Saúde

Harmonização facial: Quais os riscos e cuidados ao escolher um profissional

Especialista alerta sobre cuidados ao se submeter ao procedimento estético; verificar fotos de outros pacientes pode ajudar na escolha do profissional

Há uma grande procura e tem feito a cabeça de muita gente. Harmonização facial, um conjunto de
procedimentos estéticos que submete o paciente a técnicas como diminuição das rugas ou correção em
áreas do rosto como olheiras, queixo, nariz, contorno de mandíbula e bochechas. Preenchedores como
ácido hialurônico, fios de PDO e PMMA são utilizados por profissionais para a realização desta técnica.

Mas é preciso atenção na hora de escolher um profissional. Mesmo que não seja um método
considerado tão invasivo quanto uma cirurgia plástica, existem cuidados que precisam ser levados em
consideração. A modelo Lourrany Aquino (25) é prova viva disso. Em 2017, decidiu fazer um
procedimento para correção do nariz e uma amiga indicou o médico Wesley Murakami, que atuava em
Brasília. Segundo ela, ao ser consultada, Murakami a convenceu de que precisava corrigir não somente
o nariz, mas outras regiões da face.

“Quando eu vi o resultado pela primeira vez, eu me assustei bastante, o meu rosto ficou muito inchado.
Só que ele falou que aquilo era normal e levaria três meses para desinchar”, conta. E a saga começou
na vida de Lourrany. Por pouco mais de seis meses, ela visitava o consultório de Murakami e ele
realizava aplicações de corticoide, sempre justificando que o tratamento demorava muito tempo para
chegar ao resultado esperado. Segundo ela, foram cerca de 50 mil reais gastos durante quase 1 ano
com o mesmo médico.

O desespero aumentou somente no segundo semestre de 2018, quando se deu conta que havia caído
em um golpe. Só no Distrito Federal, Murakami fez 40 vítimas, que tiveram os rostos deformados assim
como Lourrany. O médico em questão havia sido condenado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal
e Territórios (TJDFT), em 2014, por danos morais e estéticos por injetar incorretamente e deformar o
rosto de um paciente com ácido hialurônico. Mesmo assim voltou a atender pacientes no Distrito
Federal e em Goiânia. Em dezembro de 2018, teve o CRM cassado.

Segundo a biomédica especialista e habilitada em estética e banco de sangue, Patrícia Saad, a
harmonização facial é muito procurada por ambos os sexos. As mulheres procuram mais cedo, a partir
dos 25 anos de idade, mas a médica alerta sobre a busca por especialistas. “É importante o paciente observar se
o profissional é qualificado para fazer harmonização e observar, também, fotos de antes e depois
porque pode haver intercorrência. Tem que saber se o profissional está apto para corrigir essas
intercorrências”, explica.

Os profissionais autorizados a fazer esse tipo de procedimento são cirurgiões-plásticos,
dermatologistas, biomédicos e, atualmente, de acordo com a resolução 198/2019 os cirurgiões-dentistas
são reconhecidos como aptos em atuar com essa técnica. De acordo com o Conselho Regional de
Biomedicina- 3a Região, os pacientes que pretendem se submeter aos procedimentos devem ter a
cautela em verificar se o profissional escolhido está habilitado e inscrito nas entidades correspondentes.

Atualmente, Lourrany (25) conseguiu reverter boa parte do inchaço que havia ficado na região da face.
Ela chama atenção para a lição que ficou deste acontecimento de vida. “ Para as pessoas que deram
errado o que eu indico é: deu errado procure outros médicos, a maioria dos casos são reversíveis. O
processo é muito lento, mas não percam a fé”.

A Biomédica Especialista e habilitada em Estética e Banco de Sangue, Patrícia Saad, orienta que, após a realização de uma harmonização facial bem-sucedida, é necessário tomar os devidos cuidados:

* Tomar bastante água;
* Alimentação saudável;
* Não consumir bebidas alcoólicas e cigarros;
* Não fazer muitos gestos faciais;
* Evitar exposição direto ao sol
* Tomar a medicação corretamente;
* Em caso de complicações, procure novamente o especialista.

    Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

    Deixe uma resposta

    Educação
    Alunos recebem atenção extra nas Salas de Recursos Escolas públicas do DF contam com mais de 15 mil alunos especiais matriculados
    Cidadania
    mostafa-meraji-YdekMO3_SbE-unsplash Solidariedade em tempos de pandemia
    Economia
    Snapseed (14) Distrito Federal tem consumo per capita de 14,1 kg de pescado por ano

    Mais lidas