Esporte

Personal trainer é uma das novas carreiras escolhidas pelos educadores físicos

Como uma área ainda recente, estudantes passam a analisar a hipótese e profissionais se apaixonam cada vez mais pela escolha

Quebrando o pensamento de que quem faz Educação Física irá trabalhar apenas em escolas ou academias surgiu o personal trainer. Com o intuito de auxiliar as pessoas durante seus exercícios físicos para que não se lesionem ou em casos extremos possam ter uma fratura, o profissional deve possuir um diploma com bacharelado em seu curso e pode trabalhar individualmente ou vinculado a alguma academia.

A estudante Júlia Cumaru está no 5º semestre de sua graduação na Universidade de Brasília (UnB). Ela conta que quando começou a faculdade não se imaginava sendo personal trainer. “Hoje quero ser professora de ensino infantil durante um turno e no horário contrário ajudar idosos em processos de reabilitação e inseri-los nessas atividades”.

A aluna também observa que o número de colegas de turma que quer seguir carreira vem aumentando e cada vez mais pessoas buscam fazer matérias relacionadas no bacharelado, como Biomecânica, Treinamento Resistido e Fisiologia do Exercício 3, para poderem atuar na área.

Para Lucas Vilas Boa, formado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub), a ideia era outra. Inicialmente sua vontade era trabalhar apenas com o campo escolar, porém após se formar ele encontrou dificuldades no mercado de trabalho. “Até que surgiu uma oportunidade de atuar em um studio de personal trainer e foi ali que comecei a gostar e me interessar pela área”.

O profissional explica que uma das coisas que o fez permanecer na carreira foi o fato de poder auxiliar outras pessoas com o bem-estar, saúde, aptidão e em casos de patologias. Luana Dalla, formada pelo UniCeub, também trabalha na área e sabia que era isso que queria desde que entrou na graduação.

Unindo o útil ao agradável, a personal juntou seu amor pela prática de exercícios e a boa alimentação com o auxílio aos outros em prevenção de doenças, permitindo dessa forma que ela conseguisse entregar seu máximo.

Seguir a carreira nunca foi problema para a profissional, pois entregando-se ao seu trabalho, Luana sempre teve certeza de que daria certo. “Acredito que ter êxito em uma profissão é ser recompensando não só financeiramente, mas se levantar feliz para trabalhar sabendo que vai fazer o que ama”. Sua única dificuldade dentro da área foi notar que desde o princípio o exercício físico sempre foi algo mais desenvolvido pelo sexo masculino.

Frederico considera que ter um personal faz com que ele receba uma atenção maior

Frederico considera que ter um personal faz com que ele receba uma atenção maior

Como surge a ideia de escolher um personal trainer

Filipe Ibiapina é um dos alunos de Lucas e para ele ter um profissional que possa auxiliá-lo é algo que ajuda a obter resultados mais rápidos. “O personal pode facilitar o entendimento da execução de atividades, além de mostrar treinos que sejam mais adequados para alcançar o meu objetivo”. Ele não considera que conseguiria ter os mesmos resultados que vem tendo ao mesmo tempo se estivesse se exercitando por conta própria.

Outro aluno de Lucas é Frederico Burgos. Com seus 66 anos, ele conta que já havia ido para a academia, porém realizava apenas os exercícios básicos, como esteira e algumas séries. Ter um acompanhamento mais próximo fez com que ele pudesse ter uma atenção maior. “Quando a gente vai ficando mais velho, ficamos meio diferenciados e é importante ter alguém ali para ter um resultado mais palpável”.

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Comportamento
FOTO 1 PROD 10 População negra sofre em meio a pandemia
Ciência e Tecnologia
Crédito: arquivo pessoal Aplicativos on-line reaproximam as pessoas durante isolamento social
Saúde
WhatsApp Image 2020-05-18 at 18.45.00 (1) (1) Voluntários se unem em corrente para ajudar profissionais da saúde do DF
Economia
Creditos Leila Pacheco (fonte) 4 Donas do pedaço: empreendedoras garantem sua renda de casa
Esporte
foto: Jéssika Lineker Coronavírus x Futebol Candango
Comportamento
Photo by Asif Akbar from FreeImages Entre um isolamento e outro, gostamos de nos isolar
Cidadania
Capa Nova revista Redemoinho supera desafios do isolamento para investigar temas de relevância social
Meio Ambiente
Banco de imagens pexels Reciclando pela vida
Saúde
Foto de João Paulo Silva personagem fissura A fissura é tratável
Educação
Rapensando nas Escolas O hip hop como instrumento de educação
Saúde
prato matéria anorexia Anorexia é a doença psiquiátrica que mais mata no mundo
Entrevistas
Deputado distrital do DF (REDE), Leandro Grass tem 32 anos, é professor, sociólogo, mestre em Desenvolvimento Sustentável, doutorando em Desenvolvimento em Gestão Pública (UnB) e gestor cultural pela Organização dos Estados Ibero-Americanos | Foto: Divulgação/ Assessoria de Comunicação/ Leandro Grass Leandro Grass: “DF tinha tudo para ser referência na condução da pandemia”

Mais lidas