Cultura

O inverno chegou

Com nove anos de duração, Game Of Thrones chega ao fim e torna-se uma das séries mais comentadas dos últimos tempos

Apesar das críticas com relação ao seu desfecho, durante 9 anos, Game Of Thrones mudou a forma de produzir conteúdo para televisão. Cada episódio da última temporada custou mais de U$$15 milhões (R$58 milhões), tornando-se uma das séries mais caras e rentáveis do canal HBO. Um roteiro recheado de mortes de personagens importantes e grandes efeitos visuais que remetem a produções cinematográficas fazem com que a obra chegue a um patamar de séries memoráveis.

Com média de 44,2 milhões de espectadores para cada episódio no público bruto da última temporada nos Estados Unidos, Game of Thrones chegou ao fim no dia 19 de maio. Derivada dos livros de George R. R. Martin “O Crônicas de Gelo e Fogo”, a produção ganhou adaptação para televisão e foi ao ar pela primeira vez em 17 de abril de 2011 pela HBO nos EUA. No início com 2,52 milhões de telespectadores, hoje a série é a mais assistida e pirateada do mundo.

Game of Thrones produziu mais de 100 milhões de comentários pela rede social twitter em 2019. O Brasil ficou em segunda posição no ranking com mais tweets, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

Mas nem todas as avaliações foram positivas. Segundo o website americano de críticas de cinema e televisão, Rotten Tomatoes, a última temporada de Game Of Thrones teve o pior desempenho de toda a série com 53% de aprovação. As outras sete temporadas tiveram mais de 90%.

O evento

Para o fim da produção, vários shoppings, bares e restaurantes do Brasil exibiram os capítulos finais da série. A dona do bar A Toca, Helena Lasquevite, 30 anos, exibiu os episódios em seu estabelecimento desde a penúltima temporada. “Nós abrimos exibição sem pretensão nenhuma e vimos um movimento de fãs. Nessa temporada também continuamos a exibir todos os episódios”, completa.

Os amigos Daviane Amaral,  Amarildo Sertório e Rafael Augusto se reunem para assistir último episódio da série

Daviane Amaral, Amarildo Sertório e Rafael Augusto se reúnem para assistir último episódio da série

O casal Daviane Amaral, 36 anos, e Amarildo Sertório, 36 anos, estão pela primeira vez assistindo a produção em um restaurante: “Como é a última temporada decidimos acompanhar na rua mesmo”.

A história da série e como os personagens são desenvolvidos é o diferencial para seu sucesso da produção, de acordo com a técnica de informática Natasha Alves, 23 anos, “Não é uma história linear com começo, meio e fim, você nunca sabe o que está por vir. É algo que vai te surpreendendo”.

“A série é muito bem feita, todos os detalhes, figurino e de filmagem tudo isso chama atenção”, comenta a comunicóloga Luana Santos, 36 anos, que conclui que “vários núcleos da história acontecendo fazem você se prender a série e querer assistir sempre mais um episódio novo”.

Luana fala sobre o episódio que mais marcou durante toda a série. “A morte do Ned Stark na primeira temporada foi muito marcante. Eu não esperava que no início ele fosse morrer e nem que a história fosse girar em torno daquela família”. O capitulo mais marcante da saga para o namorado de Luana, designer Alan Fernandes, 31 anos, foi o casamento vermelho. “Eu fiquei surpreso com esse episódio. Personagens de uma família importante morreram de uma forma brutal”.

Foram 9 anos com uma produção de alto custo que fez de Game Of Thrones a série mais assistida atualmente. Dragões, mortos vivos e feiticeiras em uma história medieval com disputas políticas movimentou o interesse das pessoas conforme os anos se passaram.

Algumas pessoas preferiram ver o desfecho da série em casa

Algumas pessoas preferiram ver o desfecho da série em casa

O administrador Daniel Felipe, 25 anos, não vê nenhuma série da atualidade alcançando o mesmo patamar de Game of Thrones: “Quando começou a série ela não teve essa audiência toda, foi ganhando aos poucos mais telespectadores pela repercussão do enredo da história. Não foi uma coisa rápida”.

A estudante de biomedicina Sara Karoline Araújo, 22 anos, afirma “no início não tinha gostado do desfecho, mas depois eu gostei e de quem ocupou o trono também. Apesar de algumas coisas não terem sido explicadas. Tudo aconteceu muito rápido”.

Atenção aos spoilers!

Durante toda a série a Casa Stark foi a que mais sofreu pelas mãos dos Lannisters. Logo no início, Ned Stark o chefe da casa morre decapitado e seus filhos tem que lidar com a situação em diferentes pontos de Westeros. Mas tudo que vai volta e quem ocupa o protagonismo no desfecho da série é justamente a família que mais sofreu. Os Stark sobreviventes estão em todos os lugares, ocupando inclusive o trono de ferro com o Bran, o quebrado, agora rei dos sete reinos.

Guerra das rosas

A história que envolve a disputa do trono de ferro da série Game of Thrones tem influência de um enredo com personagens reais. A narrativa tem várias similaridades com a “Guerra das Rosas” que foi uma série de conflitos pelo trono da Inglaterra de 1455 até 1485. As famílias Lencasters e Works duelavam sobre o direito de governar enquanto o rei Henrique VI alcançava idade suficiente para o trono. Os nomes Lencaster e York lembram as casas do Jogo dos Tronos os Lannisters e Stark.

 

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Turismo e Lazer
capa Nova edição da revista Redemoinho discute temas polêmicos
Economia
Movimento Empresa Júnior: empreendedorismo começa cedo
Cultura
IMG_2603 Arte fora do eixo

Mais lidas