Cidadania

Moradores de rua contribuem com a manutenção de horta no Setor Comercial Sul

A iniciativa promove capacitação e bem-estar para pessoas em situação de risco

Localizada no Setor Comercial Sul, a horta comunitária é mantida com a ajuda de moradores de rua da região. Além de promover atividade de inclusão social, a horta contribui com o bem-estar dos envolvidos fornecendo auxílio medicinal e alimentar.

A horta começou com uma iniciativa do Coletivo Aroeira, que já promovia projetos com pessoas em situação de risco. Aninha Cavalcanti, uma das integrantes do grupo, conta que a horta foi uma maneira de ampliar a concepção de resgate das pessoas em situação de rua: “A gente já fazia atividade psicossocial com redução de danos, mas a gente sentia que eram ações limitadas. A gente pensou em usar a agroecologia como ferramenta de redução de danos”.

a horta é uma forma de redução de danos para pessoas em situação de rua

a horta é uma forma de redução de danos para pessoas em situação de rua

A horta é mantida na concepção de agrofloresta, em que várias espécies de plantas são cultivadas no mesmo terreno. Ali são cultivadas plantas medicinais, como a babosa, que possui propriedades cicatrizantes, pimentas e Pancs: Plantas Alimentícias não Convencionais, como a capuchinha e a bertalha.

Além do Coletivo Aroeira, a horta recebe contribuição do grupo No Setor, que promove ações de revitalização e ocupação do Setor Comercial Sul, e do Horta Linda, que trouxe o conhecimento técnico de manejo para o projeto. Aninha ressalta que muitos moradores de rua já possuíam habilidade com o cultivo: “A maioria já tem uma experiência de roça da família, essas coisas… Eles trazem essa experiência, se apropriam disso e nos ensinam muito”.

Aninha do coletivo Aroeira auxilia na manutenção da horta toda terça-feira

Aninha do coletivo Aroeira auxilia na manutenção da horta toda terça-feira

Lili, de 56 anos, uma das ajudantes do projeto que está em situação de rua, lista orgulhosa algumas das plantas que ela ajudou a plantar na horta: “plantei alface, plantei girassol, nós plantamos a hortelã e eu que plantei também a onze horas.”

Felipe Velloso, um dos integrantes do No Setor avalia que o trabalho é uma maneira eficaz de resgate, por promover qualificação: “Entrega valor de capacitação. Enquanto a horta está sendo feita, eles (moradores de rua) estão aprendendo algum conhecimento novo, e isso vai permitir que em algum momento eles tenham a capacidade de multiplicar”.

Serviço

A horta fica localizada no Setor Comercial Sul em frente ao Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), perto do posto policial.
Outra horta fica do lado do Museus dos Correios também no Setor Comercial Sul.

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Turismo e Lazer
capa Nova edição da revista Redemoinho discute temas polêmicos
Economia
Movimento Empresa Júnior: empreendedorismo começa cedo
Cultura
IMG_2603 Arte fora do eixo

Mais lidas