Esporte

Futebol brasileiro: retrato de um País desgovernado

O futebol brasileiro, que já parou guerra recentemente, foi antagonista no combate ao vírus que assola a humanidade no ano de 2020

Tags:
Bolsonaro covid-19 Flamengo futebol Gávea Vasco da Gama

Imagem que representa o Brasil mundo afora, o futebol demonstrou para o mundo o retrato da balbúrdia que é o País neste momento tão tenebroso para a humanidade. O que já foi motivo de orgulho, motivo de esperança e de alegria do povo brasileiro, no último dia 19 de maio, deu uma mostra de falta de empatia, quiçá, até de compaixão. Não todos os clubes do gigante futebol brasileiro. Mas sobretudo duas de suas grandes forças, times com lindas histórias, inclusive por engajamento em causas sociais, como é o caso da Vasco da Gama, que se reuniu com o Flamengo e o Presidente Jair Bolsonaro para tratar sobre a volta do esporte.

Os clubes, talvez, em uma tentativa de retomar a alegria da população, tentaram passar por cima de toda a dor que o brasileiro está sentindo com tantas perdas e já tramam a volta das competições, cogitando-se até trazer as delegações para Brasília, onde a situação está mais controlada.

Como querer que o futebol volte em um estado onde morrem 178 pessoas por milhão de habitantes, até o dia 19 de maio, porcentagem mais alta até que a do estado de São Paulo, onde o número de mortos é maior. Mesmo que venham para Brasília, como exigir desempenho de um jogador que está com a cabeça nos familiares e amigos que estão longe, podem se contaminar e ir embora a qualquer momento? Como um clube que em um dia posta foto do médico com roupa de astronauta testando jogador e no dia seguinte se reúne com presidente de outro clube, Presidente da República e suas respectivas comissões e não tem ninguém de máscara, desobedecendo as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde.

Gabigol fazendo teste da Covid-19 no dia anterior à reunião. Foto:  O Lance

Gabigol fazendo teste da Covid-19 no dia anterior à reunião com o presidente Jair Bolsonaro para tratar do retorno do esporte
Foto: O Lance

Se saúde é essencial para um atleta é no mínimo negligência dos clubes colocarem em risco a integridade de seus jogadores. É claro que o povo anseia pela volta do futebol e sofre todas as quartas-feiras à noite sem o tradicional esporte. Assim como também vibra e se emociona novamente ao ver reprises de jogos antigos que muitos canais vêm passando.

Como a entidade sagrada do Brasil, o futebol tem o dever de ser o primeiro a ser o exemplo para nossos jovens, para nossa população em geral, que sempre está acompanhando fielmente e atentamente a cada detalhe, cada nuance desse jogo. O futebol tem esse poder! Assim como o Santos de Pelé causou uma comoção tão grande que parou por algumas horas a guerra civil da Nigéria, os clubes de todo o mundo têm que se unir para enfrentarmos esse vírus que nos atormenta.

Quem nunca quando criança se viu imitando grandes ídolos do esporte? Quantos jovens um ídolo não influencia no jeito de se vestir, de jogar, de cortar o cabelo etc.? Uma ação conjunta de clubes seria o ideal a se fazer nesse momento para conscientizar a população. Principalmente os jovens, que são o futuro do mundo. Não só por serem o futuro, mas, os jovens têm o poder de influenciar os pais também: “papai bota o cinto de segurança”, “mamãe tem que dar o sinal na faixa antes de atravessar”. No momento devemos adicionar ao vocabulário dos pequenos o incentivo a ficar em casa e usar máscara.

Devido às atuais circunstâncias e à negligência de clubes gigantes como Vasco e Flamengo caberia, sim, uma atitude conjunta dos outros clubes que repudiassem esse papelão que foi feito por essas duas instituições em particular. Claro que ainda há tempo para a retratação, mas parece que a culpa não chegou ao Ninho do Urubu, onde simultaneamente à reunião, ocorria treino dos jogadores, apesar, da não recomendação do governo do Estado. E ainda continuam ocorrendo os treino,s mesmo após repúdios até mesmo por parte da torcida.

Torcida pixa muro da Gávea em repúdio a atitude dos clubes. Foto: IG Esporte

Torcida picha muro da Gávea em repúdio a atitude dos clubes
Foto: IG Esporte

São atitudes como essa que escancaram a desordem que o país vive. É uma polarização geral, tanto na política quanto no futebol, quanto em qualquer assunto. O que se vê hoje no Brasil é uma dificuldade enorme de se chegar a um meio termo. Como eu disse anteriormente: O futebol sempre foi um retrato da sociedade brasileira. Esperemos que melhore nossa situação e que passe logo essa fase ruim para que em breve possamos voltar a desfrutar do nosso querido e amado FUTEBOL!

 

* Este texto é de inteira  responsabilidade do autor/autora e sua opinião não representa a do Portal de Jornalismo Iesb

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Educação
GabrielLino_03 Insight no ensino brasileiro
Meio Ambiente
Jardim montado na casa de Juscilene Lima Conheça a história de quem trabalha para salvar o meio ambiente
Comportamento
FOTO 1 PRODUÇÃO9 População brasileira desrespeita o isolamento social

Mais lidas