Economia

Um país com 50 mil mortos por covid-19 e 12 milhões de desempregados

O desemprego, que já tinha um número elevado no país, aumentou mais devido a pandemia

Tags:
desemprego economia

Por conta da pandemia da Covid-19 o desemprego acabou batendo na porta de várias famílias, como na de conhecidos e na minha. Tive parentes que foram dispensados dos seus trabalhos, alguns por conta da reestruturação orçamentária dos chefes, outros, como a minha avó, porque, pela idade, não deveria ainda estar trabalhando e foi dispensada por prevenção à sua saúde e a da sua chefe. E eu fui dispensada do meu estágio, algo já esperado devido a situação.

Não dá para falar que o desemprego neste momento não teve um impacto maior na vida de uma pessoa ou de uma família. Porque foi exatamente isso que aconteceu, entretanto, a situação poderia ser pior caso eu não tivesse reserva e, no caso da minha avó, a aposentadoria.

Porém a realidade de alguns vizinhos já não é a mesma da minha. O impacto do desemprego neste momento foi sentido bem mais do que em outros. E a saída foi ir em busca de um novo, mesmo com o vírus circulando.

Esta é uma triste realidade que poderia ter sido evitada lá em fevereiro ainda, quando o primeiro caso de pessoa infectada no país foi confirmado. Agora que estamos chegando em julho fica cada vez mais difícil enxergar uma possibilidade de melhora tanto no número de desempregados, que já passa dos 12 milhões, segundo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE, como também no número de mortos no país que já alcançou mais de 50 mil pessoas.

Além da preocupação em achar um emprego, pagar as contas e colocar comida na mesa, essas pessoas ainda precisam se preocupar em não ser contaminadas. E como é possível se manter seguro se todos os dias é preciso sair para procurar um emprego? Como se faz um isolamento social sem saber até quando a comida vai durar em casa? Como podemos recriminar os que estão nas ruas de máscara com uma pasta repleta de currículo na mão?

Foi necessário fazer reestruturação no orçamento familiar

Foi necessário fazer reestruturação no orçamento familiar

Definitivamente são coisas que não podemos fazer, e infelizmente também não temos como ajudarmos. Também a aqueles que não perderam seus empregos, mas precisaram reorganizar as contas familiares devido a redução salarial que sofreram. E como consequência, alguns tiveram que procurar uma segunda renda, mas precisando arriscar a sua saúde e até a da sua família.

Essa é a realidade no país, alguns sofrem pela perda de seus entes, outros sofrem pela perda do seu sustento e os responsáveis por resolver ambas as coisas seguem agindo como se ambas fossem normais.

 

* Este texto é de inteira  responsabilidade do autor/autora e sua opinião não representa a do Portal de Jornalismo Iesb

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Educação
GabrielLino_03 Insight no ensino brasileiro
Meio Ambiente
Jardim montado na casa de Juscilene Lima Conheça a história de quem trabalha para salvar o meio ambiente
Comportamento
FOTO 1 PRODUÇÃO9 População brasileira desrespeita o isolamento social

Mais lidas