Entrevistas

“Nunca imaginei que seria miss um dia”

Em um mundo que valoriza muito a estética, concursos de miss exigem muito mais que boa aparência; Com apenas 19 anos, Beatriz Soares nem sonhava em se tornar miss Guará II

Uma menina que sonha em ser repórter teve a oportunidade de participar de um concurso de beleza, aceitou o desafio e acabou sendo a vencedora. Com  19 anos de idade, Beatriz Soares é a miss Guará II e vai concorrer ao miss DF, para, quem sabe, se tornar a miss Brasil. Ela conta um pouco da sua trajetória, como é o cotidiano das pessoas que estão inseridas no universo da beleza e desmistifica as críticas dos que julgam esses concursos. Cursando o primeiro semestre de Jornalismo, Beatriz sonha em ser repórter, mas participa também de concursos de miss, conciliando as atividades.

Como surgiu o interesse em ser miss?

Para ser bem sincera nunca sonhei em ser miss, mas já fazia alguns trabalhos como modelo. Conheci uma pessoa ligada a esses concursos, ela me fez um convite, eu aceitei e acabei ganhando o título de Miss Continente Guará II. Ingressei em março e sou miss 2019.

Como é a sua rotina, inclui mais cuidados, por exemplo, com alimentação e exercícios?

Minha rotina é bem corrida, pois tenho trabalhos de divulgação com lojas. Não digo que minha alimentação é restritiva, mas sim saudável. Evito comer doces e frituras em excesso e como muitas frutas, verduras e legumes como qualquer outra pessoa. O ideal é ir a academia cinco vezes por semana, uma hora de exercício já é o suficiente no meu caso. Eu tento ir todos os dias, mas têm dias que eu não consigo.

O custo benefício é viável? Consegue viver somente sendo miss ou realiza algum outro trabalho também?

Com o meu título atual de miss eu não tenho lucro sempre. Tenho parcerias e ganho, geralmente, produtos, roupas e serviços. No entanto, existem sim misses que têm patrocínio de valores.

Para você, que está inserida nesse universo, esses concursos menosprezam de alguma maneira os homens e mulheres por valorizarem a beleza?

Geralmente todos acham que é uma competição de beleza, mas não é. Ser miss vai muito além de um rosto bonito e simpatia. Para ser miss é exigido boa comunicação, conhecimentos gramaticais, ter conhecimento do inglês, ter uma conduta nas redes sociais, aulas de etiqueta e passarela. São vários os critérios a serem seguidos, se fossem apenas meninas bonitas teriam muitas.

Concursos de miss já são tradicionais em Brasília e vem ganhando destaque no país

Concursos de miss já são tradicionais em Brasília e vem ganhando destaque no país

Já viajou para outros estados ou países para concorrer? Como funciona o financiamento para as viagens?

Ainda não. Caso ganhe o miss DF viajo para o Miss Nacional representando o DF e os organizadores arcam com os custos da viagem. Não é necessário arcar com essas despesas para concorrer.

Além de participar de concursos de beleza, tem algum sonho profissional?

Claro. Na realidade meu único sonho profissional é me tornar uma repórter. Ser miss e modelo para mim são apenas hobbys.

O que a sua família pensa sobre você ser miss?

Minha família apoia muito, mas a minha mãe fala para eu ter bastante cuidado com esse mundo porque a gente sabe que não é só glamour, existem outras versões no mundo da moda. Seguir os conselhos dela e sempre tomar cuidado.

Além do glamour, existem alguns perigos nesse universo. Já passou por alguma experiência negativa ou conhece alguém que passou?

Quando você se expõe um pouco mais, acaba recebendo propostas inconvenientes, mas vai da modelo aceitar ou não. Em muitos casos agências e concursos fazem “vista grossa” para serviços além do mundo da moda.

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Turismo e Lazer
capa Nova edição da revista Redemoinho discute temas polêmicos
Economia
1 Surdos conquistam espaço no mercado de trabalho
Esporte
_CSC0014 Crianças sofrem discriminação de gênero dentro de esportes

Mais lidas