Meio Ambiente

Projeto investe em ações de preservação de mananciais em áreas rurais do DF

Programa “Produtor de Água” protege mananciais por meio de práticas sustentáveis e já realizou o plantio de 360 mil mudas nativas do cerrado

Com o propósito de incentivar produtores rurais a adotarem práticas conservacionistas para a preservação de recursos hídricos, o programa Produtor de Água, lançado em 2001 pela Agência Nacional de Águas (ANA), já atua em mais de 25 cidades, espalhadas em dez estados brasileiros.

Esse projeto tem como base a remuneração de agricultores que incluam em suas atividades práticas sustentáveis para a proteção de mananciais, como a conservação de solo, restauração de áreas de preservação permanente, adequação de estradas, controle de erosão, dentre outras coisas. Trata-se de uma bonificação por serviços ambientais e boa gestão de recursos hídricos, que geram consequências positivas em bacias hidrográficas que ultrapassam as fronteiras das propriedades rurais, beneficiando os demais usuários.

No Distrito Federal, o local escolhido como piloto do programa foi a bacia do Pipiripau, conhecida por um longo histórico de conflitos, justamente por causa da disputa pela água. O local, participante desde 2011, engloba três núcleos rurais: Santos Dumont, Taquara e Pipiripau. Quase 1/3 dos produtores rurais já fazem parte do programa, o que representa cerca de 179 contratos em vigor. Cerca de 360 mil mudas nativas do cerrado já foram plantadas na região.

Rodinaldo Xavier Pereira, 53 anos, morador e proprietário de terras na região, aderiu ao programa em 2013. Três dos mais de 20 hectares da propriedade de Xavier foram reservados para recuperação e preservação. “O que eu fiz foi respeitar a natureza. A nascente nunca secou, e acho que a tendência é não secar”, relatou. Além da nascente, ele afirmou que houve um aumento em sua qualidade de vida e a biodiversidade à sua volta.

Além da remuneração em dinheiro, o projeto oferece maquinário para executar os movimentos de terra, fornece mudas de espécies nativas, além de mão de obra para fazer o plantio e suporte na manutenção das plantas nos primeiros anos.

Gilmar Pio Fernandes, também morador e produtor rural, conta o que melhorou depois da implementação do programa: “Antes, quando alguém tinha água em sua propriedade, se achava no direito sobre ela e fazia o que bem quisesse. As outras pessoas que também dependiam dessa água, acabavam ficando à mercê disso. E hoje, você trabalha em conjunto e divide igualmente entre dois, três, sem se esquecer de deixar um pouco para manter o próprio manancial, como a lei diz”, finalizou.

A gestão dos recursos hídricos é essencial para manter o abastecimento regular tanto no campo, quanto nas cidades do Distrito Federal, e com base nisso, foi assinado no dia 22 de março deste ano, um acordo de cooperação técnica que cria o Programa Produtor de Água também na região do Alto Descoberto, considerada estratégica para o reservatório do Descoberto por possuir cursos d’água que deságuam na barragem. O manancial é responsável por abastecer mais de 60% da população do DF.

Mais de 300 mil mudas já foram plantadas na região do Pipiripau

Mais de 300 mil mudas já foram plantadas na região do Pipiripau

 

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Saúde
Entrada da Fundação Hemocentro de Brasília Doar sangue ajuda a salvar vidas
Turismo e Lazer
Jogos de tabuleiro no roteiro de diversão do DF
Turismo e Lazer
IMG  (7) Céu das Artes é opção de lazer e cultura para jovens do Recanto das Emas

Mais lidas