Saúde

Praticar exercícios após os 40 anos aumenta expectativa de vida em até 35%

Pesquisa mostra que o índice equivale ao de quem faz atividades físicas desde a adolescência. Profissionais de saúde alertam para generalização do estudo

Tags:
#exercíciofísico #vidasaudável Saúde

Uma boa notícia para quem nunca praticou exercícios físicos e já chegou à meia idade: é possível recuperar o tempo perdido. Pesquisa recente publicada pela revista científica Jama (Journal of the American Medical Association), nos Estados Unidos, aponta que quem começa a se exercitar depois dos 40 anos aumenta a expectativa de vida em até 35%, índice semelhante ao de quem faz atividade física desde a adolescência.

O estudo, que foi realizado com 315.059 pessoas, de 40 a 60 anos, mostra que quem começou a praticar exercícios quando era jovem apresentou uma redução de mortalidade entre 29% a 36%. Já os indivíduos que passaram a fazer atividades físicas somente após os 40 anos tiveram índices de 32% a 35%.

Ministério da Saúde ressalta que benefícios da atividade física vão muito além de manter ou perder peso

Ministério da Saúde ressalta que benefícios da atividade física vão além de manter ou perder peso

Ionete de Sá, 55 anos, soube da pesquisa pela reportagem. “Fiquei muito feliz com essa possibilidade, porque a gente imagina justamente o contrário, que não teremos mais chance de recuperar o que ficou para trás”, afirma. A corretora de imóveis confessa não praticar exercícios atualmente, mas reconhece a importância da atividade física. “Sei que preciso destinar um tempo para isso, mas o que consigo fazer hoje é caminhar. Coisas que antes fazia de carro, hoje faço a pé”, explica.

Alerta sobre a generalização da pesquisa

Na opinião da professora de Educação Física Nayara Isabel, quando você é sedentário e começa a praticar qualquer tipo de atividade física, independentemente da idade, o resultado é muito rápido. “Nos primeiros meses, você vê já percebe a diferença. A dificuldade está na manutenção”, pondera.

A personal trainner acredita que é necessário aprofundar os dados da pesquisa. “É relativo generalizar desta forma. A individualidade é um fator muito importante na prática de exercícios físicos. Questões de gênero, rotina, alimentação, altura, peso, histórico de doenças, entre outras, influenciam bastante. Acho que é muito cedo para considerarmos o estudo como uma certeza”, alerta. Ainda segundo Nayara, esses indicadores podem ir na contramão das boas práticas em saúde e desincentivar a prática de exercícios na adolescência.

Fatores que influenciam na prática de exercícios

Um estudo da Organização das Nações Unidas (ONU), divulgado em 2017, coloca a desigualdade social como uma barreira considerável para ser fisicamente ativo no Brasil. Segundo a pesquisa, a liberdade para a prática de exercícios físicos depende de três fatores: tempo livre, recursos financeiros e valor cultural da atividade física para a comunidade.

Prática de exercícios físicos depende de três fatores: tempo livre, recursos financeiros e valor cultural da atividade física para a comunidade

Prática de exercícios físicos depende de três fatores: tempo livre, recursos financeiros e valor cultural da atividade física para a comunidade

DF com a menor taxa de sedentarismo

Ainda de acordo com o estudo da ONU, o Distrito Federal é a unidade da federação com menores taxas de sedentarismo. Metade da população afirmou que se envolveu com exercícios físicos em 2016. É importante ressaltar que o DF é a unidade com o maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) no país.

Danielle Pires, 41 anos, moradora de Águas Claras e proprietária de uma imobiliária, acredita que a prática de exercícios físicos após os 40 pode apresentar resultados positivos. “Além de ser possível, penso que este estudo irá estimular as pessoas a serem mais saudáveis, prolongando a vida pelos meios naturais”, afirma. Quando mais nova, ela frequentava a academia rotineiramente. “Os resultados continuam a aparecer depois dos 40, mas o esforço é maior”, esclarece. Hoje, Danielle pratica crossfit de segunda a sexta-feira, durante 1 hora por dia.

Dicas para uma vida saudável

A prática de exercícios físicos, aliada a uma alimentação saudável, é sempre a melhor prevenção contra doenças, principalmente após os 40 anos. De acordo com o Ministério da Saúde, os benefícios vão muito além de manter ou perder peso. A prática de atividade física faz bem não só para o corpo, mas para a mente.

Pesquisa aponta que quem começa a se exercitar após os 40 aumenta a expectativa de vida em até 35%, índice semelhante ao de quem faz atividade física desde a adolescência

Pesquisa aponta que quem começa a se exercitar após os 40 aumenta a expectativa de vida em até 35%, índice semelhante ao de quem faz atividade física desde a adolescência

Entre as vantagens de uma atividade física para a saúde estão a redução do risco de hipertensão, doenças cardíacas, acidente vascular cerebral, diabetes, câncer de mama e de cólon, depressão e quedas em geral. Além disso, a prática regular de exercícios fortalece ossos e músculos, reduz ansiedade e estresse e melhora a disposição e estimula o convívio social.

Para pessoas de 18 a 64 anos, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda 150 minutos semanais de atividade física leve ou moderada (cerca de 20 minutos por dia) ou, pelo menos, 75 minutos de atividade física de maior intensidade por semana (cerca de 10 minutos por dia).

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Saúde
Entrada da Fundação Hemocentro de Brasília Doar sangue ajuda a salvar vidas
Turismo e Lazer
Jogos de tabuleiro no roteiro de diversão do DF
Turismo e Lazer
IMG  (7) Céu das Artes é opção de lazer e cultura para jovens do Recanto das Emas

Mais lidas