Comportamento

População brasileira desrespeita o isolamento social

Além do desrespeito ao isolamento social, governantes querem flexibilizar a reabertura do comércio, o que pode ser um fator preocupante para um país que registra números acelerados de mortes e contaminados

Desde o espalhamento da pandemia, brasileiros, sobretudo da área científica e da saúde, passaram a procurar e indicar meios para que a população pudesse percorrer bem a crise sanitária e uma forma de o vírus não causar tanta fatalidade no país. Porém, tudo aconteceu muito rápido, sendo registradas muitas mortes em apenas um dia, mostrando que a situação acabou ficando descontrolada. As pesquisas para a cura, como remédios, a própria vacina, começaram a todo vapor. Infelizmente, até então, sem grandes respostas.

E é aí que entra a população. Aqui no Brasil, até certo momento, tudo estava indo bem com o isolamento social, agora chamado de distanciamento social. Mais para o início, quando os decretos foram impostos pelas autoridades governamentais e a pedido das autoridades da saúde, parecia que o isolamento surtiria efeito. São Paulo, Estado epicentro da pandemia no país, sofreu uma grande queda no isolamento, e agora regista 48% no Estado e 49% na cidade de São Paulo. Isso, mesmo com o isolamento ampliado, segundo o G1 SP.

Todos os Estados do país têm feito tudo para que as pessoas que não têm necessidade de sair permaneçam em isolamento. Quando a discussão vai para a parte da economia, o que não é menos importante, o isolamento mostra que está em queda. Mas, se pessoas continuarem desrespeitando essas medidas, tão cedo voltará tudo ao normal. Sim, o mercado financeiro já vêm com previsões que começam a causar choques. Em números, mostram 5,89% de queda, segundo a Agência Brasil em pesquisa no boletim Focus, publicação divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC).

GDF libera a abertura gradativa do comércio. Mas que cumpram bem as medidas de proteção.  Foto: Agência Brasília

GDF libera a abertura gradativa do comércio. Mas recomenda que todos cumpram bem as medidas de proteção
Foto: Agência Brasília

Só que é aquela questão, um vírus letal, sem cura alguma como mencionado antes, por mais que estejam “próximos” de alcançá-la, o mercado voltando, economia dando um início no giro, mas as pessoas nas ruas, em aglomeração, não tendo os devidos cuidados, vão se contaminar e contaminar o próximo. Os assintomáticos podem estar por todas as partes, às vezes, nem os próprios sabem/percebem que estão assintomáticos, embora eles sejam transmissores. É o que diz o portal PEBMED, um portal com informações medicinais.

Continuando nessa linha de raciocínio da contaminação e do mercado, esses contaminados, circulando nas lojas, shoppings, supermercados, padarias e assim sucessivamente, vai ocasionar no que? Na volta do fechamento do comércio. Também na economia parando de novo. Portanto, se cumprirem bem, tudo volta logo, é o que dizem as autoridades da saúde.

Mas as pessoas não estão conscientes disso, não querem saber do vírus, muitos pensam que são imunes. Esses pensamentos partem muito do nosso próprio superior, o que governa nosso país. Se um superior tem atitudes que vão contra as normas de segurança, as pessoas que são seguidoras desse governante vão se inspirar e fazer o mesmo. Se o próprio não sabe evitar o pior, por que as pessoas teriam?

Respeitar o isolamento social e se precisar sair de casa e ficar distante das pessoas é um fator importante para diminuir a contaminação

Respeitar o isolamento social e, se precisar sair de casa, ficar distante das pessoas é um fator importante para diminuir a contaminação

Estar num isolamento por grande parte do tempo é difícil? Sim! Grande parte da população não se dá bem trancafiada, então imaginem como as pessoas que sofrem por problemas psicológicos, claustrofóbicos, imperativos estão se sentindo. Pessoas que não são diagnosticadas com essas doenças acabam  tendo os sintomas. Porém, de forma social, precisam se manter fortes para que essa pandemia vá embora. Precisam de empatia, solidariedade, compreensão, força e persistência para a permanência em casa.

* Este texto é de inteira responsabilidade do seu autor/autora e sua opinião não reflete a do Portal de Jornalismo Iesb

Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

Deixe uma resposta

Comportamento
FOTO 1 PROD 10 População negra sofre em meio a pandemia
Ciência e Tecnologia
Crédito: arquivo pessoal Aplicativos on-line reaproximam as pessoas durante isolamento social
Saúde
WhatsApp Image 2020-05-18 at 18.45.00 (1) (1) Voluntários se unem em corrente para ajudar profissionais da saúde do DF
Economia
Creditos Leila Pacheco (fonte) 4 Donas do pedaço: empreendedoras garantem sua renda de casa
Esporte
foto: Jéssika Lineker Coronavírus x Futebol Candango
Comportamento
Photo by Asif Akbar from FreeImages Entre um isolamento e outro, gostamos de nos isolar
Cidadania
Capa Nova revista Redemoinho supera desafios do isolamento para investigar temas de relevância social
Meio Ambiente
Banco de imagens pexels Reciclando pela vida
Saúde
Foto de João Paulo Silva personagem fissura A fissura é tratável
Educação
Rapensando nas Escolas O hip hop como instrumento de educação
Saúde
prato matéria anorexia Anorexia é a doença psiquiátrica que mais mata no mundo
Entrevistas
Deputado distrital do DF (REDE), Leandro Grass tem 32 anos, é professor, sociólogo, mestre em Desenvolvimento Sustentável, doutorando em Desenvolvimento em Gestão Pública (UnB) e gestor cultural pela Organização dos Estados Ibero-Americanos | Foto: Divulgação/ Assessoria de Comunicação/ Leandro Grass Leandro Grass: “DF tinha tudo para ser referência na condução da pandemia”

Mais lidas