo. 

“Gervásio foi um divisor de águas no fotojornalismo brasileiro. Elevou padrão, fez coisas extraordinárias. Deixou um legado muito importante para todos nós.” Cláudia Maria, jornalista.

“Ele é e sempre será um exemplo para todos. Exemplo de homem, profissional e guerreiro. Fez o que poucos teriam coragem.” Jonas Barbosa, amigo.

“Sou grata em ter conhecido e trabalhado , mesmo que por pouco tempo, com o Gervásio. Quem o conhece vira fã. E vai continuar sendo assim.” Lourdes de Carvalho, publicitária.

 

 Tancredo Neves ao lado da mulher, dona Risoleta, e da equipe médica, no Hospital de Base. Último imagem registro de Tancredo vivo

Tancredo Neves ao lado da mulher, dona Risoleta, e da equipe médica, no Hospital de Base. Último imagem registro de Tancredo vivo

    Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

    Deixe uma resposta

    Meio Ambiente
    Defesa do meio ambiente é desafio em “tempos de globalismo”
    Cidadania
    A extraordinária Sophia
    Entrevistas
    Fábio Felix já havia se candidatado em duas outras ocasiões. Eleito por quase 11 mil pessoas, em outubro de 2018, acredita na renovação política e abre portas para novos parlamentares LGBTI+ Um mandato de ternura e resistência

    Mais lidas