Meio Ambiente

Pesquisa estuda a relação da covid-19 com os diversos climas brasileiros

As pesquisas querem entender se existem relações entre os diversos climas encontrados no Brasil e a disseminação da covid-19 nas cinco regiões brasileiras

Um projeto de pesquisa do Departamento de Geografia da Universidade de Brasília (UnB) está investigando as possíveis relações entre os diversos climas encontrados no Brasil e a propagação da covid-19 no país. Coordenados pelo professor Rafael Franca, outros professores, alunos de mestrado e doutorado da UnB participam das pesquisas. O projeto já foi aprovado pela chamada pública da instituição e deve receber recursos financeiros para prosseguir com os estudos.

“O Brasil é um país muito extenso, de dimensões continentais, tem vários climas diferentes, várias unidades climáticas diferentes, e a gente quer encontrar algum tipo de relação, por exemplo, entre a temperatura do ar, umidade relativa do ar, precipitação pluvial e até mesmo outros elementos climáticos menos óbvios como a nebulosidade, a insolação, radiação solar, e a disseminação ou propagação do novo coronavírus”, explica o coordenador do projeto, Rafael Franca.

Precipitação pluvial é um dos fatores que influenciam a pesquisa. Foto: Lúcio Bernardo Jr / Agência Brasília

Precipitação pluvial é um dos fatores que influencia a pesquisa. Foto: Lúcio Bernardo Jr / Agência Brasília

Segundo o professor, os resultados preliminares estarão disponíveis apenas em setembro, mas há uma explicação para isso: “Nós acreditamos ser muito importante incluir esse período que começou agora, sexta-feira, dia 20 de junho, que é o inverno no Hemisfério Sul. A gente quer incluir esse período nas análises para entender como será a dinâmica da transmissão da doença no inverno aqui do Hemisfério Sul, no Brasil tropical, em diferentes unidades climáticas. Nós vamos estudar cidades como Brasília, Manaus e São Paulo. São cidades com climas diferentes e nós imaginamos que também haverá resultados diferentes.”

Contribuição brasileira para as pesquisas

Estudos semelhantes ao desenvolvido pelo Departamento de Geografia da UnB já foram realizados por pesquisadores da Europa, Estados Unidos, Ásia e outros países no Hemisfério Norte, porém, um diferencial do projeto da Universidade de Brasília é não focar somente no fator temperatura. A pesquisa pretende ir além do que já foi estudado sobre o assunto. Agora chegou a vez de o Brasil contribuir por meio desse novo estudo, que está apenas começando e deve ter continuidade até o final do surto da doença no país.

“Nós estamos num país tropical, é algo novo para nós, uma doença nova e há hipóteses de que essa doença, esse novo coronavírus, torne-se uma doença, um vírus sazonal, com surtos sazonais. Então, é muito importante compreender isso, até mesmo para auxiliar o poder público em suas políticas públicas de enfrentamento, mitigação e adaptação ao novo coronavírus”, complementa o coordenador do projeto.

Professor do Departamento de Geografia da UnB e coordenador do projeto, Rafael Franca

Professor do Departamento de Geografia da UnB e coordenador do projeto, Rafael Franca

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Comportamento
FOTO 1 PROD 10 População negra sofre em meio a pandemia
Ciência e Tecnologia
Crédito: arquivo pessoal Aplicativos on-line reaproximam as pessoas durante isolamento social
Saúde
WhatsApp Image 2020-05-18 at 18.45.00 (1) (1) Voluntários se unem em corrente para ajudar profissionais da saúde do DF
Economia
Creditos Leila Pacheco (fonte) 4 Donas do pedaço: empreendedoras garantem sua renda de casa
Esporte
foto: Jéssika Lineker Coronavírus x Futebol Candango
Comportamento
Photo by Asif Akbar from FreeImages Entre um isolamento e outro, gostamos de nos isolar
Cidadania
Capa Nova revista Redemoinho supera desafios do isolamento para investigar temas de relevância social
Meio Ambiente
Banco de imagens pexels Reciclando pela vida
Saúde
Foto de João Paulo Silva personagem fissura A fissura é tratável
Educação
Rapensando nas Escolas O hip hop como instrumento de educação
Saúde
prato matéria anorexia Anorexia é a doença psiquiátrica que mais mata no mundo
Entrevistas
Deputado distrital do DF (REDE), Leandro Grass tem 32 anos, é professor, sociólogo, mestre em Desenvolvimento Sustentável, doutorando em Desenvolvimento em Gestão Pública (UnB) e gestor cultural pela Organização dos Estados Ibero-Americanos | Foto: Divulgação/ Assessoria de Comunicação/ Leandro Grass Leandro Grass: “DF tinha tudo para ser referência na condução da pandemia”

Mais lidas