Ciência e Tecnologia

O consumo da tecnologia em tempos de imobilidade

Smartphones, consoles, computador, aplicativos e streaming – em 2019, Brasil tornou-se o segundo país que mais utiliza Internet

45% da população mundial são usuários de mídias sociais. Em 2019 o grupo We Are Social registrou que o Brasil é o segundo país que mais utiliza a rede — registrando 9 horas e 29 minutos cotidianamente. O país perde apenas para Filipinas que registrou 10 horas e 02 minutos. No mundo já são 4,3 bilhões de usuários da internet, uma penetração de 57%.

O acesso a Internet e seus dispositivos eletrônicos possibilitam novas abordagens aos usuários uma vez que o jogo digital constrói uma comunidade global, aborda uma nova linguagem e permite interatividade com terceiros. Lara Ainka, estudante de Nutricionismo, joga em busca da diversão e acrescenta que o seu jogo favorito é o The Sims; perde horas do dia jogando, ela conta.

Entre 22 e 28 de março de 2019, o Google Trends registrou que um dos tópicos mais pesquisados durante esse período foi o The Sims e outros jogos digitais.

O smartphone é o principal meio de imersão digital no país. Segundo o relatório da PNAD TIC Contínua 2018 (IBGE), no período de 2018-2019, foi registrado 80,2% da banda larga móvel (3G ou 4G) em domicílio brasileiro, e em segundo lugar a banda larga fixa com 75,9% da penetração.

Hoje, para muitos usuários, o smartphone é um dos principais recursos para a busca dos jogos, não apenas como aparelho de comunicação. “Jogo principalmente no computador e não tenho consoles, jogo no celular também, mas futuramente tenho desejo de13adquirir um console,” conta Caíque Emanuel. Essa é a realidade de muitos usuários, e o celular se tornou principal meio de utilização do recurso.

Jogos em tempo de isolamento social são saudáveis?

O período de isolamento propiciou que os usuários percebessem sobre a ocupação do dia, a importância da rotina — uma vez que os sintomas de ansiedade estão surgindo, afinal, a atividade lúdica é uma forma de escape para a atual crise do país.

“Jogar nesse momento é melhor porque estamos distraídos, não ficamos tão perdidos. Pelo menos é melhor do que entrar na rede social — gera mais ansiedade. Digo por mim, fica ruim gerir isso tempo inteiro. É  bom conciliar com terapia, porque passar dos limites pode desencadear insônia, má alimentação ou  alimentar de forma excessiva”, pensa Gabriela Mariano.

Além do necessário conhecimento profissional, a resposta vem de cada um. A tecnologia sem a dosagem correta pode acarretar sérias consequências à saúde mental.

Henrique Chianca, estudante de jogos digitais, pensa que o hábito de isolamento social e jogabilidade não é um assunto atual. Na verdade, sempre se encontrou em discussão uma vez em tempos de isolamento social o assunto ganhou mais evidência.

“Sem sair de casa, sem ter muito apelo ao contato social é algo que já acontece. Jogar foi, e sempre será, algo que contribui nessas horas, já que estando imerso no jogo, as horas passam sem notar. Dependendo do formato do jogo, não consegue escapar”, nota Henrique.

A história que o jogo transmite é um dos principais fatores para imersão. Alguns jogos conseguem distrair em menor grau, apenas para esquecer a realidade por um breve momento — É o caso de jogos em que o objetivo é acumular pontos ou simplesmente vencer uma batalha.

“Outros vão além nessa fuga da realidade, como é o caso do RPG, os quais vivem em outro universo, sendo capaz de fazer escolhas, trilhar diferentes caminhos e evoluir da forma que achar melhor a fim de completar sua história do seu jeito, explica Henrique.

Vale ressaltar que, segundo os dados do PNAD Contínua, 79,3% das pessoas com 10 anos, ou mais, têm telefone celular. A Blue Bus, produziu um infográfico a respeito sobre o cuidado que responsáveis devem ter com as crianças com o consumo da tecnologia

O relatório aponta que  66% das crianças entre 3 a 5 anos são capazes de operar jogos de computador e 57% já sabem utilizar pelo menos um aplicativo do smartphone. Os países com os maiores índices de desenvolvimento de habilidades tecnológicas estão: EUA, Reino Unido, Brasil  e República Tcheca.

É importante ressaltar que o tempo recomendado para crianças menores de 5 anos é de 1 hora por dia, com intervalos, e crianças de 10 anos, é importante também não passar das 2 horas por dia.

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Educação
GabrielLino_03 Insight no ensino brasileiro
Meio Ambiente
Jardim montado na casa de Juscilene Lima Conheça a história de quem trabalha para salvar o meio ambiente
Comportamento
FOTO 1 PRODUÇÃO9 População brasileira desrespeita o isolamento social

Mais lidas