Turismo e Lazer

Saudade e diversidade cultural unem moradores e visitantes na Feira da Ceilândia

Enormes panelas aquecem lembranças, saudades, nostalgias e conforto

Ao olhar do turista, Brasília é vista como a cidade da política, da arquitetura e do requinte. Mas, a 26 km da capital pulsa um ponto de encontro da diversidade brasileira: a Ceilândia. Mais especificamente a Feira de Ceilândia, onde todos se juntam para matar a saudade de seu estado, ganhar o pão de cada dia ou para conhecer a raiz e a identidade de quem vive e move a capital. A Feira de Ceilândia é um prato cheio para os amantes da gastronomia, do movimento e da cultura brasileira.

A Ceilândia, região mais populosa do Distrito Federal (DF), possui cerca de 500 mil habitantes. Segundo a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios do DF (PDAD) 2016/2017, 48,33% deles são nordestinos. A maior parte dos moradores veio do Piauí, Maranhão, Ceará e Bahia.

Não é à toa que a feira carrega em sua essência a ampla cultura da região Nordeste. São mais de 400 boxes e cerca de 700 trabalhadores que fazem tudo acontecer. Enormes panelas aquecem lembranças, saudades, nostalgias e conforto. A cozinheira simpática dispõe o vasto cardápio ao seu potencial cliente: carne de sol, rabada, costela, buchada, sarapatel. Qualquer opção por R$ 10.

Segundo o presidente da Associação dos Feirantes da Feira de Ceilândia, Jonathan Araújo, muitas das pessoas que têm box hoje são filhos de quem já trabalhava no local. “Há muitas histórias a serem contadas. Já estamos na segunda geração da feira. ”

Além da variedade de produtos típicos, a feira também é famosa pelo preço mais baixo em comparação aos do Plano Piloto. Super-alimentos, intitulados mágicos por receitas e dietas da moda, como gojiberry – a grande promessa da vez para o rejuvenescimento -, castanha de caju, amêndoas e pistache são encontrados por apenas cinco reais. Uma peça inteira de queijo minas sai por R$ 15, enquanto mercados do plano vendem cerca de 200 gramas pelo mesmo preço.

A funcionária pública Érica Menezes teve uma experiência positiva em sua primeira visita à feira. “Gostei muito da diversidade, dos cheiros, dos sabores. As senhoras exalam sabedoria com ensinamentos sobre cura através da natureza com ervas e chás. A grande variedade de comida e os pratos bem característicos de várias regiões também me encantaram.”

Serviço

Feira da Ceilândia

Endereço: St. M, CNM 2

Telefone: 3372-4411

Horário de funcionamento: quarta a domingo, das 8h às 18h.

Bancas oferecem produtos naturais, chás e ervas

Bancas oferecem produtos naturais, chás e ervas

 

Feira de Ceilândia é sinônimo de diversidade

Feira de Ceilândia é sinônimo de diversidade

Comerciantes na Feira da Ceilândia

Comerciantes na Feira da Ceilândia

 

 

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Turismo e Lazer
capa Nova edição da revista Redemoinho discute temas polêmicos
Economia
Movimento Empresa Júnior: empreendedorismo começa cedo
Cultura
IMG_2603 Arte fora do eixo

Mais lidas