Cidades

Brasilienses reinventam a forma de comemorar os 60 anos da capital

Apesar das medidas de isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus, artistas não deixaram a data passar em branco e homenagearam o querido quadradinho do país

Tags:
#60anos #aniversáriodeBrasília #pandemia artistas

Brasília comemorou os seus 60 anos da capital do país na terça-feira, 21/04. O Governo do Distrito Federal adiou a festa de comemoração da cidade devido às restrições impostas pelo isolamento social, por conta da pandemia do coronavírus. Mas, os brasilienses não deixaram essa data passar em branco e mesmo assim homenagearam o querido quadradinho do país.

O evento criado pelo BRB (Banco de Brasília), o BRB play, teve dois dias de programação online no seu Instagram. A comemoração prestigiou vários artistas como Nando Reis, Zélia Ducan, a banda Scalene, Oswaldo Montenegro, o DJ Bhaskar dentre outros. Além dos shows virtuais a programação teve diversas atrações para todas as idades. Gastronomia, dança, atividades para crianças e concurso cultural para artistas locais da capital.

O incentivo do concurso, além de agradecer e comemorar os 60 anos da capital, foi para ajudar os artistas locais que estão passando por esse período de incertezas. Um dos participantes do concurso, Arthur Braga, de 24 anos, conta que gravou um vídeo homenageando a capital. ‘’ Gravei um vídeo cantando um trecho da música Faroeste Caboclo, do Legião Urbana, que remete à Brasília, em homenagem aos seus 60 anos’’.  ‘’Brasília traz aquela sensação de lar, tranquilidade, porto seguro. Sinto que aqui é o meu lugar ’’, declara Arthur.

O Festival No Seu Quadrado foi o 1º festival cultural online do DF. A apresentação contou com mais de 200 artistas da capital e oficinas de arte. A brasiliense e estudante de medicina veterinária, Maria Williane, conta que ficou bastante animada com os shows online. ‘’ Eu gostei bastante da iniciativa dos artistas de fazerem esses shows pro pessoal curtir em casa. É até bom que esquecemos um pouco o momento tão difícil que estamos passando, e podendo assim comemorar o aniversário da nossa capital’’.

Além dessas iniciativas dos shows e das oficinas a Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur- DF) lançou um tour virtual pela cidade para comemorar os 60 anos do quadradinho. O usuário pode acompanhar de casa mais de 80 pontos turísticos da capital e a arquitetura belíssima que a cidade tem.

Arquitetura da capital

A tão almejada capital do país completou seis décadas desde a sua inauguração em 1960. Diferente de todas as cidades, Brasília foi sonhada, planejada e é considerada pela Unesco, Patrimônio Cultural da Humanidade. Idealizada pelo presidente da década, Juscelino Kubitschek, o projeto da capital teve ajuda dos arquitetos e urbanistas Lúcio Costa e de Oscar Niemeyer.

Lúcio Costa foi o responsável pela elaboração do projeto do plano piloto da cidade. A inspiração do desenho era de construir uma cidade moderna e futurista, tornando o espaço agradável para os futuros brasilienses. Oscar Niemeyer foi o idealizador dos principais monumentos arquitetônicos e urbanísticos de Brasília.

Na opinião do arquiteto e urbanista, Átyla Oliveira, um dos principais diferencias da cidade em ser Patrimônio cultural é o plano arquitetônico da cidade – ‘’ O principal ponto que faz Brasília ser um patrimônio é justamente o fato do seu planejamento urbanístico.O planejamento foi baseado na Carta de Atenas, lá no início do século 20, que preconizava um série de premissas da época modernista tanto da arte quanto da arquitetura. Então essas premissas modernistas foram concatenadas nesse documento que falava sobre as características do urbanismo modernista. Brasília é a materialização desses conceitos aplicados e enunciados nesta carta’’, conta o arquiteto.

4364699101_050a068849_c (1)

O projeto do arquiteto e urbanista, Lúcio Costa, contextualiza a ideia de uma cidade moderna e futurista, no formato de um avião  Foto: banco de imagem

 

O quadradinho

A capital é repleta de monumentos e prédios tombados espalhados pela cidade. De acordo com a pesquisa feita pelo site Kayak, em 2019, Brasília está entre os três destinos que mais tiveram aumento da procura pelos turistas brasileiros, a procura pela capital foi de 155%. Um dos pontos turísticos mais visitados é a Catedral metropolitana sendo o principal templo religioso da cidade, além do Memorial JK, Torre de TV, Museu Nacional, Teatro Nacional e a Igrejinha da 307/308 sul.

“Gosto muito de contemplar o céu único de Brasília e nada melhor do que no centro da cidade. Muito bom conseguir contemplar o céu sem obstáculos e ver de cima o fluxo de carros no eixo, dar uma voltinha na cidade, ver de longe a catedral, o museu, o congresso, adoro a minha cidade ’’, relata a brasiliense Maria Williane.

WhatsApp Image 2020-04-23 at 20.05.28 (1)

A brasiliense, Maria Williane, de 24 anos, conta que a sua parte favorita é o centro da cidade Foto: arquivo pessoal

 

O Distrito Federal tem 3.015.268 habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), divulgados em 2019. Os problemas estruturais e populacionais acontecem em todas as grandes cidades. A questão de transformar e revitalizar o espaço arquitetônico e urbano de Brasília é necessário. O arquiteto comenta que os aspectos urbanísticos da capital não estão em boas condições por falta de manutenção: “Infelizmente as estruturas arquitetônicas urbanísticas da cidade não estão em boas condições. Não temos a tradição de fazer as manutenções prediais e nem das edificações urbanas como os viadutos e pontes. As tesourinhas, depois de 60 anos, estão passando só agora por reformas estruturais. Outro acontecimento que marca é a tragédia que aconteceu com a queda do viaduto na galeria dos estados. É uma evidência clara que não cuidamos dos nossos edifícios e das nossas instalações urbanas’’, explica o arquiteto.

A flexibilização do plano urbanístico da capital é necessária para a revitalização dos espaços urbanos para os próximos anos: ‘’ A  própria dinâmica da cidade cobra uma flexibilização dessa setorização mais rígida. Com o próprio tempo, o viver do brasiliense e as suas demandas fizeram com que a rigidez da setorização do plano urbanístico se perdesse’’, comenta o arquiteto.

“Brasília é uma terra de acolhimento, foi aqui que pode me desenvolver profissionalmente.  Até hoje Brasília com 60 anos recebe muita gente de outros estados,então de fato, na minha opinião, uma palavra que define Brasília é oportunidade. É uma cidade extremamente planejada, rigidamente setorizada, mas que com o toque humano e a sua ocupação natural dá o charme que a capital tem, e que torna Brasília tão única’’, declara o arquiteto Átyla Oliveira.

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Educação
Para além da formação básica: estudantes buscam novos conhecimentos durante quarentena
Comportamento
Banco de imagens gratuito Em meio a pandemia deficientes visuais enfrentam desafios para não serem contaminados
Entrevistas
A artista que se reinventou

Mais lidas