Projeto ajuda comunidade carente por meio do incentivo à educação, esporte e arte

Agora, a Corrente do Bem sofre com a falta de voluntários, espaço e financiamento

Giovana Ferreira

Postado em 06/09/2021

Criada a partir de uma promessa religiosa feita pela coordenadora do projeto Olga Diniz, a Corrente do Bem realiza ações solidárias à comunidade da Vargem Bonita há mais de cinco anos e favorece cerca de 200 pessoas. Atualmente, a instituição apresenta mais de dez projetos focados no incentivo à educação, esporte e arte nos quais beneficiam, principalmente, crianças e idosos. O grupo conta com constantes doações de voluntários e apoiadores, entretanto questões financeiras e de espaço ainda são um desafio.  

O principal intuito do projeto é fornecer uma melhor educação para crianças que não tiveram uma alfabetização necessária, por meio do acompanhamento escolar. Com o aumento da procura por vagas por parte da comunidade, a urgência de mais voluntários nunca foi tão grande, assim como conta Olga Diniz. “Muitas vezes, o voluntário vem e vai, entendemos que tem outras prioridades na vida da pessoa, porém isso dificulta muito nosso trabalho, pois não dá uma continuidade”. O mesmo pode se dizer em relação ao espaço, a alta demanda fez com que o grupo sentisse a necessidade de ampliar o ambiente.

A Corrente do Bem vê a educação como uma forma de oportunidade para a comunidade da Vargem Bonita.

Projetos transformadores

Além do acompanhamento escolar, a associação também oferece aulas gratuitas de capoeira, futebol, realizam a doação de cestas básicas e projetos que ensinam a importância da preservação, tanto do meio ambiente como a manutenção dos espaços, além de auxílio na divulgação de produtos e serviços juntamente com a consultoria para microempreendedores da Vargem Bonita. 

Em decorrência da pandemia todos os projetos tiveram que ser suspensos por um período, todavia os pais dos alunos que frequentavam o acompanhamento escolar pediram o retorno das aulas. Uma das voluntárias, Tiffany Guimarães, afirma que o principal foco da Corrente do Bem é o incentivo à educação, uma vez que a maioria das crianças tem muita dificuldade no processo de aprendizado. “Eles não têm oportunidade, então talvez pela educação a gente consiga que eles pensem em algo melhor do que eles vivem hoje”. 

Para a pedagoga Renata Araújo, os trabalhos realizados em projetos sociais como a Corrente do Bem “ajudam na transformação não apenas de crianças e adolescentes como também de suas famílias e da sociedade de que fazem parte”. Em um relato de uma mãe disponibilizado pela coordenadora do projeto, sua filha, Ana Carolayne,  teve uma grande melhora no seu ensino e se destaca nas aulas da escola.