Turismo e Lazer

Crescer é preciso

Como as novas gerações têm lidado com a transição da adolescência para vida adulta

Morar sozinho, começar uma carreira, ter responsabilidades de fazer tudo que envolve a sua existência, se desvincular dos pais. A nova geração carrega com ela o boom da tecnologia: onde 85% dos jovens admitem que buscam no Google quando têm qualquer tipo de dúvida e, em 56% dos casos, afirmam que aprendem a maioria de suas habilidades na internet. Os dados são de pesquisa realizada pelo Buzzfeed Global e as empresas Culture Co-Op e Alter Agents.

No meio desse mundo de informação, há um grande medo entre os jovens: definir a carreira e arrumar o emprego. “Meu maior medo em relação ao futuro é não conseguir passar no vestibular, não conseguir passar no concurso público, e não ter dinheiro para me sustentar”, afirma a estudante Maria Eduarda Cesar, 17 anos.

f4ed1489-c9dc-4709-9929-6902f864bf09

Diferente das gerações passadas que tinham como objetivo formar família, a nova geração tem como prioridade deixar um legado na sociedade.  A estudante Iazabella Oliveira, 16 anos, afirma que seu maior desejo é a fama. “Meu maior sonho é ser conhecida, não só em Brasília, como no Brasil todo. Ter muito sucesso e conseguir salvar vários animais”, relata.

A psicóloga Karoline Bernardes notou um comportamento comum entre os jovens que estão passando por essa mudança de fase, quando 41% afirmam que se sentem incompetentes em habilidades básicas da vida.

“Estamos vivenciando atualmente uma geração que tem como característica comum a baixa tolerância à frustração, ou seja, a dificuldade em lidar com as não potencialidades. O que mais tenho atendido nesses dois últimos anos são casos de depressão, transtorno de ansiedade, fobia social e transtorno desafiador”, afirma a psicóloga.

O meio do furacão

Giovanna Cotrim,  jovem de 19 anos que cursa  o quarto período de direito, mudou de estado há 2 anos para iniciar sua carreira acadêmica. Ela veio do Rio de Janeiro para o Distrito Federal. Giovanna afirma que não se sentiu muito preparada para a transição de fase. A estudante relata que sua maior dificuldade é ter que se virar sozinha. Acrescenta que sair da casa de seus pais aflorou isso, pois foi o que a fez ter consciência da dificuldade do que é a “vida adulta”.

“Isso soa até um pouco mimado, um pouco criança eu pensar que minha maior dificuldade é eu me virar sozinha. Mas eu acho que a gente não se prepara para isso, e quando do nada o seu laço é cortado você é jogado para resolver tudo sozinha. Na faculdade, no banco, no estágio. E a gente não tem um curso que prepara a gente para vida”, comenta.

Giovanna acrescenta que passar por momentos bastante intensos onde ela se sente muito ansiosa e chora com medo do futuro. Mas, acredita que seu sonho de infância se realizará e ela se tornará uma grande juíza ou começara a empreender e criar seu próprio negócio.

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Educação
Alunos recebem atenção extra nas Salas de Recursos Escolas públicas do DF contam com mais de 15 mil alunos especiais matriculados
Cidadania
mostafa-meraji-YdekMO3_SbE-unsplash Solidariedade em tempos de pandemia
Economia
Snapseed (14) Distrito Federal tem consumo per capita de 14,1 kg de pescado por ano

Mais lidas