Comportamento

Brasilienses aproveitam quarentena para aprender a cozinhar

Em busca de novas maneiras de enfrentar a pandemia de Covid-19, brasilienses estão buscando na internet novas receitas e se aventurando mais na cozinha.

O Distrito Federal está perto de completar 60 dias de quarentena devido ao novo coronavírus. E com o isolamento social sendo obrigatório, o brasiliense não teve opção a não ser se adequar à nova realidade para se manter ativo nesse período. E um ato simples e prazeroso está mudando para melhor a rotina de muitos brasilienses. Estamos falando do ato de cozinhar.

Um estudo realizado pela revista Ciência e Saúde Coletiva  sobre Percepções de indivíduos sobre o ato de cozinhar no ambiente doméstico, em 2019, aponta que as principais motivações para cozinhar envolvem tanto questões cognitivas e práticas, quanto questões afetivas e emocionais. As questões práticas e cognitivas estão relacionadas às demandas nutricionais e econômicas. Já nas questões emocionais estão ligadas ao comportamento que a culinária é capaz de proporcionar como forma de lazer e experimentação. Com isso, o que se percebe é que as pessoas estão cada vez mais dispostas a aprender e se envolver em assuntos sobre culinária.

Érica,que durante a quarentena está aprendendo a sair do básico "arroz e feijão"

Érica está aprendendo a sair do básico “arroz e feijão”

Esse período tem sido mesmo de aprendizado para a estudante Érica de Oliveira, 36 anos, que conta que desde que começou a quarentena tem buscado se envolver em diversas atividades entre elas a de aprender a cozinhar para sair do “arroz e feijão” de todos os dias. “Meus dias têm sido para aprender, passo horas pesquisando no Google e nas redes sociais novas receitas para mudar um pouco. Busco pratos que nunca fiz e isso me ajuda a  não me acomodar no arroz e feijão de todos os dias.”

Dados do Google Trends mostram que no início do período da quarentena, as buscas por receitas na plataforma permanecerem em uma crescente na região do DF, relevando que cada vez mais pessoas estão buscando a ferramenta afim de descobrir novas receitas. (Veja na galeria)

Luciana Nogueira, tem passado mais tempo com a família e tem aprendido novas receitas através das redes sociais.

Luciana Nogueira tem passado mais tempo com a família e aprendido novas receitas através das redes sociais

 

As redes sociais também estão sendo uma forte aliada, ajudando muitas pessoas a ocuparem o tempo durante a pandemia para elaborar novos pratos e juntar a família ao redor da mesa. Coisa que não acontecia há muito tempo na casa da recepcionista de eventos, Luciana Nogueira, 47 anos, que conta que devido a rotina agitada dos dias normais, não encontrava tempo para preparar novos pratos e nem reunir a família durante todas as refeições do dia.

Agora, está aproveitando bem esse período para buscar em seu Facebook inspiração de pratos, e com isso tem conseguido juntar a família na mesa durante as refeições “Agora almoçamos, lanchamos e jantamos sempre juntos. E quando a vida voltar ao normal isso só será possível aos fins de semana. Então estou aproveitando o tempo para deixar nossas refeições mais gostosas e animadas, pois sempre  discutimos o sabor ao final de cada prato novo que comemos.”

Para a psicóloga Marcela Amorim, para enfrentarmos melhor cenários como esse de isolamento social, é fundamental buscarmos atividades capazes de proporcionar prazer e que sejam possíveis desenvolvê-las com as pessoas próximas a nós.“Esse cenário fica ainda mais complexo quando deixamos passar sem ter algo que nos ocupe e nos proporcione prazer. Então aprender cozinhar, por exemplo, é algo que permite estarmos desenvolvendo novas habilidades, o que é ótimo para nossa mente. Além de ser algo capaz de reunir a família e propiciar experiências ainda mais positivas para o momento, tornando tudo mais leve e agradável.”

Listamos links de perfis nas redes sociais e no Google que podem te inspirar a ir para cozinha e ter uma quarentena mais saborosa.

Blogs

Panelinha – Rita Lobo

https://www.panelinha.com.br/

Panelaterapia – Tati Romano

https://panelaterapia.com/

Vai comer o que? – Francielle Nogueira

http://vaicomeroque.com.br/category/sobremesas/bolos/

Cookn  Enjoy

https://cooknenjoy.com/

Dika da Naka

http://dikadanaka.com.br/

Redes sociais

Coisas De Nany – Dayanne Ribeiro

https://www.instagram.com/coisasdenany/?hl=pt-br

Cozinha Nervosa – Daniella Silva

 https://www.instagram.com/cozinhanervosa/?hl=pt-br

Truques e Dicas da Re

https://www.instagram.com/truquesedicasdare/?hl=pt-br

Patrícia Hopf

https://www.instagram.com/patriciahopf/?hl=pt-br

K Pra Nós – Kelly Sierra

https://www.instagram.com/k_pra_nos/?hl=pt-br

 

 

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Comportamento
FOTO 1 PROD 10 População negra sofre em meio a pandemia
Ciência e Tecnologia
Crédito: arquivo pessoal Aplicativos on-line reaproximam as pessoas durante isolamento social
Saúde
WhatsApp Image 2020-05-18 at 18.45.00 (1) (1) Voluntários se unem em corrente para ajudar profissionais da saúde do DF
Economia
Creditos Leila Pacheco (fonte) 4 Donas do pedaço: empreendedoras garantem sua renda de casa
Esporte
foto: Jéssika Lineker Coronavírus x Futebol Candango
Comportamento
Photo by Asif Akbar from FreeImages Entre um isolamento e outro, gostamos de nos isolar
Cidadania
Capa Nova revista Redemoinho supera desafios do isolamento para investigar temas de relevância social
Meio Ambiente
Banco de imagens pexels Reciclando pela vida
Saúde
Foto de João Paulo Silva personagem fissura A fissura é tratável
Educação
Rapensando nas Escolas O hip hop como instrumento de educação
Saúde
prato matéria anorexia Anorexia é a doença psiquiátrica que mais mata no mundo
Entrevistas
Deputado distrital do DF (REDE), Leandro Grass tem 32 anos, é professor, sociólogo, mestre em Desenvolvimento Sustentável, doutorando em Desenvolvimento em Gestão Pública (UnB) e gestor cultural pela Organização dos Estados Ibero-Americanos | Foto: Divulgação/ Assessoria de Comunicação/ Leandro Grass Leandro Grass: “DF tinha tudo para ser referência na condução da pandemia”

Mais lidas