Turismo e Lazer

Arte digital é alternativa de museus e espaços culturais durante pandemia

Para manter as pessoas em casa, museus estão postando exposições virtuais

Com o cenário atual de pandemia e isolamento social causado pelo novo coronavírus (Covid-19), os museus e espaços culturais estão fechados por tempo indeterminado. Entretanto, a arte não ficou de lado. Os vários museus, espaços e centros culturais estão disponibilizando as suas exposições, conteúdos, peças e aulas virtualmente, entre eles: CCBB, em Brasília (DF); Pinacoteca de São Paulo; Louvre, em Paris (França); National Gallery of Art, em Washington (EUA); Museu do Vaticano. A iniciativa serve como uma alternativa durante a pandemia, para os apreciadores acessarem de casa.

Para Cláudio Ferreira, professor de Estética Aplicada da Comunicação, a essência da arte não está no processo da apreciação. “A questão não está conectada com o lugar ou o suporte. Porém, a arte digital é uma das tendências da arte. Hoje em dia, nós temos todo tipo de arte sendo feita. Então, a questão da arte online vai democratizar o processo do contato artístico das pessoas”, afirma.

Pessoas que passam pelo auto-retrato de Vincent van Gogh e tiram uma foto.  Mais informações no site do Rijksmuseum: https://www.rijksmuseum.nl/en/collection/SK-A-3262

Pessoas passam pelo auto-retrato de Vincent van Gogh e tiram foto.
Mais informações no site do Rijksmuseum: https://www.rijksmuseum.nl/en/collection/SK-A-3262

O Espaço Cultural Alexandre Innecco (ECAI), localizado em Brasília, fechou no dia 13 de março, mas criou uma programação online, principalmente com lives nas redes sociais. De acordo com o ECAI, o principal objetivo é continuar o contato com os clientes através da mala direta e das redes sociais, para atrair os clientes reais para o mundo virtual. Na programação o visitante pode encontrar aulas sobre música na renascença, música no período clássico, conversação de inglês e francês, entre outros.

Para Alexandre Innecco, empresário da área artística, maestro e cantor, “as grandes vantagens são não perder o contato com os fãs e clientes e que todo o conteúdo gerado fica arquivado, criando um banco de memória que nunca tivemos tempo para gerar”. Em dez dias de quarentena, o ECAI gerou 12 vídeos com aulas e entrevistas e já conseguiram mais de 100 horas de visualizações desse conteúdo. Entretanto, para Alexandre, a maior desvantagem são as limitações técnicas, pois não podem tocar mais de 30 segundos de cada peça, para não violar direitos autorais.

Além disso, vale ressaltar que o teatro também pode estar no meio digital. A produtora cultural Palavra Z Produções Culturais, localizada no Rio Janeiro, lançou a campanha de teatro online para exibir seus próprios espetáculos virtualmente, tanto para crianças, quanto para adultos. A produtora alcançou cerca de 25 mil visualizações e 60 mil espectadores, no primeiro final de semana.

O produtor cultural Bruno Cardoso afirma: “eu acho que o mais interessante nessa plataforma que a gente disponibilizou, diferente de tudo que estão disponibilizando, é a janela de exibição. A gente tem uma janela de exibição, em torno de seis horas, que a pessoa só pode assistir aquele espetáculo dentro daquele período. Então é uma proposta com intuito efetivo das pessoas ficarem e se manterem em casa.”

WhatsApp Image 2020-04-07 at 1.20.04 AM

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Educação
Para além da formação básica: estudantes buscam novos conhecimentos durante quarentena
Comportamento
Banco de imagens gratuito Em meio a pandemia deficientes visuais enfrentam desafios para não serem contaminados
Entrevistas
A artista que se reinventou

Mais lidas