Cultura

Prêmios e festivais brasilienses se adaptam para evitar cancelamentos dos eventos

Festival de Brasilia, Feira Not Cancelled e Prêmio Profissionais da Música são alguns dos eventos que adiaram a programação ou se adaptaram para os modelos do novo normal

PPM 19-2

As premiações e festivais são formas de valorizar os trabalhos de destaque desenvolvidos em várias áreas de atuação, e permitir que o reconhecimento e a exposição trace uma ponte entre profissionais, investidores e público. Alguns eventos de grande prestígio no meio artístico contam com cerimônias que são muito esperadas e por vezes transmitidas para o mundo inteiro, como é o caso do Academy Awards, o Oscar, para realizações cinematográficas. Entretanto, os percalços da pandemia do novo coronavírus trouxeram grandes limitações para essas cerimônias e para as produções artísticas. O Oscar, por exemplo, precisou adiar a data para abril de 2021 e tem aceitado inscrições de filmes com estreia até fevereiro para concorrer à premiação.

Entretanto, a visibilidade dos trabalhos artísticos em nível nacional começa com festivais e premiações locais, que muitas vezes não são tão conhecidos pelo público. Aos brasilienses é importante ressaltar importantes prêmios e festivais da cidade nas áreas de cinema, artes visuais e música que precisaram se adaptar para dar continuidade ao reconhecimento dos trabalhos.

De grande prestígio nacional temos o pioneiro Festival de Brasília, cujo nome e sobrenome é Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Sendo o mais antigo do gênero no país, o concurso premia os artistas com o Troféu Candango, e surgiu por iniciativa do professor de cinema da Universidade de Brasília, Paulo Emílio Sales Gomes, em 1965. Na origem se chamava Semana do Cinema Brasileiro, mas passadas duas edições, foi rebatizado. Com o tempo, o festival tomou grandes proporções e, no fim do ano passado, completou sua 52ª edição. “Ganhar um prêmio do Festival de Brasília, que mantém a tradição e se resguarda como festival do cinema brasileiro, é muito importante para carreira do filme e dos artistas. Essa honra abre portas para outros festivais, nacionais ou internacionais, e impulsionam projetos e profissionais para o mercado”, explica Pedro Lacerda, organizador do Festival, ator, diretor e roteirista.

A pandemia motivou um primeiro impulso de cancelamento do 53º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro este ano. Entretanto, o Governo do Distrito Federal recuou e anunciou que o evento ocorrerá, mas de forma híbrida. A secretaria de Cultura divulgou por meio de nota que o plano alternativo do festival por conta da pandemia será a realização de forma remota, com exibição dos filmes no Cine Drive-in e em plataformas on-line de streaming. Ainda não foi definida uma data para a realização do evento, que está sob avaliação de um grupo de trabalho para apresentar propostas.

Festival e feira internacional

A edição inédita da Feira Internacional de Arte Not Cancelled (não cancelado) no Brasil é um evento on-line, que nasceu na pandemia, e tem duração de 4 semanas reunindo 57 galerias brasileiras de 9 cidades, com obras de 106 artistas. A not cancelled Brasil foi viabilizada e trazida pela galerista brasiliense Karla Osorio Netto e contou com apoio da ABACT, Associação Brasileira de Galerias Contemporâneas. “Desde que começou a pandemia as galerias começaram a pensar em ações de solidariedade, e ao mesmo tempo alternativas que aumentassem a possibilidade de venda no mercado. A minha ideia foi uma feira on-line e, pesquisando, descobri a plataforma. Ao me comunicar com eles, acabei me tornando o contato local no Brasil. Foi tudo muito rápido e com muita colaboração entre as galerias”, conta Karla. Os interessados na feira podem fazer um cadastro gratuito no site www.notcancelled.art/brazil para acessar os conteúdos da programação.

Prêmio Profissionais da Música

Pioneira na capital, a premiação que tem como matéria prima a música, o Prêmio Profissionais da Música (PPM) ocorreria entre os dias 12 e 14 de novembro em Brasília. Porém, em razão da pandemia, estão em busca de uma outra data no 1º primeiro quadrimestre de 2021. Duas noites serão dedicadas à cerimônia de premiação de 100 categorias de profissionais da música; subdivididas nas modalidades Criação, Produção e Convergência. Além da cerimônia, o evento traz na programação painéis, workshops, showcases, exibição de documentários musicais e homenagens.

“O que era para ser o prêmio da música independente, apenas para artistas, passou a abranger vários profissionais da música. No início, em 2015, foram 38 categorias, e em 2020 estamos nos preparando para 100 categorias, e definitivamente, nos credenciando como a maior premiação de música do mundo, sob o critério de quantidade de categorias, inscrições e participação popular”, explica Gustavo Vasconcelos, empresário idealizador do projeto.

As inscrições para a 6ª edição do concurso vão de em 29 de junho a 6 de setembro. As novidades para esse ano são o lançamento da Academia Brasileira de Profissionais da Música, criação do Conselho Sensorial do PPM, a campanha de arrecadação de fundos para os profissionais da música, integralmente, revertidas para os finalistas desta edição, além do aumento das 100 categorias da premiação.

Gustavo Vasconcelos também acredita na força da premiação para fortalecer, no processo de intercâmbio, os profissionais da música de vários locais do país e do mundo, mas com a base em Brasília. “A credibilidade alcançada pelo projeto e a troca das experiências entre os profissionais do meio faz com que parceiros, apoiadores e marcas se aproximem, interessados pelo que podemos construir juntos”, explica Gustavo, sobre os frutos do evento.

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Comportamento
FOTO 1 PROD 10 População negra sofre em meio a pandemia
Ciência e Tecnologia
Crédito: arquivo pessoal Aplicativos on-line reaproximam as pessoas durante isolamento social
Saúde
WhatsApp Image 2020-05-18 at 18.45.00 (1) (1) Voluntários se unem em corrente para ajudar profissionais da saúde do DF
Economia
Creditos Leila Pacheco (fonte) 4 Donas do pedaço: empreendedoras garantem sua renda de casa
Esporte
foto: Jéssika Lineker Coronavírus x Futebol Candango
Comportamento
Photo by Asif Akbar from FreeImages Entre um isolamento e outro, gostamos de nos isolar
Cidadania
Capa Nova revista Redemoinho supera desafios do isolamento para investigar temas de relevância social
Meio Ambiente
Banco de imagens pexels Reciclando pela vida
Saúde
Foto de João Paulo Silva personagem fissura A fissura é tratável
Educação
Rapensando nas Escolas O hip hop como instrumento de educação
Saúde
prato matéria anorexia Anorexia é a doença psiquiátrica que mais mata no mundo
Entrevistas
Deputado distrital do DF (REDE), Leandro Grass tem 32 anos, é professor, sociólogo, mestre em Desenvolvimento Sustentável, doutorando em Desenvolvimento em Gestão Pública (UnB) e gestor cultural pela Organização dos Estados Ibero-Americanos | Foto: Divulgação/ Assessoria de Comunicação/ Leandro Grass Leandro Grass: “DF tinha tudo para ser referência na condução da pandemia”

Mais lidas