Esporte

Menina também usa chuteira

Estigmatizado como esporte de menino, futsal ganha times femininos pelas quadras de Brasília

Com o lema “Pelo prazer de jogar”, a Escola Ludus Futsal Feminino oferece aulas da modalidade esportiva para iniciantes em quadras públicas da Asa Norte. O objetivo da escola é promover atividade física por meio de jogos, brincadeiras e fundamentos do futsal, sem focar na competição em alto nível. Às segundas e quartas, o treino acontece na SQN 106 e 111 e às terças e quintas, na SQN 108, 111 e 603. O horário é de 19h30 às 21h.

Tem crescido número de escolas de futsal que possuem times exclusivamente femininos Foto por Jeffrey F Lin on Unsplash

Tem crescido número de escolas de futsal que possuem times exclusivamente femininos
Foto por Jeffrey F Lin on Unsplash

A Ludus tem times infantis, com meninas de 10 a 12 anos, e times adultos formados por mulheres a partir dos 18 anos. A aluna Ana Clara Schmidt, 26 anos, conta que sempre gostou de futsal e costumava praticar o esporte durante a infância. “Minha relação com o esporte é muito forte, principalmente por conta do meu pai. Ele me ensinou tudo o que sei. Eu sempre fui muito envolvida no esporte, de todos os tipos”, conta.

Pedro Leal, professor e criador da Ludus, fala que a ideia de criar uma escola de futsal voltada para meninas surgiu da necessidade de um local onde qualquer menina fosse aceita. “Na maioria dos times que eu treinei tinha muita panelinha, interesses diferentes e acabava que a maioria das meninas que gostava de jogar futsal, se interessava por isso, não conseguia jogar. Eu resolvi abrir a Ludus para abraçar todos os tipos de meninas”, explicou Pedro.

Treinadores não mudam o treina para que facilitar a atividade das meninas Foto por Alberto Frías on Unsplash

Treinadores não mudam o treino para que facilitar a atividade das meninas
Foto por Alberto Frías on Unsplash

Para Rafaela Pinheiro, professora da Ludus, ensinar futsal para meninas é quebrar uma construção sociocultural. onde o futsal e futebol eram esportes exclusivos do sexo masculino. “É mostrar que no esporte não tem isso que, não só no esporte, como na sociedade, muita coisa deveria ser desconstruída e o futsal é uma ferramenta de desconstrução dessa lógica de separar a mulher do homem”.

 

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Educação
Para além da formação básica: estudantes buscam novos conhecimentos durante quarentena
Comportamento
Banco de imagens gratuito Em meio a pandemia deficientes visuais enfrentam desafios para não serem contaminados
Entrevistas
A artista que se reinventou

Mais lidas