Comportamento

Metais pesados encontrados em cosméticos podem acarretar graves problemas ao organismo humano

A escolha por produtos naturais ameniza os danos à saúde e influencia uma vida melhor

Consumir produtos naturais é o melhor caminho para uma vida saudável. Mesmo se tratando de produtos que ainda são mais caros do que os convencionais e mais difíceis de serem encontrados, o mercado de cosméticos naturais vem crescendo graças ao ganho de consciência das pessoas. Em Brasília, existem lojas especializadas nesse tipo de cosméticos, além da grande oferta encontrada na internet.

Muitas pessoas focam nos danos causados pelos agrotóxicos contidos nos alimentos, mas se esquecem que colocam metais pesados no corpo de outras formas, dentre elas através dos cosméticos. Metais pesados são metais mais densos, altamente reativos, que vão se acumulando no organismo que, por sua vez, não consegue eliminá-los, e acabam provocando o envenenamento silencioso do organismo humano.

O corpo humano, em sua estrutura molecular, é composto de metais, como cálcio, zinco e magnésio, mas alguns metais não são destinados ao organismo, como alumínio, chumbo e mercúrio. Os metais pesados são tóxicos e podem ser fonte de muitas doenças, assim como o excesso de metais considerados mais leves.  Encontramos, por exemplo, alumínio em cremes dentais, antitranspirantes e perfumes, chumbo e mercúrio em cosméticos, flúor em cremes dentais, águas e sucos industrializados.

O terapeuta quântico, Daniel Campos, de 38 anos, relata que por ter tido uma infância e juventude muito ligada à natureza sempre amou produtos naturais e a ideia de uma vida sustentável, consciência essa que foi aprofundada a partir de uma jornada de autoconhecimento. “Em 2018, aderi de vez a esse mundo natural, tornando-me vegetariano e buscando não colocar mais nada químico no meu corpo nem por meio de alimentação nem por meio de cosméticos. Digo não a ingredientes químicos, como corantes e conservantes sintéticos. Meus cremes dentais, sabonetes, xampus e perfumes são naturais. Por exemplo, meu creme dental não tem flúor. E, embora existam perfumes naturais, eu os substituo por óleos essenciais, que são substâncias vegetais, utilizando-os na pele ou em colares aromáticos.

Daniel já compra na loja há 5 anos e recomenda aos amigos

Daniel Campos compra na loja Bioon há 5 anos e recomenda aos amigos

Para ele, o corpo humano é considerado sagrado, então o consumo de produtos mais naturais é uma forma de amenizar o envenenamento lento que certos produtos causam. Assim, o corpo como um todo costuma retribuir com saúde, vitalidade, harmonia e alegria, já que o mesmo sente quando adota-se um estilo de vida saudável. “É importante estar atento ao que comemos, mas também ao que usamos, ouvimos, falamos, pensamos e sentimos diariamente. Somos um ser integral que merece ser visto, ouvido e tratado como um todo, da melhor e mais elevada maneira.  E falando em todo, opto por produtos naturais orgânicos, veganos e que não são testados em animais. Dessa forma, não só o meu corpo, mas o mundo fica mais saudável”, diz Daniel.

Também há os produtos químicos sintéticos, como o formaldeído, que é fabricado a partir do metanol e pode ser encontrado em xampus, sprays para cabelos, creme dental e cosméticos em geral. Na sociedade moderna pós revolução industrial as pessoas tendem a acumular mais e mais metais pesados a partir de uma rotina de cosméticos químicos.  Há formas de combater esses metais pesados no organismo, inclusive por terapias alternativas, no entanto, a melhor forma é evitá-los.

“Muitas pessoas ainda julgam esse estilo de vida como frescura ou capricho, mas acredito que cada um vai despertar para essa nova realidade no seu tempo. Além de fazer uso dos produtos naturais, por meio de técnicas terapeutas quânticas, como o thetahealing, eu reprogramo esses produtos, potencializando assim seus efeitos benéficos para o meu corpo. Também utilizo dessa alquimia energética para limpar quaisquer resquícios de metais pesados nocivos ao organismo, substâncias tóxicas e impurezas do que consumo das mais variadas formas”, finaliza o terapeuta.

Gyzelle Nascimento, mestre em Ciências e Tecnologias em saúde, farmacêutica clínica, industrial e docente universitária, explica que os cosméticos são usados desde a antiguidade e dentre os muitos insumos já foram detectados chumbo, carvão, henna, pigmentos de ferro e até insetos triturados e macerados (batom de besouros vermelhos). “Muitas substâncias são cancerígenas, podem levar a diminuição da memória ou da concentração, crises de asma e doenças de pele, como dermatite. Há estudos que mostram em amimais a diminuição da fertilidade e toxicidade ao feto.”

A farmacêutica explica que a condição mais adequada seria desenvolver formulações com menos insumos que possam causar algum tipo de dano à saúde humana. O nível prejudicial do cosmético vai depender da sensibilidade do indivíduo aos componentes da formulação, mas quanto mais corantes, conservantes sintéticos, como parabenos e formaldeído, maiores são as chances de reações de sensibilidade e alérgicas. Os metais ditos pesados têm efeito cumulativo no organismo e são de difícil eliminação o que acaba por ocasionar efeitos deletérios e/ou tóxicos.

Opções em Brasília

Um dos queridinhos do terapeuta Daniel Campos, é o Bioon Ecomercado, na Asa Norte. Hoje, com unidade apenas em Brasília, a loja fica na CLN 303 e funciona das 8h às 15h e simultaneamente das 9h às 15h como restaurante. É o primeiro ecomercado do Brasil, com mais de 5 mil alternativas sem substâncias nocivas, com o lema  de que a natureza é perfeita e tudo que a sociedade precisa vem da terra.

Variedade é o que não falta na loja. É possível encontrar 600 cosméticos sem parabenos, toluenos, BHT (butil hidroxitolueno), formaldeídos, chumbo, alumínio e corantes artificiais; 650 suplementos desde extratos à proteínas orgânicas veganas; 40 itens frescos no hortifruti; 800 produtos de cozinha, limpeza, jardinagem e utensílios; 250 tipos de chás diferentes; mais de 2000 opções para quem tem restrições alimentares; 200 óleos essenciais puros e mais de 1000 produtos orgânicos certificados. Tudo orgânico, natural e saudável.

A missão do empreendimento é fomentar o comércio local para alavancar o social, dando prioridade às agroflorestas. O consumidor não encontrará sacarina, glutamato, sabores e aromas artificiais. A loja existe há 15 anos e o restaurante é mais recente, existe há 2. “A associação de celíacos indica que o pessoal venha aqui. A doença celíaca é uma alergia ao glúten, e assim como qualquer outra, existem graus de alergia. Então, aqui, a comida é orgânica, não trabalhamos com frituras, acaba sendo bem natural mesmo. Mas o restaurante é voltado mais pro celíaco,” afirma a supervisora do mercado, Zara Braz.

Perguntada sobre algum produto que mais sai ela diz: “Recebemos um pão que é lá de Pirenópolis e temos umas arnicas que é o pessoal da Chapada dos Veadeiros quem faz. O hortifruti é todo daqui, algumas coisas acabam vindo de São Paulo, porque não tem aqui. Mas a prioridade é valorizar os produtores rurais e fornecedores locais.”

Ela ainda relata que o público costuma ser bem fiel, tanto na loja como no restaurante. “Aqui por exemplo, logo que inaugurou o restaurante, já vimos cenas de pessoas que sentavam pra comer e escorria uma lágrima, chorando de felicidade. Temos um cliente que descobriu que é celíaca, e a família acha que é frescura. Mas o prato dela tem que ser separado, a panela dela tem que ser separada. O celíaco, para sentar na rua pra comer, é muito difícil. Aqui, tem essa coisa de socializar, de comer fora que eles não tinham antes.”

A loja recebe clientes que procuram cosméticos e alimentos naturais

A loja recebe clientes que procuram cosméticos e alimentos naturais

A design gráfica Rose Gomes, que normalmente compra cremes para pele, sabonetes e desodorante na loja, diz que vale a pena mesmo se tratando de produtos mais caros, já que para ela, saúde é prioridade. “Tanto comida quanto produtos para o corpo, prefiro os naturais”, ela diz.

Ela diz que inclusive vai a loja comprar produtos para o filho que está entrando na  puberdade.  “Se eu tiver que optar por um hidratante ou sabonete da linha infantil, eu opto”. Por usar pouco em relação a quantidade, ela diz que os produtos acabam durando mais também. “Por exemplo, uso pouco sabonete, condicionador, mas sempre procuro a linha mais saudável para meu filho e para mim. Sei que é um produto saudável e que não vai agredir minha saúde. O pessoal fala assim: ‘Rose você gasta demais com alimentos e produtos naturais.’ E eu respondo: ‘Em compensação nunca mais gastei dinheiro com médico.’”

Conheça os metais presentes nos cosméticos:

•Alumínio, que é muito usado em antiperspirante e adstringentes, esse elemento pode gerar a formação de radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento, a intoxicação crônica pode provocar anemia, alguns estudos mostram prejuízo nos tratamentos de osteopenia e osteoporose;

•Chumbo: causa depressão, insanidade, câncer, doenças imunológicas presente e por efeito cumulativo está associado a redução da fertilidade;

Mercúrio: presente em produtos dentários. Pode levar a enxaqueca, distúrbios no trato gastrointestinal, perda de cabelo, vômitos, diarreia, alterações de visão;

Arsênio: pode ser encontrado em corantes, sabonetes. Pode alterar o ritmo cardíaco, alterações do fígado;

Flúor: age como um inibidor enzimático que faz com que as células deixem de funcionar, podendo causar, osteoporose, câncer, aceleração do envelhecimento e danos genéticos. Níveis elevados de ferro e prata são venenosos e de manganês podem levar à insanidade;

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Saúde
Entrada da Fundação Hemocentro de Brasília Doar sangue ajuda a salvar vidas
Turismo e Lazer
Jogos de tabuleiro no roteiro de diversão do DF
Turismo e Lazer
IMG  (7) Céu das Artes é opção de lazer e cultura para jovens do Recanto das Emas

Mais lidas