Esporte

Coronavírus x Futebol Candango

Profissionais e esportistas tentam driblar as dificuldades com a pausa do esporte

Tags:
candangão candango Coronavírus covid-19 DF esportes futebol

A pandemia provocada pelo novo coronavírus tem feito vítimas por todo o mundo. Buscando conter a disseminação do vírus, a Federação de Futebol do Distrito Federal decidiu inicialmente antecipar alguns jogos do Campeonato Brasiliense (Candangão), realizando-os de portões fechados, e, depois, suspendeu a competição por tempo indeterminado.

Marcus Vinicius é técnico do time de juniores do Cruzeiro Futebol Clube-DF, o Carcará, e lembra como tem sido desde a mudança na rotina do clube. “Fomos o primeiro time do DF a suspender as atividades. Tem uma quebra de 7 semanas de treinamento e vamos ter que recomeçar quando voltarmos às atividades”.

Marcus Vinícius, técnico do Carcará, em um dos jogos pouco antes da pausa decretada pelo Governador Ibaneis Rocha. (foto: Jéssika Lineker)

Marcus Vinícius (Carcará), em um dos jogos pouco antes da pausa decretada pelo Governador Ibaneis Rocha.                (foto: Jéssika Lineker)

O treinador está usando seu tempo nesse período de isolamento social para rever treinos e jogos filmados antes da paralisação. “Busco replanejar os treinamentos e nossa ideia de jogo para voltarmos ainda melhores”. Ele dá detalhes de como os atletas também estão se preparando para quando os jogos voltarem. “A preparação física e fisioterapia do clube desenvolveu uma cartilha com treinamentos para serem realizados em casa. Essa rotina de treinamento é monitorada pelo preparador físico, através de uma percepção subjetiva de esforço”.

Assim como atletas e preparadores físicos estão aderindo à plataforma digital, outros profissionais do meio esportivo também migraram para as mídias sociais. Com isso, estão alcançando seus atletas e fazendo com que outras pessoas também conheçam seu projeto.

Está sendo assim para Vinicius La Porta, educador físico do Instituto para o Desenvolvimento da Criança e do Adolescente pela Cultura e Esporte (Idecace). Ele foi encarregado de dirigir e alavancar as redes sociais do local, produzindo e postando diariamente conteúdos atrativos ao seu público-alvo.

Vinicius La Porta quando atuava como treinador no Coppell Youth Soccer, nos EUA. (foto: arquivo pessoal)

Vinicius La Porta quando atuava como treinador no Coppell Youth Soccer, nos EUA. (foto: arquivo pessoal)

O Idecace é um projeto voltado para a detecção de talento esportivo e vocação profissional em escolas públicas do Distrito Federal, voltado a alunos do ensino médio. Com a suspensão das aulas devido à Covid-19, a equipe teve que suspender as visitas nas escolas para a coleta de dados dos alunos.

La Porta explica que focou no trabalho on-line. “Estamos otimizando as nossas redes sociais para providenciar conteúdo de qualidade e informativo ao nosso público-alvo, e realizando lives no Instagram com profissionais da área da saúde que trabalham nos nossos Centros Olímpicos e Paralímpicos”. A intenção é mostrar que o trabalho não foi paralisado, e que o possível está sendo feito dentro do cenário da pandemia.

Cobertura jornalística

Assim como os profissionais que atuam diretamente no esporte, a vida daqueles que levam a informação às pessoas na beira dos gramados, também foi afetada pelo efeito coronavírus.

Danilo Queiroz atua como jornalista na Rádio e TV Brasiliense FC, e é responsável pelo site especializado Distrito do Esporte. Ele afirma que o isolamento social afetou não só o seu trabalho no Jacaré, mas também na utilização do site, já que ele não pode ir a campo e fazer a apuração das notícias. “O coronavírus acabou provocando a criação de novos desafios para a produção de conteúdo. Sem as publicações rotineiras do dia a dia, como jogos e notícias dos clubes, toda a equipe do site precisa exercitar ainda mais a criatividade para criar pautas com outro direcionamento, o que acaba se tornando uma tarefa muito mais complicada e desafiadora”.

Apesar da pausa, Danilo não enfrenta problemas financeiros como alguns colegas de trabalho que atuam nessa área. “Viver do jornalismo esportivo é algo praticamente inviável no Distrito Federal, mesmo quando se trabalha em grandes veículos de comunicação. Com isso, sempre tive a consciência de conciliar os trabalhos realizados no site e no Brasiliense com um outro emprego fixo, que acaba sendo a principal fonte de renda”, justifica.

William Matos, colaborador no site DF Sports+, é outro exemplo de que a carreira esportiva do jornalista no Distrito Federal ainda não pode se sustentar por si só. Ele também concilia o site com um outro emprego fixo. “Neste outro emprego as coisas não pararam porque trata-se de um site que cobre tudo, tem todas as editorias. Estamos trabalhando de casa, e mudou pouca coisa”, detalha.

William cita a dificuldade financeira para quem ganha por produção no DF Sports+. “Sem pauta não há retorno financeiro para o site e, consequentemente, não há pagamento aos colaboradores. No mês de abril, até o momento, tivemos apenas 15 reportagens publicadas. Comparado a outros meses, é cerca de 1/5 da nossa produção”.

O estudante de jornalismo Rômulo Maia também está no DF Sports+ e enfrenta as mesmas dificuldades para produção de conteúdo. Ele, que tem a maior parte de seu sustento em um estágio em outra área, não foi afetado financeiramente com o isolamento social.

Mesmo com a paralisação das atividades esportivas, Rômulo continua ligado àquilo que ama. “Tenho aproveitado o tempo livre para ver vídeos e séries sobre esportes, além de jogos antigos. Também tenho estudado e busco me aperfeiçoar na minha área”.

Sobre a volta do esporte no DF, o futuro jornalista prefere a prudência. “Mesmo que aconteçam novamente os eventos, precisamos ter a segurança de que ninguém estará em risco. Temos de respeitar o isolamento”.

Enquanto não há data confirmada para a retomada das atividades esportivas no Distrito Federal, atletas e profissionais especialistas seguem trabalhando como podem, de suas casas, para não deixar o ritmo cair quando tudo voltar ao normal.

    Notice: Tema sem comments.php está obsoleto desde a versão 3.0 sem nenhuma alternativa disponível. Inclua um modelo comments.php em seu tema. in /var/www/publicacao/jornalismo/site-root/wp-includes/functions.php on line 2957

    Deixe uma resposta

    Comportamento
    FOTO 1 PROD 10 População negra sofre em meio a pandemia
    Ciência e Tecnologia
    Crédito: arquivo pessoal Aplicativos on-line reaproximam as pessoas durante isolamento social
    Saúde
    WhatsApp Image 2020-05-18 at 18.45.00 (1) (1) Voluntários se unem em corrente para ajudar profissionais da saúde do DF
    Economia
    Creditos Leila Pacheco (fonte) 4 Donas do pedaço: empreendedoras garantem sua renda de casa
    Comportamento
    Photo by Asif Akbar from FreeImages Entre um isolamento e outro, gostamos de nos isolar
    Cidadania
    Capa Nova revista Redemoinho supera desafios do isolamento para investigar temas de relevância social
    Meio Ambiente
    Banco de imagens pexels Reciclando pela vida
    Saúde
    Foto de João Paulo Silva personagem fissura A fissura é tratável
    Educação
    Rapensando nas Escolas O hip hop como instrumento de educação
    Saúde
    prato matéria anorexia Anorexia é a doença psiquiátrica que mais mata no mundo
    Entrevistas
    Deputado distrital do DF (REDE), Leandro Grass tem 32 anos, é professor, sociólogo, mestre em Desenvolvimento Sustentável, doutorando em Desenvolvimento em Gestão Pública (UnB) e gestor cultural pela Organização dos Estados Ibero-Americanos | Foto: Divulgação/ Assessoria de Comunicação/ Leandro Grass Leandro Grass: “DF tinha tudo para ser referência na condução da pandemia”

    Mais lidas