Cidades

Sanitização de Uber é a nova forma de atrair clientes em tempos de pandemia

Cuidados contra a covid-19 em aplicativos de transporte mobilizam empresas e colaboradores

Em maio de 2014, o Rio de Janeiro era a primeira cidade brasileira a receber o Uber BR, seguida de São Paulo e Belo Horizonte. No início, a parte mais contagiante de se pegar um Uber, além de ser barato, era de poder receber uma água, um café e até balinhas, além de muitos outros itens inusitados. Com o passar do tempo as formas de agradar os clientes foram diminuindo, até praticamente deixarem de ser uma prática. Hoje, com a pandemia de covid-19, as novas formas de se agradar a clientela mudaram. Ao saber que se tem álcool em gel ou que o carro foi limpo antes da corrida o usuário fica mais tranquilo.

Será que os cuidados contra o coronavírus estão sendo tomados para a saúde dos passageiros e também dos próprios funcionários? Segundo Hiago Rodrigues, 28, ainda faltam muitas medidas a serem adotadas pelos motoristas de Uber. “Percebi somente o uso de máscaras nas minhas viagens, as janelas continuam fechadas e com o ar condicionado ligado e muito menos nos oferecem álcool em gel”.

Covid-19 afeta meios de transporte

Covid-19 afeta meios de transporte

As empresas de aplicativo de transporte emitem notas para ajudar no combate ao coronavírus. A Uber diz que “a segurança e o bem‑estar de todos os usuários da Uber é nossa prioridade. Estamos monitorando ativamente a situação do coronavírus (COVID‑19) e tomando medidas para ajudar a manter nossas comunidades seguras.”

A empresa 99 Táxi também priorizou a saúde de seus usuários e colaboradores, “Quando as notícias sobre o coronavírus começaram a sair na imprensa, paramos e pensamos o que poderíamos fazer para melhorar a vida das pessoas e diminuir o impacto da Covid-19. A resposta foi muito clara. Precisamos focar no que é mais importante: na segurança e na saúde dos motoristas parceiros 99, dos passageiros e da sociedade.”

A Uber também disponibiliza um reembolso de até 20 reais para aqueles motoristas que tiverem gastos com prevenção ao coronavírus em seus carros. A 99 disponibiliza um site focado nas medidas e prevenções contra o vírus.

Joelson Araujo, 58, colaborador de diversas plataformas de aplicativos de transporte se diz preocupado com a pandemia de covid-19, mas sem a possibilidade de se proteger em quarentena por causa da renda familiar. “Temos contas para pagar, filhos para criar, tenho três filhos, um na faculdade e outros dois no ensino médio, então preciso continuar a trabalhar mesmo com medo do coronavírus. Mas não deixo de me prevenir e de trazer segurança para quem entra no meu carro, trago sempre um frasco de álcool em gel para mim e para os clientes. Além de usar máscara, deixo os vidros sempre abertos”, explica.

O que dizem os especialistas do Governo?

Segundo o Ministério da Saúde o isolamento social é a melhor forma de se prevenir contra o coronavírus, porém não podendo acatar a quarentena, medidas podem ser tomadas, como limpar as mãos sempre que possível, o uso de máscaras e álcool em gel e até mesmo não ficar em lugares fechados, além do mais fácil e essencial, não colocar mãos na boca, nariz e olhos.

Máscaras, álcool em gel e isolamento social são as principais proteções contra o coronavírus

Máscaras, álcool em gel e isolamento social são as principais proteções contra o coronavírus

Apesar de todas as medidas contra o vírus, muitas pessoas ainda não se sentem seguras em andar por aí. Os transportes públicos sempre lotados e com baixa ventilação obrigam as pessoas a usarem outras alternativas como os aplicativos de transporte. “ Não me sinto totalmente seguro porque a quantidade de pessoas que já passaram pelo carro pode ter infectado o local, porém se usarmos somente quando realmente necessário e se aderirmos ao uso de máscaras, álcool em gel as chances de contágio são menores, então acredito que ainda faltam muitas medidas preventivas e fiscalização contra a covid, mas ainda é possível, caso extremamente necessário, sair de casa sem que seja um grande caos”, indaga Hiago Rodrigues.

Os governos vem trabalhando pelo Brasil para que tudo possa voltar ao normal o quanto antes, porém enquanto nos preocupamos com a pandemia o Ministério da Saúde garante que seguindo as medidas determinadas pelo governo os riscos de se contaminar são menores. Fique em casa e ajude no combate ao coronavírus.

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Educação
Para além da formação básica: estudantes buscam novos conhecimentos durante quarentena
Comportamento
Banco de imagens gratuito Em meio a pandemia deficientes visuais enfrentam desafios para não serem contaminados
Entrevistas
A artista que se reinventou

Mais lidas