Comportamento

Presos pela situação de risco

Pessoas no grupo de risco têm mais medos e motivos para se isolar na quarentena

Pessoas em situação de risco sempre existiram por causa de inúmeras doenças. Com a chegada da Covid-19, os cuidados com diabéticos, hipertensos, asmáticos e com pessoas de idade foram redobrados. Olhar pela janela de casa e ver as ruas antes muito movimentadas, como formigueiros, gente pra lá, pra cá, carro indo e vindo, trânsito pra todo lado, chega a dar saudade do estresse causado por tanta confusão. O famoso direito de ir e vir começa a ficar restrito. Para pessoas sem “grande” risco já se torna um grande incômodo, imagine então os idosos e pessoas com doenças de risco? Ficar trancado em casa pensando se uma simples caminhada pode causar a sua morte faz com que a cabeça chegue a explodir.

Pessoas em situação de risco são as mais afetadas pelo isolamento

Pessoas em situação de risco são as mais afetadas pelo isolamento

A incerteza de poder sair, o estado de pânico causado por algo invisível. Chega a ser estranho pensar em estar feliz por não ter coronavírus, mesmo tendo outros tipos de doenças. O que fazer já que as grades da minha prisão de quarentena não são janelas ou portas e, sim, a diabetes, a hipertensão ou mesmo o tempo? Ser tão dependente de cuidados médicos ou se isolar de casa pode afetar a mente de formas nunca antes imaginadas. Ter que sair de casa para qualquer coisa nunca foi tão parecido com um circo de terror. Os fantasmas são os vírus , invisíveis ao nosso olhar, porém sabemos que estão ali; os monstros são as pessoas que podem trazer pra perto de você coisas terríveis junto com o vírus, se não tomarmos os cuidados contra a Covid-19.

A vida vira um infinito sofrimento de horrores. Sair ou não sair, colocar minha vida em risco saindo ou ficar neurótico com tudo que se possa tocar ou respirar? A vida das pessoas em situação de risco é duplamente difícil; o melhor seria se isolar completamente, mas quem vive bem totalmente isolado? As grades da quarentena, feitas de vírus e doenças, nunca foram tão perigosas. O jeito é contar com a ajuda de conhecidos, ou mesmo enfrentar os monstros e fantasmas e torcer para que o herói da vez, o álcool em gel, faça efeito.

* Este texto é de inteira responsabilidade do seu autor/autora e sua opinião não reflete a do Portal de Jornalismo Iesb.

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Comportamento
FOTO 1 PROD 10 População negra sofre em meio a pandemia
Ciência e Tecnologia
Crédito: arquivo pessoal Aplicativos on-line reaproximam as pessoas durante isolamento social
Saúde
WhatsApp Image 2020-05-18 at 18.45.00 (1) (1) Voluntários se unem em corrente para ajudar profissionais da saúde do DF
Economia
Creditos Leila Pacheco (fonte) 4 Donas do pedaço: empreendedoras garantem sua renda de casa
Esporte
foto: Jéssika Lineker Coronavírus x Futebol Candango
Comportamento
Photo by Asif Akbar from FreeImages Entre um isolamento e outro, gostamos de nos isolar
Cidadania
Capa Nova revista Redemoinho supera desafios do isolamento para investigar temas de relevância social
Meio Ambiente
Banco de imagens pexels Reciclando pela vida
Saúde
Foto de João Paulo Silva personagem fissura A fissura é tratável
Educação
Rapensando nas Escolas O hip hop como instrumento de educação
Saúde
prato matéria anorexia Anorexia é a doença psiquiátrica que mais mata no mundo
Entrevistas
Deputado distrital do DF (REDE), Leandro Grass tem 32 anos, é professor, sociólogo, mestre em Desenvolvimento Sustentável, doutorando em Desenvolvimento em Gestão Pública (UnB) e gestor cultural pela Organização dos Estados Ibero-Americanos | Foto: Divulgação/ Assessoria de Comunicação/ Leandro Grass Leandro Grass: “DF tinha tudo para ser referência na condução da pandemia”

Mais lidas