Comportamento

Análise cromática ajuda a descobrir quais cores realçam melhor a aparência

Conhecida também como colometria, a técnica ajuda a disfarçar imperfeições a partir do resultado da cartela de cores

Tags:
#análisecromática #colometria #carteladecores #vestuário

O ato de se vestir diz muito sobre a aparência. O vestuário oferece muitas opções de estilos e cores, por isso é difícil em alguns casos, saber quais favorecem mais. A análise cromática é o estudo que auxilia a determinar as cores que mais irão harmonizar com a beleza natural da pessoa. Ou seja, seu tom de pele, cabelo, olhos, sobrancelha e boca influenciam as escolhas de cores das roupas.

A consultora de estilo e cores Denise Gros utiliza a cartela de cores tendo como referência as quatro estações do ano e cada estação conta com subdivisões que tornam a escolha da cartela ainda mais precisa para cada tipo de pessoa. Para realizar o processo, a luz natural é muito importante no momento pois a percepção em iluminação artificial muda como vemos as cores.

Consultora de estilo e cores, Denise Gros, traz a cartela de cores tendo como referência as quatro estações do ano

Consultora de estilo e cores, Denise Gros usa a cartela de cores tendo como referência as quatro estações do ano

Denise Gros explica o processo da definição das cores mais harmônicas: “O processo acontece com a cliente sentada. Coloco tecidos de cor cinza em seus cabelos. A cliente deve estar com uma roupa neutra, sem acessórios e maquiagens. Vou colocando os tecidos com cores que irão refletir de forma diferente no rosto da pessoa e converso tentando entender o objetivo dessa descoberta e do estilo de vida dela. Então, explico a cartela em função dessas respostas”, conta a consultora.

O serviço de análise de coloração pessoal tem se popularizado. A coordenadora do curso de Design de Moda do Centro Universitário Iesb, Clarice Garcia, afirma que o serviço tem sido bastante procurado por homens e mulheres: “Atualmente a técnica tem sido procurada por pessoas de ambos gêneros. O personal stylist faz um guia com dicas do que pode favorecer para os tons de roupas, acessórios, maquiagens e cabelo e a pessoa usufrui para a vida inteira. Caso mude a cor do cabelo, algumas cores podem ser substituídas por outras”.

A coordenadora do curso de Design de Moda do Centro Universitário Iesb, Clarice Garcia, acredita que o serviço tem se popularizado

A coordenadora do curso de Design de Moda do Centro Universitário Iesb, Clarice Garcia, acredita que o serviço tem se popularizado

Clarice conta que além das roupas a maquiagem e os acessórios também conseguem disfarçar imperfeições e trazer um bom resultado na fisionomia: “Uma pessoa que está com cores mais harmoniosas aparenta estar mais saudável, disposta. É curioso o efeito que dá”, destaca.

Para a consultora Denise, a coloração pode favorecer em muitos aspectos: “Em entrevistas de emprego e palestras, imagina o impacto que as cores certas ou erradas podem ter em nossa comunicação”, diz a especialista.

Os critérios avaliados para se chegar nas cores ideais variam de pessoa para a pessoa. A especialista observa os traços e características da cliente. No contraste, analisa a cor da pele, cabelos e olhos; na profundidade, se fica melhor com tons escuros ou mais claros; na intensidade, se fica melhor com cores mais vivas ou mais opacas e a temperatura da pele se fica melhor com cores mais frias, quentes ou neutras. “Pessoas com peles de tonalidade parecida podem ter cartelas totalmente diferentes”, esclarece Denise Gros, consultora de imagem e estilo.

Resultado

A jornalista e influenciadora digital Vanessa Campos, 40 anos, já utilizou o serviço da coloração pessoal e o seu resultado já era dentro do esperado. Seu espanto foi não ter uma das suas cores favoritas, o preto: “É uma cor coringa. Eu fiquei um pouco chocada de não estar presente na minha cartela”, diz Vanessa.

Se a cliente tem uma preferência de cor e essa cor não entrar na cartela de sua tonalidade não vai ser preciso deixar de usufrui-la. A consultora Denise explica que a análise é uma ferramenta facilitadora de autoconhecimento que serve para auxiliar a pessoa a ser mais assertiva nas escolhas: “Caso a cor não esteja presente, ensino a equilibrar de alguma forma para que a composição fique a mais harmônica possível”, diz.

Após a consultoria, a cliente adquire um olhar mais apurado e faz as escolhas mais práticas nas combinações certas para cada ocasião.

Vanessa acredita que o serviço tem influenciado na aquisição de novas peças e na sua coloração capilar. A jornalista conta que não se desfez das peças que não estão dentro da sua cartela de cores depois de ter feito a técnica. Ela utiliza um acessório e maquiagem com a cor da sua cartela para equilibrar e deixar o visual mais harmônico.

Para a influenciadora digital a análise cromática é uma ferramenta de autoconhecimento, de libertação e não de aprisionamento: “Regras de modas existem para ser quebradas. A moda é para ser nossa aliada. Quanto melhor você se conhece mais segura você está para ousar e sair de dentro dessas ‘caixinhas’”, conta.

Surgimento da técnica

A técnica da colometria foi desenvolvida na década de 1940, pela americana Suzana Caygill, inspirada nos estudos dos teóricos da coloração. Parte de uma premissa da teoria da luz, de que as cores, por ser em um fenômeno essencialmente ótico, quando próximas umas das outras, interagem entre si.

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Turismo e Lazer
capa Nova edição da revista Redemoinho discute temas polêmicos
Economia
1 Surdos conquistam espaço no mercado de trabalho
Esporte
_CSC0014 Crianças sofrem discriminação de gênero dentro de esportes

Mais lidas